SUSTENTABILIDADE E JOALHERIA: RECICLAGEM DE EPS PARA APLICAÇÃO EM JOIAS

Suellen do Nascimento de Souza Moreno, Mariana Kuhl Cidade

Resumo


Com o grande aumento da geração de resíduos sólidos urbanos, um dos principais modos de favorecimento de práticas sustentáveis encontra-se a divulgação e disponibilização de meios adequados para sua separação, coleta e triagem. Além disso, mesmo que coletados e triados, determinados resíduos permanecem com pouco interesse comercial, o que os leva a uma diminuição no seu potencial de reciclagem. Este trabalho apresenta um levantamento dos meios de descarte e coleta de resíduos secos em Santa Maria (RS), voltando para o reaproveitamento de resíduos de poliestireno expandido (EPS). Foi investigada a importância do descarte correto de materiais, além de como um material sem interesse comercial pode ser valorizado através de sua aplicação na joalheria. Foi desenvolvida uma coleção de joias composta por anel, bracelete e um par de brincos, visando o uso de EPS como elemento decorativo. O levantamento mostrou que há uma carência de informações para a população acerca do tipo de separação a ser realizada nos resíduos domésticos, bem como um número expressivamente menor de contêineres destinados a resíduos recicláveis. Por fim, para demonstração da fabricação, o anel foi executado em prata, por meio do processo de fundição por cera perdida, com a aplicação do EPS reciclado.


Palavras-chave


Sustentabilidade; reciclagem; materiais descartados; joias.

Texto completo:

PDF/A

Referências


ABRELPE. Panorama dos resíduos sólidos no Brasil. 2017. Disponível em: Acesso em: 1 ago. 2018.

ASHBY, M; JOHSON, K. Materiais e design: arte e ciência da seleção de materiais no design de produto. Rio de Janeiro: Elsevier, 2011.

AZAPAGIC, A.; EMSLEY, A.; HAMERTON, L. Polymers, the Environment and Sustainable Development. Chichester, UK: John Wiley & Sons, 2003.

BARELLI, B. G. P. Design para a sustentabilidade: modelo de cadeia produtiva do bambu laminado colado (BLC) e seus produtos. 2009. 131 f. Dissertação (Mestrado – Programa de Pós-Graduação em Design) – Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Bauru, 2009.

BRASIL. LEI No 12.305 DE 2 DE AGOSTO DE 2010. Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a Lei no 9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. Brasília, DF, 2 ago. 2010.

CADORE, E. M. Joalheria contemporânea e sustentabilidade: recuperação de metais e lapidação de vidros a partir de resíduos. 2015. 118 f. Trabalho de Conclusão de Curso – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2015.

CARVALHO, T. C. M. B.; XAVIER, L. H. Gestão de resíduos eletroeletrônicos. Rio de janeiro: Elsevier, 2014.

IPEA - INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA. Diagnóstico dos resíduos sólidos urbanos. Brasília: IPEA, 2012. Disponível em: . Acesso em: 1 ago. 2018.

JUNIOR, A. B. C. Gerenciamento de resíduos sólidos urbanos com ênfase na proteção de corpos d’água: preservação, geração e tratamento de lixiviados de aterros sanitários. Rio de Janeiro: ABES, 2006.

JURAS, I. A. G. M. Resíduos. 2012. Disponível em: . Acesso em: 4 out. 2018.

LEFTERI, C. Materials for design. London: Laurence King Publishing, 2014.

LIMA, M. A. Introdução aos materiais e processos para designers. Rio de Janeiro: Editora Ciência Moderna Ltda., 2006.

MANCINI, S. D.; ZANIN, M. Resíduos plásticos e reciclagem: aspectos gerais e tecnologia. São Paulo: Ed.UFSCar, 2004.

MANZINI, E. Design para a inovação social e sustentabilidade: Comunidades criativas, organizações colaborativas e novas redes projetuais. Rio de Janeiro: E-papers, 2008.

MATGE, P. R. Santa Maria terá de esperar até setembro de 2018 para coleta seletiva por contêineres. 2018a. Disponível em: . Acesso em: 20 abr. 2018a.

MATGE, P. R. Santa Maria tem 121 focos de descarte irregular. 2018b. Disponível em: . Acesso em: 20 abr. 2018b.

MATGE, P. R. Vida útil do aterro municipal de santa maria é de 10 anos. 2018c. Disponível em: . Acesso em: 20 abr. 2018c.

PALOMBINI, F. Design de equipamento híbrido para o reprocessamento de resíduos poliméricos: aglutinador e moinho de facas. 2015. 256 f. Trabalho de Conclusão de Curso – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2015.

PALOMBINI, F. L.; CIDADE, M. K.; JACQUES DE JACQUES, J. How sustainable is organic packaging? A design method for recyclability assessment via a social perspective: A case study of Porto Alegre city (Brazil). Journal of Cleaner Production, v. 14, p. 2593-2605, 4 november. 2016.

PARLAMENTO EUROPEU. Resíduos de plástico e reciclagem. 2018. Disponível em: . Acesso em: 4 out. 2018.

PELTIER, F.; SAPORTA, H. Design sustentável: caminhos virtuosos. São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2009.

PENNA, E. Bélgica tem o melhor sistema de reciclagem de lixo da Europa. 2017. Disponível em:. Acesso em: 6 set. 2018.

PEREIRA, A. O. K.; HORN, L. F. D. R. Relações de consumo: Meio ambiente. Caxias do Sul, RS: Educs, 2009.

PLASTICS EUROPE. Plastics – The Facts 2013: An analysis of European latest plastics production, demand and waste data. Bruxelas: Plastics Europe, 2013. Disponível em: .

PLASTIVIDA – INSTITUTO SÓCIO-AMBIENTAL DOS PLÁSTICOS. Polímeros. Disponível em:. Acesso em: 24 mar. 2018.

SCHERER, A.; VIEIRA, R. O lixo que sai caro. 2015. Disponível em: < https://exame.abril.com.br/revista-exame/o-lixo-que-sai-caro/>. Acesso em: 7 out. 2018.

SEBRAE. O que são resíduos (e o que fazer com eles). 2017. Disponível em: . Acesso em: 21 abr. 2018.

SOUZA, L. F. Derreter isopor na acetona é possível? Disponível em:. Acesso em: 13 abr. 2019.

VEZZOLI, C.; MANZINI, E. O desenvolvimento de produtos sustentáveis. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2008.

WALKER, S. Sustainable by design: explorations in theory and pratice. London: Routledge, 2006.




DOI: https://doi.org/10.29183/2447-3073.MIX2019.v5.n4.27-39

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Suellen do Nascimento de Souza Moreno, Mariana Kuhl Cidade

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.