SUSTENTABILIDADE E INDUSTRIALIZAÇÃO: OS IMPACTOS DA PRÉ-FABRICAÇÃO NO CONSUMO DE MADEIRA

Tamyres Blenke Narloch, Lisiane Ilha Librelotto

Resumo


A busca pela sustentabilidade tem sido um desafio para diversas áreas, na construção civil com a imensa geração de resíduos, consumo energético e de matéria prima não tem sido diferente. Esta pesquisa tem por objetivo analisar  aspectos que contribuem para a  o projeto de edificações mais sustentáveis na implantação da pré-fabricação como uma etapa para a industrialização. A pesquisa utilizou dados de planilhas orçamentárias de dois empreendimentos em alvenaria estrutural e de entrevista realizada com o coordenador de pesquisa e desenvolvimento de uma construtora do norte do estado de Santa Catarina. Foi feita uma análise comparativa do consumo de madeira, sendo que uma das obras foi executada com concreto moldado in locoe a outra teve os pavimentos térreo e ático (não repetitivos) em sistema misto (moldado in locoe pré-fabricado) e os pavimentos tipo (repetitivos) pré-fabricados. Nos pavimentos mistos a redução no consumo de madeira foi de 61% e nos pavimentos pré-fabricados a redução foi de 100%. Ao fim da pesquisa foi possível concluir que, apesar da pré-fabricação não permitir flexibilidade nas plantas, ela melhorou as condições de trabalho dos operários, reduziu consumo de madeira e de seus resíduos.


Palavras-chave


Sustentabilidade; Industrialização; Madeira

Texto completo:

PDF/A

Referências


ARAÚJO, M. A. A moderna construção sustentável. 2008. Disponível em: . Acesso em: 18 jan. 2018.

BEZERRA, M. de M.; OLIVEIRA, A. J. de. Qualiverde: histórico, projetos e próximos passos. Mix Sustentável, Florianópolis, v. 2, n. 2, p.80-86, abr. 2016. Semestral.

BRUNA, P. J. V. Arquitetura, industrialização e desenvolvimento. 2. ed. São Paulo: Perspectiva, 2013. 307 p.

BRUNDTLAND, G. H. et al. Nosso futuro comum: relatório de Brundtland. Rio de Janeiro: FGV, 1987.

CARVALHO, M. T. M. Metodologia para avaliação da sustentabilidade de habitações de interesse social com foco no projeto. 2009. 223 f. Tese (Doutorado) - Curso de Faculdade de Tecnologia, Engenharia Civil e Ambiental, Unb, Brasília, 2009. Disponível em: . Acesso em: 18 jan. 2018.

CIB & UNEP-IETC. Agenda 21 for sustainable construction in developing countries: a discussion document. 2002. Disponível em: . Acesso em: 18 jan. 2018.

FRANCO, Luiz Sérgio. Aplicação de diretrizes de racionalização construtiva para a evolução tecnológica dos processos construtivos em alvenaria estrutural não armada. 1992. 319 f. Tese (Doutorado) - Curso de Engenharia Civil, Departamento de Engenharia de Construção Civil, Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, São Paulo, 1992.

LAMBERTS, R. et al. Sustentabilidade nas edificações: contexto internacional e algumas referências brasileiras na área. 2007. Disponível em: . Acesso em: 18 jan. 2018.

PRIZIBELA, S. C. C.; OLIVEIRA, R. de. Aplicação de princípios de sustentabilidade em empreendimentos de grande porte: posicionamento dos arquitetos. Mix Sustentável, Florianópolis, v. 2, n. 1, p.90-97, abr. 2016. Semestral.

RUTHES, T. Impactos do desenvolvimento de um processo construtivo industrializado em alvenaria estrutural. 2016. 195 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Programa de Pós-graduação em Engenharia Civil, Centro Tecnológico, UFSC, Florianópolis, 2016.

SATTLER, M. A.. Entrevista. Mix Sustentável, Florianópolis, v. 3, n. 1, p.124-131, mar. 2017. Semestral.

SBF. Serviço Florestal Brasileiro (Brasil). Florestas do Brasil: em resumo. 2009. Disponível em: < http://www.florestal.gov.br/documentos/publicacoes/1805-florestas-do-brasil-em-resumo-2009/file>. Acesso em: 18 jan. 2018.

SBF. Serviço Florestal Brasileiro (Brasil). Florestas do Brasil: em resumo. 2010. Disponível em: . Acesso em: 18 jan. 2018.

SBF. Serviço Florestal Brasileiro (Brasil). Florestas do Brasil: em resumo. 2013. Disponível em: < http://www.florestal.gov.br/documentos/publicacoes/1797-florestas-do-brasil-em-resumo-2013-atualizado-em-novembro-2013/file>. Acesso em: 18 jan. 2018.

SEVERINO, A. J. Metodologia do trabalho científico. 23. ed. São Paulo: Cortez, 2007. 304 p.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2001. 203 p.




DOI: https://doi.org/10.29183/2447-3073.MIX2018.v4.n2.51-58

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Tamyres Blenke Narloch, Lisiane Ilha Librelotto