https://ojs.sites.ufsc.br/index.php/mixsustentavel/issue/feed MIX Sustentável 2024-02-08T18:11:22+00:00 Lisiane Ilha Librelotto lisiane.librelotto@ufsc.br Open Journal Systems <p><strong>ATUALIZAÇÃO IMPORTANTE:</strong></p> <p>Em reunião o comitê editorial da MIX Sustentável definiu como 5 o número máximo de autores por artigo. </p> <p><strong>ATENÇÃO:</strong></p> <p>Em função do grande número de submissões para o periódico Mix Sustentável além da quantidade de submissões que já se encontram no fluxo editorial cujo ciclo submissão /publicação médio encontra-se em 6 meses, o conselho de editores decidiu pela suspensão de submissões em português por tempo indeterminado.</p> <p>Todavia, comunicamos que submissões em inglês ou espanhol ainda serão recebidas, sendo que essas receberão prioridade na fila de publicações. Da mesma forma, aos autores cujos artigos que já estejam no fluxo avaliativo, encorajamos a atualização da versão para o espanhol ou inglês de sorte a manter sua prioridade.</p> <p>Desta forma, a partir de 10/08/2023 todas as submissões em português serão retornadas aos autores.</p> <p>Em caso de dúvidas por favor entrem em contato com equipe editorial. Pela atenção recebida, nossos agradecimentos.</p> <p>Lisiane Ilha Librelotto e Paulo Cesar Machado Ferroli.</p> <p><strong>Revista Mix Sustentável</strong></p> <p>Publicação Quadrimestral, com pelo menos uma edição especial, para disseminação do conhecimento científico/tecnológico interdisciplinar do projeto voltado à sustentabilidade.</p> <p>Submissão em fluxo contínuo.</p> <p>Idioma= Português, Inglês ou Espanhol.</p> <p><a href="https://ufsc.br/">Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC</a></p> <p><a href="https://portalvirtuhab.paginas.ufsc.br/">Grupo de Pesquisa VirtuHab</a></p> <p>ESSN - <strong> 2447-3073</strong></p> <p>ISSN - <strong>2447-0899</strong></p> <p>Criada em 06/2015.</p> <p><strong>QUALIS CAPES Novo Ciclo Avaliativo 2017-2020 - </strong><strong>QUALIS A3</strong></p> <p>Fator de impacto - 0,76 (2020, 2021)</p> <p>H index Google Scholar - 11 (2023)</p> <p>Acesse o perfil da <a title="Google Scholar - Mix Sustentável" href="https://scholar.google.com.br/citations?user=mf5n8pIAAAAJ&amp;hl=pt-BR">Revista Mix Sustentável no Google Scholar</a></p> <p> </p> https://ojs.sites.ufsc.br/index.php/mixsustentavel/article/view/7278 ENTREVISTA 2024-01-29T15:05:11+00:00 Raquel Gomes Noronha raquel.noronha@ufma.br <p>Entrevista</p> 2024-02-08T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Raquel Gomes Noronha https://ojs.sites.ufsc.br/index.php/mixsustentavel/article/view/6226 SUSTENTIBILIDADE DE CONCRETOS COM O USO DE MATERIAIS ALTERNATIVOS 2023-10-05T19:32:29+00:00 Cristiane Carine dos Santos cristiane.c.santos@ufsm.br Paulo Vinicius Fischer Martins paulo_vinicius04@hotmail.com <p>O&nbsp; trabalho buscou analisar e comparar o potencial do uso da cinza de casca de arroz (CCA) e da sílica de casca de arroz (SCA) em misturas separadas, como material de substituição parcial do cimento e também a redução do mesmo em diferentes traços de concreto. Produziu-se um traço referência, e a partir dele realizaram-se as substituições e reduções parciais de cimento em diferentes teores. As análises permitiram identificar qual das duas pozolanas estudadas apresentou o melhor desempenho. O estudo mostrou que quanto maior for o índice de substituição de cimento por alguma das pozolanas maior será a consistência adquirida pelo concreto, perdendo a fluidez. As misturas apresentaram-se com pouca diferença entre si quanto ao índice de vazios, massa especifica e absorção de água.&nbsp; O estudo mostra que os traços com SCA tiveram resultados superiores aos traços com CCA, também, que é viável a substituição parcial do cimento por qualquer um dos dois tipos de pozolanas estudadas, aumentando a resistência a compressão axial do concreto, conseguindo benefícios técnicos e economia financeira, uma vez que diminui o consumo de cimento e consegue-se dar um fim adequado a esses resíduos.</p> 2024-02-08T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Cristiane Carine dos Santos https://ojs.sites.ufsc.br/index.php/mixsustentavel/article/view/6326 EFEITO DA TECNOLOGIA DE FOGÕES RESIDENCIAIS NAS EMISSÕES GASOSAS DA COMBUSTÃO DA BIOMASSA 2023-10-16T12:27:20+00:00 Matheus Poletto mpolett1@ucs.br Carlos Henrique Medina Guedes chmguedes@ucs.br <p><em>A crescente utilização da biomassa para cozimento e aquecimento acarreta no aumento das preocupações ambientais quanto à poluição do ar atmosférico pelos gases emitidos durante sua combustão. Neste trabalho foram examinadas as emissões gasosas de dois fogões a lenha residenciais. Comparam-se as emissões de fogões a lenha convencionais de estágio único e de estágio triplo utilizando como combustível as madeiras de Eucalyptus grandis (EUG) e Pinus elliottii (PIE). As emissões de monóxido de carbono foram reduzidas em 102% e 240% quando as toras de madeira de PIE e EUG foram queimadas em fogão de combustão tripla. O sistema de combustão tripla apresentou emissões totais de compostos orgânicos voláteis e formaldeído superiores às obtidas no sistema convencional, possivelmente devido à mistura de ambas as emissões gasosas com vapor de água durante a combustão. Os resultados indicaram que a utilização do fogão de combustão tripla, com algumas adaptações, seria benéfica para a qualidade do ar local, saúde individual e para redução das mudanças climáticas globais. </em></p> 2024-02-08T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Matheus Poletto, Carlos Henrique Medina Guedes https://ojs.sites.ufsc.br/index.php/mixsustentavel/article/view/6539 DESIGN E UNIVERSIDADE: UM OLHAR PARA AS DIFERENÇAS REGIONAIS 2023-09-28T19:42:59+00:00 Letícia Faria Teixeira leticiafariatx@gmail.com Altem Nascimento Pontes altem.pontes@uepa.br <p>O design como área do conhecimento é um importante fator contribuinte para o desenvolvimento regional. No entanto, outro conceito a ser trabalhado para o desenvolvimento local é a sustentabilidade, que contempla fatores econômicos, sociais e ambientais. A partir disso, o artigo busca analisar a presença do design em instituições públicas de ensino na região amazônica quando comparadas a outras regiões do país, bem como verificar a abordagem sustentável trabalhada nos cursos de design da Amazônia Legal Brasileira (ALB). Para isso, foi realizado um mapeamento dos cursos de graduação e pós-graduação (stricto sensu) em design e um levantamento para identificar grupos de pesquisa, projetos de pesquisa e extensão e produção intelectual no ano de 2021, sendo aplicado análise estatística nos dados coletados. Como resultado, foram identificadas disparidades significativas quanto a presença do design no ensino superior nas regiões do país, tendo a região norte, a qual abrange sete dos nove estados da ALB, o menor quantitativo referente ao ensino e pesquisa em design no país. Sendo perceptível a presença dos cursos de design em regiões com maiores índices de urbanização e industrialização, enquanto na região amazônica a temática do design apresenta uma baixa presença e discussão quando comparada a outras regiões.</p> 2024-02-08T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Letícia Faria Teixeira, Altem Nascimento Pontes https://ojs.sites.ufsc.br/index.php/mixsustentavel/article/view/6338 4 - MANUFATURA ADITIVA E RECICLAGEM DISTRIBUÍDA: O LIXO COMO MATÉRIA PRIMA NO DESIGN E FABRICAÇÃO DE OBJETOS UTILITÁRIOS 2023-10-16T16:21:36+00:00 João Victor Correia de Melo jvictor23@gmail.com <p>As primeiras décadas do século XXI testemunharam dois grandes acontecimentos: a inserção da China no mercado de fornecimento global e a popularização da Internet. Os mais diversos segmentos da indústria foram afetados por uma avalanche de ofertas e queda de preços de novas máquinas e produtos, entre eles as tecnologias de Manufatura Aditiva. Essa tecnologia permite a produção em menor escala e com valores mais baixos do que os métodos tradicionais de produção de artefatos. Essa conexão, aliada ao reaproveitamento de resíduos da produção local, pode revolucionar as cadeias de suprimentos e a circularidade no desenvolvimento e na distribuição de objetos. Este trabalho demonstra o desenvolvimento de um sistema de manufatura aditiva alinhado à reciclagem distribuída considerando seus impactos, vantagens, desvantagens e possibilidades de aplicação no cenário brasileiro, em termos de sustentabilidade e circularidade dos processos.</p> 2024-02-08T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 João Victor Correia de Melo https://ojs.sites.ufsc.br/index.php/mixsustentavel/article/view/6532 5 - DESAFIOS DO MONITORAMENTO AMBIENTAL NO COMPLEXO INTEGRADO DE RECICLAGEM DO DISTRITO FEDERAL/DF 2023-11-30T18:47:35+00:00 Roberta Carolina Assunção Faria robertacfaria7@gmail.com Erondina Azevedo de Lima erondinaazevedo@unb.br Eduardo Jonathan Ramos e Silva Sampaio sampaio.eduardo@aluno.unb.br Caio Frederico e Silva caiosilva@unb.br <p>O Complexo Integrado de Reciclagem do DF contribui significativamente para a redução do impacto ambiental do lixo produzido pela metrópole brasiliense, pois, proporciona a reciclagem de materiais que seriam levados para aterros sanitários, além de empregar cerca de 450 catadores. Posto isso, este trabalho buscou monitorar a qualidade do ar dos espaços de galpão do CIR/DF, verificando a concentração de CO<sub>2</sub>, temperatura e umidade, no período de intenso calor e seca, relacionando os dados com medidas de conforto adaptativo a fim de contribuir com a gestão do espaço. Os resultados apontaram que a concentração de CO<sub>2</sub> está abaixo de 3.900ppm em 48h semanais indicados pela NR 15. As temperaturas verificadas entre os seis dias monitorados estão, em sua maioria, abaixo de 50% da zona de conforto e os dados de umidade também estão abaixo dos 40% limite indicados pela NR 17. Dessa forma, o Complexo enfrenta desafios relacionados ao conforto ambiental interno dos galpões, o que pode ser melhorado aplicando estratégias para a renovação do ar mais adequadas ao local.</p> 2024-02-08T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Roberta Carolina Assunção Faria, Erondina Azevedo de Lima, Eduardo Jonathan Ramos e Silva Sampaio, Caio Frederico e Silva https://ojs.sites.ufsc.br/index.php/mixsustentavel/article/view/6598 6 - ACV COM ANÁLISE DE INCERTEZAS: REVISÃO DA LITERATURA E POTENCIAL EMPREGO NAS RODOVIAS FEDERAIS BRASILEIRAS 2024-01-05T13:10:53+00:00 Bruno Vendramini dos Santos vendramini.bruno@gmail.com Maruska Lima de Sousa Holanda maruskalimaholanda@gmail.com João Henrique Silva Rêgo jhenriquerego@unb.b Cláudio Henrique de Almeida Feitosa Pereira claudiopereira@unb.br <p><em>O artigo oferece uma revisão sistemática da literatura, destacando os recentes avanços no uso da Metodologia de Avaliação do Ciclo de Vida (ACV) em projetos rodoviários, combinando-a com técnicas de análise de incertezas. Considerando os expressivos investimentos previstos para a malha rodoviária federal brasileira nos próximos anos, é essencial que as soluções de projeto sejam desenvolvidas visando mitigar os seus impactos ambientais. No entanto, o Brasil enfrenta desafios relacionados à disponibilidade e qualidade de dados ambientais dos principais insumos rodoviários, além da ausência de emprego da metodologia ACV como ferramenta de gestão das rodovias federais. A metodologia empregada priorizou a busca de artigos científicos na base de dados da Web of Science no período entre 2010 e 2023. Os resultados destacam as principais deficiências e avanços observados nas pesquisas, e indicam alternativas para o desenvolvimento de um estudo de caso visando melhor investigar a viabilidade do uso conjunto da metodologia ACV com técnicas de análise de incerteza no contexto nacional. </em></p> 2024-02-08T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 BRUNO VENDRAMINI DOS SANTOS, Maruska Lima de Sousa Holanda, João Henrique Silva Rêgo, Cláudio Henrique de Almeida Feitosa Pereira https://ojs.sites.ufsc.br/index.php/mixsustentavel/article/view/6401 7 - ANÁLISE DO CONSUMO DE ÁGUA E ENERGIA DE UMA CONSTRUÇÃO VERDE RESIDENCIAL VERTICAL NA AMAZÔNIA 2023-11-24T13:41:43+00:00 Raphael Santos de Magalhães raphamag77@gmail.com Wylliam Bessa Santana wylliam.santana@ifpa.edu.br Luiz Maurício Furtado Maués maues@ufpa.br Gleyde Izabela Fernandes Chaves g.izabelaeng@gmail.com <p><em>Diante da necessidade global em reduzir o consumo de recursos, as certificações ambientais se apresentam como uma possibilidade de ganho de eficiência na construção civil. Este trabalho buscou mensurar o consumo energético e hídrico de uma construção verde multifamiliar residencial vertical localizada em Belém, na Amazônia brasileira. Foram comparados os dados de consumo energético e hídrico de dois edifícios similares, onde apenas um deles implementou práticas e tecnologias verdes obrigatórias para a certificação ambiental Leadership in Energy and Environmental Design (LEED) Envoltória e Núcleo Central. Como resultado, foi obtido que o consumo de água foi maior que o estimado em 30,64%, por outro lado, o consumo de energia elétrica foi 24,6% abaixo do estimado em projeto e 1,73% abaixo da edificação construída sem qualquer prática ou tecnologia verde. Estes achados destoam de algumas literaturas encontradas e demonstram que o comportamento dos usuários pode ser preponderante na eficiência energética e hídrica de tecnologias verdes de construção. Sobretudo em relação ao consumo de água na região amazônica, onde o alto consumo deste recurso na região pode ter relação com a abundância e o descaso do usuário com este recurso.</em></p> 2024-02-08T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Wylliam Santana, Raphael Magalhães, Luiz Maurício Maués, Gleyde Chaves https://ojs.sites.ufsc.br/index.php/mixsustentavel/article/view/6262 8 - SOLUÇÕES BASEADAS NA NATUREZA (SBN) EM UMA CIDADE INTELIGENTE NO SUL DO BRASIL 2023-11-07T11:48:55+00:00 Graziela Breitenbauch de Moura graziela.brei@gmail.com Tatiane Silva Hrysyki tatiane.tds@hotmail.com Joaquim Olinto Branco branco@univali.br <p>Esta pesquisa tem como objetivo analisar soluções baseadas na natureza (SBN) na gestão de processos de (re)naturalização dos recursos em uma cidade inteligente. Para isso, descreve o planejamento, a execução, o manejo, a manutenção e o acompanhamento de uma gestão que desenvolve ações com o uso de SBN em uma cidade inteligente. O artigo apresenta a metodologia de abordagem qualitativa fundamentada no paradigma interpretativo utilizando o estudo de caso único com propósito descritivo-exploratório da pesquisa. O caso está vinculado às ações e movimentos implantados pelo Instituto Itajaí Sustentável - INIS do município de Itajaí, localizado no Estado de Santa Catarina (SC), Brasil. Percebe-se que o incremento de políticas públicas voltadas ao ambiente e ecossistemas traz resultados para que a gestão possa além da fiscalização, ser participativa e socializadora mediando movimentos e ações sustentáveis junto à sociedade civil e ao setor privado. A cidade inteligente, com o auxílio do INIS, possui projetos voltados ao desenvolvimento de SBN que podem ser adaptados e replicados em regiões, cidades e países.</p> 2024-02-08T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Graziela Breitenbauch de Moura https://ojs.sites.ufsc.br/index.php/mixsustentavel/article/view/6379 9 - INFLUÊNCIA DAS ALTAS TEMPERATURAS NA RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO DO COMPÓSITO REJEITO DE MINÉRIO DE FERRO/CIMENTO 2023-11-16T19:05:35+00:00 Edgar Vladimiro Mantilla Carrasco mantilla.carrasco@gmail.com Judy Norka Rodo Mantilla judynorka@gmail.com Eliene Pires Carvalho eliene@cefetmg.br Marco Antônio Penido de Rezende marco.penido.rezende@hotmail.com Rejane Costa Alves rejanealves.ufes@gmail.com Maria Teresa Gomes Barbosa teresa.barbosa@ufjf.br White José dos Santos white.santos@demc.ufmg.br <p>O objetivo desse estudo é analisar a resistência à compressão e a perda de massa de argamassas produzidas com rejeito de minério de ferro (IOT) e com cimento, quando submetidas a elevadas temperaturas. Os corpos de prova (CPs) foram expostos a diferentes níveis de temperatura (100 <sup>o</sup>C até 1100 <sup>o</sup>C). Posteriormente, foram ensaios à compressão axial. Os resultados mostraram que, com o aumento da temperatura, houve perda da resistência. A perda de resistência mostrou-se linear e, mais rápida a partir dos 350 <sup>o</sup>C. Os CPs submetidos a 1100 <sup>o</sup>C apresentaram uma perda de resistência de 80%, porém a perda de massa foi inferior a 5%. Uma das contribuições desse estudo, corroborando com as pesquisas atuais, é ressaltar a importância dos compósitos (IOT/cimento) como uma alternativa sustentável e economicamente viável, uma vez que o rejeito de minério de ferro é gerado em grande quantidade durante o processo de beneficiamento. Outra contribuição é mostrar que esses compósitos podem resultar em argamassas com considerável redução da resistência à compressão e pequena perda de massa, quando submetidas a temperaturas elevadas. Também ressaltar que eles atendem a todos os requisitos de desempenho e segurança em situações de incêndio, podendo ser considerado um produto incombustível.</p> 2024-02-08T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Edgar Vladimiro Mantilla Carrasco, Judy Norka Rodo Mantilla, Eliene Pires Carvalho, Marco Antônio Penido de Rezende, Rejane Costa Alves, Maria Teresa Gomes Barbosa, White José dos Santos https://ojs.sites.ufsc.br/index.php/mixsustentavel/article/view/6125 10 - PRODUÇÃO ARTESANAL DO ADOBE E COMPOSIÇÃO ORÇAMENTÁRIA NO EIXO ITABUNA-ILHÉUS-URUÇUCA, BA 2023-06-26T20:29:59+00:00 Luiz Eduardo Souza da Silva luiz.silva@ufsb.edu.br Silvia Kimo Costa skcosta@ufsb.edu.br <p>Este artigo apresenta os resultados da pesquisa que objetivou analisar o processo de fabricação do adobe no eixo Itabuna-Ilhéus-Uruçuca, municípios localizados no Litoral Sul do Estado da Bahia, considerando os custos associados à sua manufatura (composição orçamentária) de modo a possibilitar a fabricação e comércio (em maior escala) por comunidades de baixa renda. A pesquisa possibilitou o registro descritivo dos métodos de fabricação do adobe; identificação do(s) processo(s) de fabricação de melhor custo/benefício e elaboração da composição orçamentária considerando o processo de fabricação de melhor custo/benefício. Tais resultados contribuem para o subsídio de políticas públicas voltadas para a sustentabilidade e minimização do impacto ambiental advindo do processo construtivo habitacional.</p> 2024-02-08T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Luiz Eduardo Souza da Silva, Silvia Kimo Costa https://ojs.sites.ufsc.br/index.php/mixsustentavel/article/view/6160 11 - A PREMISSA DE SUSTENTABILIDADE DOS DIAMANTES SINTÉTICOS 2023-06-29T21:16:19+00:00 Paulina Helena Zanluchi Mior zanluchi.mior@ufrgs.br Jocelise Jacques de Jacques jocelise.jacques@ufrgs.br Lauren da Cunha Duarte lauren.duarte@ufrgs.br <p>O diamante é um mineral imprescindível na sociedade contemporânea, seja por seu uso prático na indústria ou simbólico na joalheria. Dentro disso, há uma constante demanda, suprida parcialmente pelos diamantes sintéticos. Com a necessidade de ponderar acerca de atributos de sustentabilidade comentados pela mídia, neste estudo busca-se discutir se o diamante sintético pode ser considerado ambientalmente amigável. O estudo foi realizado por meio de revisão de literatura com objetivo de analisar os insumos utilizados na síntese do material, bem como, na padronização dos recursos utilizados no processo em diferentes localidades do mundo. Conforme estes critérios o diamante sintético não pode ainda ser caracterizado como um produto verde, devido à carência de transparência do seu processo produtivo.</p> 2024-02-08T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Paulina Helena Zanluchi Mior, Jocelise Jacques de Jacques, Lauren da Cunha Duarte https://ojs.sites.ufsc.br/index.php/mixsustentavel/article/view/6934 12 - USO DE EDIFICAÇÕES & CONFORTO TÉRMICO: ESTUDO DE CASO EM DIFERENTES ZONAS BIOCLIMÁTICAS BRASILEIRAS 2024-01-05T14:35:06+00:00 Paulo Eduardo Mezzomo da Silva pauloemezzomo@gmail.com Andrea Parisi Kern apkern@unisinos.br Maria Fernanda de Oliveira maria.fernanda@unicamp.br <p><em>Este trabalho investiga diferenças no conformto térmico de edificações devido a diferenças de uso em edificações residenciais (permancência de pessoas) aos padrões de uso previsto na norma brasileira de Conforto, considerando diferentes zonas bioclimáticas. O trabalho se baseia na diferença de ocupação das residências nos últimos anos, especialmente devido à maior flexibilidade e trabalho remoto, por exemplo. Diferentes cenários foram simulados, considerando um projeto arquitetônico de uma casa residencial e um edifício de 4 pavimentos, tendo também como variáveis uso de equipamentos, presença de moradores, janelas abertas e 4 zonas bioclimáticas. O padrão de uso preconizado pela Norma Brasileira considera a presença de pessoas nas residencias somente no turno da noite, enquanto este estudo investiga cenários alternativos, com ocupação das residências noite e dia. Os resultados mostram que os cenários alternativos apresentam menores percentuais anuais de horas na faixa de conforto térmico e maiores horas-graus em desconforto. Também aponta diferenças nos resultados entre as zonas de climas frio e quentes. </em></p> 2024-02-08T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Andrea Parisi Kern https://ojs.sites.ufsc.br/index.php/mixsustentavel/article/view/6215 13-ANÁLISE CRÍTICA DO PLANO DE GESTÃO INTEGRADA DOS RESÍDUOS SÓLIDOS DO MUNICÍPIO DE GUARULHOS/SP 2023-09-06T17:47:36+00:00 Ageu Camargo adv.ageu@gmail.com Gabriel Sousa de Freitas gsousadefreitas@gmail.com Márcio Magera Conceição marcio.conceicao@ung.br Fabricio Bau Dalmas fbdalmas@gmail.com <p>O estudo do consumo sustentável na sociedade atual é de suma importância para a melhora na qualidade de vida e para a sobrevivência das gerações futuras. Neste sentido, o presente estudo visa abordar como a legislação de proteção ao consumidor, no caso, o Código de Defesa do Consumidor Lei nº 8078/1990, e a legislação sobre a Política Nacional dos Resíduos Sólidos, Lei nº 12.305/2010, contemplam formas e dispositivos capazes de promover a proteção ambiental por meio do chamado consumo sustentável, a logística reversa dos resíduos sólidos, bem como o Decreto nº 31513/2.013 que aprova o Plano de Gestão Integrada dos Resíduos Sólidos de Guarulhos, pode propor uma solução prática da Logística Reversa, em especial no Município de Guarulhos. Nessa esteira, através de pesquisa bibliográfica, realiza-se um estudo teórico e com análise de dados secundários, retirados do site da CETESB e SEADE, sobre produção de resíduos sólidos urbanos e crescimento populacional de Guarulhos, respectivamente. Inicialmente foi abordada a origem e finalidade do direito brasileiro do consumidor, seu conceito jurídico fundamental, bem com os direitos básicos do consumidor. Em seguida, aludiu-se à temática da previsão normativa da questão ambiental em determinadas normas jurídicas do Código de Defesa do Consumidor. </p> 2024-02-08T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Ageu Camargo, Gabriel Sousa de Freitas, Márcio Magera Conceição , Fabricio Bau Dalmas https://ojs.sites.ufsc.br/index.php/mixsustentavel/article/view/5925 14 - UTILIZAÇÃO DE DISPOSITIVOS MÓVEIS NOS SISTEMAS DE MACRODRENAGEM DA CIDADE DO RECIFE-PE 2023-06-01T21:22:06+00:00 Cíntia Rafaela Lima dos Santos crls@poli.br Willames de Albuquerque Soares was@poli.br Damires Braz da Silva dbs5@poli.br <p>Os caminhos que circulam as águas pluviais são de suma importância para um sistema de drenagem urbana, uma vez que sua principal funcionalidade é capturar e controlar o volume de água transportada do solo para a rede existente, até sua chegada nos rios e mares. Com a urbanização desordenada, o volume de lixo produzido cresce e os sistemas de escoamento são prejudicados. Deste modo, o presente trabalho apresenta dispositivos criados e implantados no grupo de macrodrenagem na cidade do Recife. Estruturas flutuantes, nomeadas por ecobarreias, foram instaladas transversalmente nas calhas dos canais (Setúbal, Jordão e Vasco da Gama), nos trechos próximos à foz, com o objetivo de reter o lixo flutuante, removê-los e dar a destinação adequada. Os resultados obtidos se mostraram convincentes, uma vez que com a implantação de uma quantidade mínima de dispositivos, foram removidas mais de quinhentas toneladas de detritos, que obstruiriam o sistema de macrodrenagem, e assim, provocaria maiores transtornos às populações das planícies urbanas, associados ainda às doenças de veiculação hídrica e a poluição das águas urbanas.</p> 2024-02-08T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 cintia rafaela, Willames de Albuquerque https://ojs.sites.ufsc.br/index.php/mixsustentavel/article/view/6511 15 - AFFORDANCE DA RUA: INTERAÇÃO HOMEM-AMBIENTE NO PROCESSO DE PROJETO DO ESPAÇO URBANO 2023-11-22T12:28:55+00:00 Arnoldo Debatin Neto debatin.neto@ufsc.br Francis Graeff de Oliveira francisgraeff@gmail.com <p>Os incentivos para a caminhada como modo de transporte são parte integral da Política Nacional Brasileira de Mobilidade Urbana, Lei Federal 12.587/2012. Apesar disso, as abordagens de design para as ruas são atualmente baseadas no transporte motorizado, o que não representa o apoio necessário para caminhar ou para atividades sociais, culturais ou de lazer. Durante sua evolução, as ruas refletiram contextos históricos, econômicos, políticos e sociais, influenciando e sendo influenciadas pela vida urbana. Contudo, o advento de novas tecnologias em engnharia de tráfego, construção civil e comunicação, mudou esse cenário e os sistemas de tráfego começaram a guiar o design das ruas. Pesquisas sobre caminhabilidade como modo de transporte tem mostrado a influência do espaço da rua na decisão das pessoas em caminhar. Estudos sobre ambiente e comportamento trazem um conhecimento robusto da interação homem-ambiente para a teoria da Arquitetura e Urbanismo. Este conhecimento é essencial na transição de projetos baseados em teorias normativas para um projeto de rua contemporâneo. A Teoria da Affordance fornece uma compreensão da interação transacional da pessoa com o ambiente. Para alcançar o design integral da rua, adaptou-se, para esse artigo, a metodologia do Design Baseado em Affordance. </p> 2024-02-08T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Arnoldo Debatin Neto, Francis Graeff de Oliveira https://ojs.sites.ufsc.br/index.php/mixsustentavel/article/view/6513 FERRAMENTA DE DESIGN PARA AVALIAR EXPERIÊNCIAS DE MATERIAIS DESENVOLVIDOS COM RESÍDUOS AGROINDUSTRIAIS DA AMAZÔNIA 2023-09-08T21:48:01+00:00 Lauro Arthur Farias Paiva Cohen laurocohenn@gmail.com Eliane Ayres eliane.ayres.pu@gmail.com <p>A região amazônica abriga grande biodiversidade e uma população com conhecimentos tradicionais profundamente ligados à gestão dos recursos naturais. Apesar da pluralidade do seu território, grandes espaços estão em constante processo de urbanização, havendo uma crescente procura por alternativas em matéria de resíduos. A cadeia produtiva do Açaí (<em>Euterpe oleracea</em> Mart.) é uma das mais importantes para a região, sua importância está relacionada à identidade cultural, ao valor econômico e aos benefícios à saúde que o consumo da fruta promove. Porém, a elevada produção, derivada do processamento industrial, é responsável por problemas ambientais e sociais nas principais cidades da região. Desenvolvido por Camera e Karana (2018), o Ma2E4 é um conjunto de ferramentas que visa ajudar a compreender como as pessoas avaliam um determinado material, em quatro níveis experienciais diferentes: sensorial, interpretativo, afetivo e performativo. Portanto, o presente trabalho tem como objetivo avaliar materiais compósitos, desenvolvidos com fibras de PLA/Açaí e sementes de PLA/Açaí, utilizando ferramentas Ma2E4. Através de uma avaliação qualitativa foi possível identificar padrões sensoriais entre os materiais desenvolvidos.</p> 2024-02-08T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Lauro Arthur Farias Paiva Cohen, Eliane Ayres https://ojs.sites.ufsc.br/index.php/mixsustentavel/article/view/7263 UM DESIGN ESTRATÉGICO FEMINISTA - UMA PROPOSTA TEÓRICO-METODOLÓGICA OPERADA NO CONTEXTO DA CIDADE 2024-01-17T14:07:18+00:00 Giulia Locatelli e Silva giulialocatelliesilva@gmail.com Karine de Mello Freire kmfreire@gmail.com <p style="font-weight: 400;">A presente pesquisa analisou os modos sob os quais a estrutura e o planejamento das cidades, construídas sob um contexto patriarcal, interferem na vida cotidiana das mulheres. A partir disso, recorreu-se ao feminismo como um campo de conhecimento sob o qual é possível construir novas perspectivas de futuro e de sociedade, compreendendo-o como uma epistemologia capaz de romper com os modelos projetuais dominantes, seja nas cidades ou no design estratégico. </p> 2024-02-08T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Giulia Locatelli https://ojs.sites.ufsc.br/index.php/mixsustentavel/article/view/6529 DESIGN CIRCULAR PARA A GESTÃO DE RESÍDUOS TÊXTEIS 2023-09-22T11:29:33+00:00 Maria Eloisa de Jesus Conceição mariaeloisa.jcq@gmail.com Jorge Roberto Lopes dos Santos jorge.lopes@puc-rio.br Cláudio Freitas de Magalhães claudio-design@puc-rio.br <p>Resumo de doutorado.</p> 2024-02-08T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Maria Eloisa Conceição, Jorge Lopes, Claúdio Magalhães