RESUMO DE TESE - TECNOLOGIAS SOCIAIS E DESIGN: DIRETRIZES PARA EMPREENDIMENTOS SOCIOCRIATIVOS

Nadja Maria Mourão, Rita de Castro Engler

Resumo


As tecnologias sociais se apresentam como alternativas simples, de baixo custo, replicáveis e impactantes, para solução de problemas que afetam a sociedade. Estão fundamentas em duas proposições relevantes: a participação de pessoas das comunidades que as desenvolvem e a sustentabilidade nas soluções apresentadas. Os métodos e técnicas aplicados em tecnologias sociais se associam aos modelos de organização coletiva e buscam produzir resultados positivos para a inclusão social e melhoria da qualidade de vida. Eles permitem o monitoramento e avaliação de objetivos que incentivam o desenvolvimento sustentável. Exemplos de tecnologias sociais (TSs) estão disponibilizados e podem ser acessados na plataforma digital do Banco de Tecnologias Sociais (BTS) da Fundação do Banco do Brasil (FBB). Considera-se que esta plataforma seja facilitadora para o emprego de soluções replicáveis às questões sociais. O objetivo deste trabalho é analisar as tecnologias sociais, sob o olhar do design, buscando detectar diretrizes (atividades e condutas) que promovam novos empreendimentos sociocriativos. Considera-se que os empreendimentos “sociocriativos” são aqueles que ocorrem na junção de empreendimentos sociais, com os setores criativos (como o design), que também podem gerar empreendimentos criativos. A metodologia para atender ao proposto não é “uma receita de bolo” (BONSIEPE, 1983), mas condutas eficazes que possam ser aplicadas no desenvolvimento de empreendimentos. Fundamentada no design social, trata-se de uma pesquisa qualitativa, de natureza aplicada. Dessa forma, foi realizado um estudo específico sobre as tecnologias sociais em geração de renda, com aplicação de métodos e ferramentas do design. Quanto aos procedimentos adotados para a coleta de dados, são apresentados exemplos selecionados pelo estudo de caso, analisados por indicadores. Segundo Yin (2001) um dos princípios para a coleta de dados é a criação de um banco de dados para o estudo e encadeamento das evidências. Foram 1.037 TSs certificadas pela FBB, no período de 2001 a 2017. Deste levantamento identificaram-se 208 TSs no BTS em pesquisa avançada sob o tema “renda”. Contudo, apenas 43 TSs apresentaram indicadores compatíveis ao estudo. Entre estas entrevistadas, citam-se 12 TSs que forneceram dados de condutas ajustadas ao conceito de empreendimentos sociocriativos. São elas: 10Caminhos, Antenados Produtora, Cocriação Comunidades, Cores da Terra, Criative, Ecobolsa Brasil, Hortas Urbanas, Librário, Núcleo de Moda e Design, Oficinas de artesanato, Produtora Cultural Colaborativa e a Suricato. Replicações de TSs em projetos pesquisados em Minas Gerais, relatados em dissertações do PPGD/UEMG, também foram objeto de estudo: Design e Artesanato (Araçuaí); Agroecologia na Periferia (Belo Horizonte); Reaproveitamento de Paletes (Jeceaba). Entre as diretrizes comuns em TSs para geração de renda em soluções sociocriativas citam-se: uso de instrumentos para o desenvolvimento do potencial criativo; investimento humano e de recursos materiais; organização sistêmica e participativa dos envolvidos; prática de empatia em todas as etapas; procedimentos de inovação e parcerias em diversas áreas. Apresentam-se os detalhes das diretrizes no livreto “Tecnologia social e design para todos”.


Texto completo:

PDF/A

Referências


BONSIEPE, Gui. A tecnologia da Tecnologia. São Paulo: Edgard Bhucher, 1983.

YIN, Robert K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 2ª ed. Porto Alegre: Bookman, 2001.




DOI: https://doi.org/10.29183/2447-3073.MIX2019.v5.n2.197-197

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Nadja Maria Mourão, Rita de Castro Engler

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Advanced Sciences

 
www.journal-index.org