PROPOSTA DE IMPLANTAÇÃO DE UMA CENTRAL DE TRIAGEM DE RESÍDUOS SÓLIDOS EM CAMPINA GRANDE-PB

Vanessa Rosales Bezerra, Luis Reyes Rosales Montero, Valderi Duarte Leite, Adriano oliveira da silva, Yohanna Jamilla Vilar de Brito, Carlos Antônio Pereira de Lima

Resumo


As centrais de triagem têm um papel importante no processo de reciclagem de resíduos sólidos uma vez que viabilizam a separação dos diferentes tipos de materiais que compõem os resíduos para que os mesmos possam ser reutilizados ou transformados em novos produtos.

      Atualmente, a cidade de Campina Grande não dispõe de um programa de reciclagem e reutilização de resíduos em todo o municipio, mesmo sendo obrigatório segundo as diretrizes da Política Nacional de Resíduos Sólidos. Com isso, é necessário a implantação de uma central de triagem na cidade que realize a segregação de todos os resíduos gerados, para que as etapas de reutilização e reciclagem sejam viabilizadas.

      A central de triagem proposta para a cidade de Campina Grande-PB é do tipo semiautomática com o uso de esteiras e catadores para auxiliar na segregação dos resíduos. O presente manual apresenta especificações sobre os detalhes construtivos, organização do galpão e cotação dos equipamentos.


Palavras-chave


resíduos sólidos, triagem, reciclagem

Texto completo:

PDF/A

Referências


ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 10004: Resíduos sólidos – Classificação. Rio de Janeiro, 2004.

ABRELPRE. Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil 2014. [S.l.], 2014.

BRASIL. Ministério das cidades. Elementos para a Organização da Coleta Seletiva e Projeto dos Galpões de Triagem, 2008. Disponível em: http://www.mma.gov.br/estruturas/srhu_urbano/_publicacao/125_publicacao20012011032243.pdf.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Política Nacional de Resíduos Sólidos, 2010. Disponível em: http://www.mma.gov.br/cidades-sustentaveis/residuos-solidos/politica-nacional-de-residuos-solidos.

CONESUL Soluções Ambientais. Coleta de Resíduos Sólidos Urbanos. Disponível em: http://www.conesulrs.com.br/capa/solucoes.html.

ELK, A. G. H. P. V. Redução de emissões na disposição final. Segala. Rio de Janeiro: IBAM, 2007.

JACOBI, P. R.; BESEN, G. R. Gestão de resíduos sólidos em São Paulo: desafios da sustentabilidade. Revista Estudos Avançados, vol. 25. [S.l.: s.n.], 2011.

MACHADO, G. B. Central de Triagem. Portal Resíduos Sólidos. Disponível em: http://www.portalresiduossolidos.com/central-de-triagem/.

MARTINHO, M. G. M.; GONÇALVES, M. G. P. Gestão de resíduos. Lisboa: Universidade Aberta, 2000.

OLIVEIRA, S; PASQUAL, A. Gerenciamento de Resíduos Sólidos Urbanos (RSU) em Médias e Pequenas Comunidades. In: XXVI Congreso Interamericano de Ingeniería Sanitaria y Ambiental. Lima – Peru, 1998.

PITA, M. Equipamentos públicos – Centrais de Triagem. Infraestrutura Urbana. Disponível em: http://infraestruturaurbana.pini.com.br/solucoes-tecnicas/10/artigo243539-2.aspx.

SÃO PAULO. Secretaria do Meio Ambiente. Resíduos Sólidos. 2 ed. São Paulo: SMA, 2013.

SEIDEL, J. M. Um Problema Urbano - Gerenciamento de Resíduos Sólidos e as Mudanças Ambientais Globais. In: V Encontro Nacional da ANPPAS. Florianópolis, 2010.

SUSÇUARANA, M. S. Reciclagem. Info Escola. Disponível em: http://www.infoescola.com/ecologia/reciclagem/.




DOI: https://doi.org/10.29183/2447-3073.MIX2021.v7.n2.19-26

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Vanessa rosales Bezerra, LUIS REYES ROSALES MONTERO, VALDERI DUARTE LEITE

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Advanced Sciences

 
www.journal-index.org