https://ojs.sites.ufsc.br/index.php/mixsustentavel/issue/feed MIX Sustentável 2022-12-01T18:33:05+00:00 Lisiane Ilha Librelotto lisiane.librelotto@ufsc.br Open Journal Systems <p>Revista Mix Sustentável</p> <p>Publicação Quadrimestral, com pelo menos uma edição especial, para disseminação do conhecimento científico/tecnológico interdisciplinar do projeto voltado à sustentabilidade.</p> <p>Submissão em fluxo contínuo.</p> <p>Idioma= Português, Inglês ou Espanhol.</p> <p><a href="https://ufsc.br/">Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC</a></p> <p><a href="https://portalvirtuhab.paginas.ufsc.br/">Grupo de Pesquisa VirtuHab</a></p> <p>ESSN - <strong> 2447-3073</strong></p> <p>ISSN - <strong>2447-0899</strong></p> <p>Criado em 06/2015.</p> <p>Áreas do Conhecimento com indexação na CAPES:</p> <p>Nível 1 -Do colégio de Humanidades -</p> <p>Nível 2- Ciências Sociais Aplicadas</p> <p>ARQUITETURA, URBANISMO E DESIGN</p> <p>60400005 ARQUITETURA E URBANISMO</p> <p>61200000 DESENHO INDUSTRIAL</p> <p>Nível 1 - Do colégio de Ciências Exatas, Tecnológicas e Multidisciplinas</p> <p>Nível 2 - 30000009 ENGENHARIAS</p> <p>ÁREA DE AVALIAÇÃO: ENGENHARIAS I</p> <p>30100003 ENGENHARIA CIVIL</p> <p>30700000 ENGENHARIA SANITÁRIA</p> <p>Àreas de avaliação: ENGENHARIAS III</p> <p>Nível 2 - MULDISCIPLINAR</p> <p>Ciências Ambientais</p> <p>Interdisciplinar</p> <p><strong>QUALIS CAPES Ciclo Avaliativo 2013-2016 em 7 áreas do conhecimento</strong></p> <p>B5 nas áreas: Arquitetura, Urbanismo e Design; Comunicação e Informação; Engenharias I, Engenharias III, Interdisciplinar; Ciências Ambientais e Comunicação e Informação.</p> <p>B4 na área: Administração Pública e de Empresas, Ciências Contábeis e Turismo.</p> <p><strong>Indicação QUALIS CAPES Novo Ciclo Avaliativo</strong></p> <p><strong>QUALIS A4</strong></p> <p>Fator de impacto - 0,76</p> <p>H index Google Scholar - 8</p> <p>Acesse o perfil da <a title="Google Scholar - Mix Sustentável" href="https://scholar.google.com.br/citations?user=mf5n8pIAAAAJ&amp;hl=pt-BR">Revista Mix Sustentável no Google Scholar</a></p> https://ojs.sites.ufsc.br/index.php/mixsustentavel/article/view/5733 Editorial 2022-12-01T17:31:12+00:00 Lisiane ILha Librelotto lisiane.librelotto@gmail.com Paulo Cesar Machado Ferroli ferroli@cce.ufsc.br <p>Editorial</p> 2022-12-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Lisiane ILha Librelotto, Paulo Cesar Machado Ferroli https://ojs.sites.ufsc.br/index.php/mixsustentavel/article/view/5729 Entrevista - Lisiane Ilha Librelotto 2022-12-01T11:24:26+00:00 Lisiane Ilha Librelotto lisiane.librelotto@ufsc.br <p>Esta edição, é a primeira da série que traz como entrevistados os editores da revista MIX Sustentável: Paulo Cesar Machado Ferroli e Lisiane Ilha Librelotto. Ambos têm dedicado sua trajetória acadêmica à sustentabilidade. Enquanto pesquisadores, suas formações em engenharia e atuação nas ciências sociais aplicadas, guardam muitas semelhanças, principalmente na busca por alternativas mais sustentáveis de produção. Nessa edição a professora e pesquisadora Lisiane Ilha Librelotto destaca os pontos de sua trajetória acadêmica que lhe conduziram a atuação em pesquisa-ensino-extensão com a sustentabilidade. Enquanto engenheira civil, Lisiane centrou sua atuação no setor de edificações, buscando soluções que possam conduzir à redução de impactos ambientais e a uma gestão para a sustentabilidade. Juntos, os professores compartilham sua trajetória na condução do Grupo de Pesquisa Virtuhab e em outros importantes projetos, como a editoração da Mix Sustentável e a promoção anual do evento ENSUS - Encontro de Sustentabilidade em Projeto.</p> 2022-12-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Lisiane Ilha Librelotto https://ojs.sites.ufsc.br/index.php/mixsustentavel/article/view/5421 UMA EVOLUÇÃO DA TEMPERATURA DE SUPERFÍCIE EM ATERRO SANITÁRIO NO MUNICÍPIO DE GOIÂNIA/GO (1985-2020) 2022-07-06T13:31:47+00:00 Estéfane da Silva Lopes estefane_lopes@hotmail.com Patrícia Sousa Marques patriciasmwin@gmail.com <p>A disposição final de Resíduos Sólidos Urbanos é um dos maiores problemas de saneamento básico encontrado no Brasil e no Estado de Goiás. O aumento da temperatura de superfície nestes locais traz transtornos sociais, ambientais e econômicos. A Política Nacional de Resíduos Sólidos determina a finalização dos lixões a céu aberto e a disposição final dos resíduos sólidos em aterros sanitários em áreas favoráveis ambientalmente adequadas de rejeitos. Nesse sentido o objetivo desta pesquisa é avaliar a temperatura de superfície do aterro sanitário de Goiânia, capital de Goiás, entre o período de 1985 a 2020, por meio de imagens de satélite Landsat 8 (banda10) afim de, promover o bem-estar da população local e a preservação do meio ambiente e saúde pública. Foi verificado nesse estudo que o aterro sanitário de Goiânia apresentou um aumento de 1,4°C na temperatura de superfície em relação ao período de (1985 a 2020). De um modo geral, observou-se que as áreas com maiores concentrações de matéria orgânica apresentaram maior incidência ao aumento de temperatura local, fato este justificado pela emanação de gases gerados pela decomposição da matéria orgânica como gás carbônico e metano.</p> 2022-12-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Estéfane da Silva Lopes, Sra. https://ojs.sites.ufsc.br/index.php/mixsustentavel/article/view/5581 SUSTENTABILIDADE ENERGÉTICA NO PROGRAMA HABITACIONAL VENEZUELANO GMVV 2022-09-26T21:31:04+00:00 Andrade Serrano Oriana Yenahi oriana.serrano@fau.ufal.br Alexandre Márcio Toledo Toledo alexandre.toledo@fau.ufal.br <p>No propósito de contribuir na reflexão e avanço na definição de metodologias, criterios e regulações locais entorno a sustentabilidade energética na arquitetura, a presente dissertação de mestrado em arquitetura e urbanismo objetiva avaliar o impacto da incorporação de estratégias e parâmetros de desenho pertinentes à sustentabilidade energética no mais recente Programa Habitacional Venezuelano, a GMVV. Utilizou-se o procedimento de simulação computacional através do Ecodesigner do Graphisoft Archicad 23 sobre uma situação tipo do Programa,para a avaliação comparativa de três cenários de desempenho.</p> 2022-12-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Oriana Yenahi Andrade Serrano https://ojs.sites.ufsc.br/index.php/mixsustentavel/article/view/5540 EQUIPAMENTOS COMUNITÁRIOS COMO ESTRATÉGIA PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL 2022-09-15T12:39:46+00:00 Patrícia de Freitas Nerbas patriciafnerbas@gmail.com Márcia Azevedo de Lima malima.mgo@gmail.com Diógenes Igor Lazzaretti d.lazzaretti@hotmail.com Nichele Rossi nichelerossi@hotmail.com Marthial Rieger Morem Gomes marthialmorem@gmail.co <p>A escassez de recursos econômicos é uma realidade, especialmente nos países subdesenvolvidos e em desenvolvimento que, devido à pandemia da COVID-19, vem se agravando ainda mais. Por isso, ressalta-se a importância de buscar soluções que ajudem a mitigar essa escassez, através da arquitetura e desenho urbano, mais adequado para nossas cidades. Neste sentido, este artigo propõe uma discussão sobre espaços comunitários voltados para a capacitação e geração de renda, identificando desafios e oportunidades, especialmente em comunidades vulneráveis. São analisados projetos de diferentes países da América Latina que procuram responder demandas locais, por meio de tecnologias sociais e processos colaborativos de projeto e autoconstrução assistida, com o intuito de identificar características comuns entre os projetos. Assim, considerando os objetivos de desenvolvimento sustentável da Agenda 2030, este artigo pretende contribuir para o debate de soluções de arquitetura e desenho urbano afim de fornecer subsídios para a produção de cidades mais inclusivas, resilientes, sustentáveis e saudáveis.</p> <p>&nbsp;</p> 2022-12-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Márcia Azevedo de Lima https://ojs.sites.ufsc.br/index.php/mixsustentavel/article/view/5518 COMPORTAMENTO A TRAÇÃO DIRETA DE BIOCOMPÓSITOS CIMENTÍCIOS REFORÇADOS COM FIBRAS DA REGIÃO AMAZÔNICA 2022-09-08T01:29:07+00:00 Igor Roberto Cabral Oliveira igoroliveira@ufam.edu.br Raimundo Pereira de Vasconcelos vasconcelos@ufam.edu.br João de Almeida Melo Filho jalmeida26179@gmail.com Berenice Martins Toralles toralles@uel.br <p>Na tendência da sustentabilidade da construção civil, os compósitos cimentícios reforçados com fibras naturais lignocelulósicas traz benefícios econômicos e socioambientais. Neste contexto, o objetivo desta pesquisa é analisar o comportamento mecânica a tração direta de fibras contínuas (longas) unidirecionais de malva (<em>Urena lobata L</em>.) e juta (<em>Corchorus capsularis&nbsp;L</em>.) em compósitos alternativos de fibrocimento. Através do método narrativo, a pesquisa baseou-se em estudos com compósitos cimentícios com comportamento de endurecimento por deformação, reforçados com fibras naturais lignocelulósicas em argamassas modificadas com materiais pozolânicos. Para o desenvolvimento dos biocompósitos e garantia da durabilidade, substitui parcialmente o cimento Portland CP II F-32 por metacaulim, conforme pesquisas de Silva et al. (2010) e Melo Filho (2012). Os resultados indicam que os biocompósitos com fibras de malva e juta apresentaram múltipla fissuração, com tensões últimas de 10,34 MPa e 7,96 MPa, respectivamente. Conclui-se a viabilidade da aplicação de fibras de malva e juta em biocompósitos cimentícios alternativos, para fins semiestruturais e estruturais, sujeitos à tração direta.</p> 2022-12-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Igor Roberto Cabral Oliveira, Raimundo Pereira de Vasconcelos, João de Almeida Melo Filho, Dra. Berenice Martins Toralles https://ojs.sites.ufsc.br/index.php/mixsustentavel/article/view/5580 ARBORIZAÇÃO EM ÁREA URBANA VULNERÁVEL ÀS MUDANÇAS DO CLIMA - ESTUDO DE CASO 2022-09-27T14:12:16+00:00 Kálita Louhanny Gomes Soares kalitalgsoares@gmail.com <p>Análises relacionadas à capacidade adaptativa dos territórios demonstram que, em geral, as cidades dos países em desenvolvimento não estão preparadas para lidar com as consequências das mudanças climáticas. O déficit de uma infraestrutura verde robusta e integrada aos demais sistemas urbanos é uma realidade e impacta diretamente na qualidade de vida local. Estudos aplicados em Belo Horizonte, MG, evidenciaram as regiões mais vulneráveis às mudanças do clima, seja por sua exposição mais elevada aos impactos, seja por sua baixa capacidade de absorvê-los. Este trabalho propõe a aplicação de ferramentas e metodologia balizada em normativas da Prefeitura Municipal para mapear, no território do Confisco, na regional Pampulha, locais aptos ao plantio de indivíduos arbóreos. Os resultados demonstraram o potencial de adensamento local da vegetação. Essa possibilidade atesta capacidade adaptativa do território que poderia ser ampliada com esse adensamento, contribuindo na redução da sua vulnerabilidade climática.</p> 2022-12-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Kálita Louhanny Gomes Soares https://ojs.sites.ufsc.br/index.php/mixsustentavel/article/view/5584 O DESIGN PARA O COMPORTAMENTO SUSTENTÁVEL 2022-09-26T22:32:02+00:00 Daniela Milena Hartmann danielahartmann@ufpr.br Aguinaldo dos Santos asantos@ufpr.br <p>Nos produtos de linha branca (ex: geladeira, fogão, etc) é justamente a fase de uso que usualmente apresenta maior impacto ambiental. Desta forma, a identificação de oportunidades de inovação pautadas na sustentabilidade é mais fértil através da utilização como referencial teórico do “Design para o Comportamento Sustentável” (DCS). Para demonstrar este potencial o presente estudo realiza uma análise comparativa de produtos de linha branca, com foco na categoria de cocção, vis a vis as estratégias de DCS. A coleta de dados restringiu-se aos atributos explicitamente descritos pelos fabricantes, voltados ao estímulo e manutenção da adoção de comportamentos e hábitos mais sustentáveis. O resultado deste estudo comparativo é a identificação de zonas onde os produtos analisados carecem de soluções pautadas pelo DCS, sendo tais lacunas posicionadas como oportunidades de inovação.&nbsp;&nbsp;</p> 2022-12-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Daniela Milena Hartmann, Aguinaldo dos Santos https://ojs.sites.ufsc.br/index.php/mixsustentavel/article/view/5597 BIOMIMÉTICA, GEOMETRIA COMPLEXA E MODELAGEM PARAMÉTRICA 2022-10-04T15:18:05+00:00 Brunna Pereira de Oliveira brunnappo26@gmail.com Janice de Freitas Pires janicefpires@gmail.com <p>Este artigo está vinculado ao Projeto de Pesquisa AMPARA, da FAUrb/UFPel, que trata da construção de <br>referenciais didáticos para a adoção de técnicas de modelagem paramétrica e fabricação digital de superfícies <br>complexas da arquitetura por meio do estudo sobre o emprego de tais geometrias na prática profissional. Em <br>trabalho anterior, foram identificadas as abordagens da Biomimética e da modelagem paramétrica como <br>potencializadoras à exploração de tais geometrias. No mesmo estudo, a partir de uma teoria didática e sua <br>noção estruturada do saber, foi feita uma sistematização de tais conceitos. Neste trabalho se apresenta uma <br>proposta de explicitação do saber envolvido na geração de geometrias complexas da natureza e na <br>modelagem paramétrica destas. Como resultado, tal saber é estruturado em esquemas visuais – mapas <br>conceituais – que se vinculam a uma rede de conceitos que tem o propósito de integrar tais saberes com as <br>abordagens de arquitetura Tectônica e Estereotômica, apresentadas aos estudantes de Arquitetura e <br>Urbanismo no atelier de projeto em estágios iniciais de formação.</p> 2022-12-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Brunna Pereira de Oliveira, Janice de Freitas Pires https://ojs.sites.ufsc.br/index.php/mixsustentavel/article/view/5594 COMPARAÇÃO DA SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL, ECONÔMICA E SOCIAL PARA EXECUÇÃO DE CALÇADAS 2022-10-01T00:54:08+00:00 Julia Delmondes de Oliveira julia.delmondes.o@gmail.com Amanda Cristina Padova padova.amanda@gmail.com Jucelio Dall’ Agnol juceliodallagnol64@gmail.com Luiz Fernandes da Costa Neto luizfernandesneto98@gmail.com Natália Sagaz natalia.sagaz30@gmail.com <p>As calçadas são componentes essenciais do meio urbano, pois permitem a locomoção dos pedestres. A inexistência ou a precariedade das calçadas comprometem a mobilidade e acessibilidade das pessoas, sendo um problema comum em diferentes cidades brasileiras. Este artigo apresenta uma avaliação do tripé da sustentabilidade a partir da comparação entre diferentes tipos de calçadas para construção em uma comunidade quilombola no estado de Santa Catarina. Após a revisão bibliográfica, foi realizada a modelagem e investigação de quatro tipos de calçadas a partir de protótipos digitais, nos seguintes sistemas construtivos: a) em concreto armado, b) em piso intertravado, c) em piso cimentício e d) com resíduos de construção civil e bambu. Após, foi realizada a avaliação da sustentabilidade global para cada protótipo. Obteve-se que a calçada mais sustentável economicamente para as bases orçamentárias da TCPO (2012) e da SINAPI (2022) foi a calçada com piso intertravado, enquanto a calçada em concreto armado teve menores valores através do orçamento fornecido na DEINFRA-SC (2021). A calçada mais viável social e ambientalmente neste estudo, é a calçada em concreto armado. A contribuição deste estudo é a identificação da solução de calçada mais sustentável para construção em uma comunidade tradicional quilombola.</p> 2022-12-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Natália Sagaz https://ojs.sites.ufsc.br/index.php/mixsustentavel/article/view/5592 SUSTENTABILIDADE E DESIGN ESTRATÉGICO USANDO CONCEITOS DE BIOFILIA PARA DESENVOLVIMENTO DE UM PRODUTO PARA JARDIM VERTICAL 2022-09-30T19:20:03+00:00 André Canal Marques andrecm@unisinos.br Betina Rodrigues betinar04@gmail.com <p>Este artigo é resultado de um trabalho de conclusão de curso de bacharelado em Design com o objetivo de desenvolver um produto para jardim vertical capaz de promover a interação entre homem e natureza dentro de uma lógica do design estratégico (sistema produto-serviço). Realizaram-se pesquisas de iniciativas sustentáveis como primeiras inspirações e embasamento introdutório, com afinidade em alguns objetivos de desenvolvimento sustentável das Nações Unidas. Também foram realizadas entrevistas e estudos de caso para complementar a pesquisa, trazendo tanto a iminência de uma mudança de modelo mental quanto insights valiosos para materialização deste projeto. Assim, por meio do design estratégico, desenvolveu-se um sistema que integrasse plantas e pessoas através do uso deste produto, despertando a vontade de cultivar e compartilhar os resultados de sua dedicação, instigando em outras pessoas a vontade de buscar conexões com a natureza.</p> 2022-12-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 André Canal Marques, Betina Rodrigues https://ojs.sites.ufsc.br/index.php/mixsustentavel/article/view/5516 CONEXÃO URBANA: ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL 2022-09-06T17:14:07+00:00 Patrícia de Freitas Nerbas patriciafnerbas@gmail.com Márcia Azevedo de Lima malima.mgo@gmail.com Diógenes Igor Lazzaretti d.lazzaretti@hotmail.com Marthial Rieger Morem Gomes marthialmorem@gmail.com Nichele Rossi nichelerossi@hotmail.com Pedro Fracasso Reichelt pedroreichelt@gmail.com <p>O fortalecimento dos polos urbanos vai ao encontro do desenvolvimento urbano sustentável. Entretanto, a integração entre esses polos pode ser dificultada, por exemplo, por acidentes geográficos, constituindo obstáculos que impedem ou condicionam a implementação ou prolongamento dos traçados viários, dificultando a legilibidade, integração socioespacial e interação social. Nesse sentido, este artigo busca ampliar o debate sobre forma urbana, desafios e possibilidades para conexão urbana e adota como objeto de estudo projeto desenvolvido para trecho da cidade de Montenegro/ RS. Foi verificada a possibilidade de conexão da cidade, através dos acidentes geográficos, a partir de três elementos: sistema viário, mobilidade e centralidade. Portanto, esse trabalho sugere que projetos que contemplam a estruturação de polos urbanos e suas conexões podem melhorar a legibilidade e integração socioespacial, favorecendo o sentimento de pertencimento, a familiaridade com o lugar e a interação social. Por fim, pretende contribuir para o debate de soluções de desenho urbano para a produção de cidades inclusivas, resilientes, saudáveis e sustentáveis.</p> 2022-12-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Márcia Azevedo de Lima https://ojs.sites.ufsc.br/index.php/mixsustentavel/article/view/5653 REVISÃO SISTEMÁTICA DA LITERATURA PARA CENÁRIOS DE DESASTRE: 2022-10-18T22:28:05+00:00 Luana Toralles Carbonari luanatcarbonari@gmail.com Lisiane Ilha Librelotto lisiane.librelotto@ufsc.br <p>Considerando as particularidades e diferenças da provisão de abrigo e habitação para cenários de desastre, o objetivo deste estudo foi determinar os principais conceitos sobre o tema, identificar parâmetros projetuais, levantar indicadores, diretrizes, estratégias e as melhores práticas para abrigos e habitações temporárias e analisar o uso de modelos multicritério de decisão voltados a abrigos para situações de desastre. Para isso, tomou-se como base a Revisão Sistemática de Literatura - RSL e a análise bibliométrica, utilizando o método <em>Systematic Search Flow (</em>FERENHOF; FERNANDES, 2016). Dos artigos resultantes, 46 estudos serviram como base para esta análise. Os resultados evidenciam a importância da seleção do local e do projeto dos abrigos e habitações temporárias, considerando as fases anteriores ao desastre e após a ocorrência de emergências, englobando diversos profissionais, inclusive arquitetos. Além disso, foi identificada a necessidade de se estabelecerem parâmetros projetuais referentes aos abrigos temporários em acampamentos planejados e de modelos multicritério de decisão com o método AHP voltados ao projeto desse tipo de abrigo.</p> 2022-12-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Luana Toralles Carbonari, Lisiane Ilha Librelotto https://ojs.sites.ufsc.br/index.php/mixsustentavel/article/view/5685 OS ODS DA ONU NA FORMAÇÃO POR COMPETÊNCIAS: MÁQUINA COLETORA DE RESÍDUOS PARA O LAGO PARANOÁ 2022-11-07T16:21:30+00:00 Dianne Magalhães Viana diannemv@unb.br Simone Borges Simão Monteiro simoneborges@unb.br Filipe Aziz Batista filipe.aziz@aluno.unb.br Marcos Jessé Alves de Oliveira marcosjesse@gmail.com <p>Uma situação real, como a limpeza da orla do lago Paranoá em Brasília, Brasil, concebeu um ambiente de ensino-aprendizagem, sustentado pelo método de aprendizagem baseada em projetos (PjBL), de modo a introduzir propostas de solução no âmbito dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) na formação de estudantes de engenharia. Uma equipe de estudantes de Engenharia Mecânica, Mecatrônica e de Produção foi constituída para estudar o problema e desenvolver um sistema de coleta de resíduos flutuantes. O estudo envolveu uma pesquisa aplicada e resultou no projeto de controle de uma máquina para coleta de materiais em superfícies hídricas. Para validar o projeto de controle foi construído e testado um protótipo.</p> 2022-12-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Dianne Magalhães Viana, Simone Borges Simão Monteiro, Filipe Aziz Batista, Marcos Jessé Alves de Oliveira https://ojs.sites.ufsc.br/index.php/mixsustentavel/article/view/5658 GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS NA REGIÃO METROPOLITANA DO VALE DO AÇO/MG 2022-10-20T21:10:14+00:00 Patrícia Lorena Silva paty.loren@hotmail.com Sofia Araújo Lima Bessa sofiabessa@ufmg.br <p>Gerir os resíduos sólidos urbanos é o grande desafio vivido pelas cidades contemporâneas. Para diagnosticar o panorama da gestão dos resíduos sólidos domiciliares (RDO) na Região Metropolitana do Vale do Aço (RMVA) e identificar a capacidade de implantação da economia circular a partir do ciclo reverso, foi realizado levantamento bibliográfico sobre o tema e de base exploratória para obter dados que permitisse aprofundar o conhecimento sobre a realidade desta região. Observou-se que não há gestão integrada dos RDO na RMVA, apenas o gerenciamento de algumas atividades que garantem a coleta e a disposição adequada dos RDO. Foram identificadas ações com o objetivo de implantar a educação ambiental e a coleta seletiva, mas sem resultados expressivos. Ainda assim, a coleta seletiva apresenta indícios de viabilidade técnica, econômica e social, o que torna a implantação da economia circular uma possibilidade para obter o desenvolvimento sustentável, com geração de emprego e renda.</p> 2022-12-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Patrícia Lorena Silva, Sofia https://ojs.sites.ufsc.br/index.php/mixsustentavel/article/view/5701 ANÁLISE DE MATERIAIS APLICADOS EM SOLUÇÕES DE MOBILIÁRIOS PARA ACAMPAMENTOS TEMPORÁRIOS PLANEJADOS (ATP) EM CENÁRIOS DE DESASTRE 2022-11-16T22:23:11+00:00 Mariana Rodrigues Marcelino mari.rodriguesfloripa@gmail.com Lisiane Ilha Librelotto lisiane.librelotto@ufsc.br Luana Toralles Carbonari luanatcarbonari@gmail.com Paulo Cesar Machado Ferroli pcferroli@gmail.com Sabrina Cardoso Nascimento sa.nascimento58@gmail.com <p>Este artigo assume como tema a seleção de materiais para o projeto de mobiliários em acampamentos temporários planejados (ATP) para cenários de desastre. Objetiva analisar, com base em um modelo de seleção (ESA-MOD), a adequação do uso dos mobiliários nessas estruturas sob a ótica dos materiais constituintes desses equipamentos. Para tanto, realizou uma revisão bibliográfica e busca sistemática de literatura englobando a arquitetura emergencial e a seleção dos materiais para incorporar os objetos do tipo mobiliários presentes nos acampamentos planejados catalogados pelo Projeto Infrashelter (VIRTUHAB, 2022). Por fim, é realizada uma avaliação comparativa de duas soluções de mobiliário sob a ótica da sustentabilidade como forma de fornecer subsídios ao processo de seleção de materiais em projetos para acampamentos temporários planejados (ATP). Como resultado, obteve-se uma comparação entre dois casos: a mesa de plástico e a mesa de papelão.</p> 2022-12-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Mariana Rodrigues Marcelino, Lisiane Ilha Librelotto, Luana Toralles Carbonari, Paulo Cesar Machado Ferroli, Sabrina Cardoso Nascimento