ACV E CCV EM CONCRETOS COM ELEVADOS TEORES DE FILER CALCÁRIO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.29183/2447-3073.MIX2022.v8.n3.130%20-%20141

Palavras-chave:

ACV e CCV, Concreto, Sustentabilidade, Filer Calcário, Cinza Volante

Resumo

Este artigo tem por finalidade a determinação da Avaliação do Ciclo de Vida (ACV) e do Custo do Ciclo de Vida (CCV), em concretos através da substituição do cimento Portland (CP) por elevados teores de filer calcário (FC) e cinza volante (CV), em teores de 50% a 80%, com o propósito de diminuir as emanações de CO2 na fabricação do CP. Foi aplicado a ACV e o CCV com a intenção de aferir a sustentabilidade dos concretos estudados com base nos impactos ambientais e no custo. O estudo demonstrou que, por ocasião da elevação da proporção de FC nas misturas, o impacto ambiental é reduzido devido a minoração da utilização de CP. O comportamento foi observado na totalidade dos índices ambientais estudados demonstrando a estreita relação entre a proporção de CP e a poluição do meio ambiente, chancelando, assim, a eficácia na utilização de elevados teores de FC. Os resultados mostraram a exequibilidade de concretos com elevados teores de FC, do ponto de vista técnico-ambiental,  considerando que os resultados alcançados apontaram, de maneira inequívoca, para a excelente performance ambiental das misturas.

Biografia do Autor

Gustavo de Aguiar Isaia, FACENS

Graduado em engenharia civil pela escola de engenharia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS - 1990), possui especialização, mestrado e doutorado pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Na FEA - FUMEC, em Belo Horizonte, foi coordenador dos cursos de engenharia bioenergética, engenharia química e coordenador adjunto do curso de engenharia civil. Foi professor substituto no departamento de estruturas e construção da UFSM. Foi coordenador do curso de engenharia civil da UniRitter em Porto Alegre, onde reconheceu o curso com nota 5 no MEC. Atualmente é professor e coordenador do curso de engenharia civil da FACENS em Sorocaba/SP, onde ministra disciplinas nos cursos de arquitetura e urbanismo, engenharia civil e pós graduação em projetos arquitetônicos. É doutor em engenharia civil pela Universidade Federal de Santa Maria na área de construção civil e preservação ambiental.

Silvane Santos Silva, UFSM

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil da Universidade Federal de Santa Maria, realizando projeto de pesquisa na área de materiais de construção civil, Mestra pela Universidade Federal de Santa Maria, Bacharel em Engenharia Civil pela Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões - Campus Santo Ângelo/RS, com registro no CREA sob o número RS215555. Realizei Trabalho de Conclusão de Curso com o título: Estudo do Comportamento Mecânico de Concretos com Uso de Nanosílica. Fui pesquisadora do Grupo de Estudos e Pesquisas em Materiais e Sistemas (GEPEMASI) da URI, participante de equipe que conquistou o terceiro lugar no Concurso Nacional CONCREBOL, no 55º Congresso Brasileiro do Concreto, promovido pelo Instituto Brasileiro do Concreto -Ibracon. Gramado, RS. Tenho experiência na área de ensaios, projetos e execução de obras civis, contando ainda com conhecimento dos softwares AutoCAD 2D, Sketchup, VRAY, Eberick, Hydros e Lumine.

Referências

ABCV. Associação Brasileira do Ciclo De Vida. Site da entidade. São Paulo: ABCV, 2020.

ABNT. Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 16697: Cimento Portland - Requisitos. Rio de Janeiro: ABNT, 2018a.

ABNT. Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 5738: Concreto: Procedimento para moldagem e cura de corpos de prova. Rio de Janeiro: ABNT, 2015.

ABNT. Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 5739: Concreto - Ensaio de compressão de corpos de prova cilíndricos. Rio de Janeiro: ABNT, 2018b.

ABNT. Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR ISO 14040: Gestão ambiental - Avaliação do Ciclo de Vida - Princípios e Estrutura. Rio de Janeiro: ABNT, 2014a.

ABNT. Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR ISO 14044: Gestão ambiental - Avaliação do ciclo de vida - Requisitos e orientações. Rio de Janeiro: ABNT, 2014b.

ABNT. Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR ISO 15686-5: Edifícios e ativos construídos - Planejamento de vida útil - Parte 5 - Custo do ciclo de vida. Rio de Janeiro: ABNT, 2017.

AGOPYAN, V.; JOHN, V. M. O desafio da sustentabilidade na construção civil. São Paulo: Blücher, 2011.

BIERER, A. et al. Integrating life cycle costing and life cycle assessment using extended material flow cost accounting. Journal of Cleaner Production, v. 108, p. 1289-1301, 2015.

CBCS. Conselho Brasileiro de Construção Sustentável. Avaliação de ciclo de vida modular. São Paulo: CBCS, 2014.

DE MATOS, P. R., SAKATA, R. D. ,PRUDÊNCIO, L. R. Eco-efficient low binderhigh-performance self-compacting concretes. Construction and Building Materials, v. 225, p. 941–955, 2019.

GCCA. Global Cement and Concrete Association. GNR project reporting CO2. London: GCCA, 2017.

KJELLSEN, K. O.; GUIMARAES, M.; NILSSON, A. The CO2 balance of concrete in a life cycle perspective. Taastrup: Danish Technological Institute, 2005.

OSTERMEYER, Y.; WALLBAUM, H.; REUTER, F. Multidimensional Pareto optimization as an approach for site-specific building refurbishment solutions applicable for life cycle sustainability assessment. The International Journal of Life Cycle Assessment, v. 18, p. 1762-1779, 2013.

REAL, S. A. C. F. Contributo da análise dos custos do ciclo de vida para projectar a sustentabilidade na construção. 2010. Dissertação (Mestrado em Engenharia) – Universidade Técnica de Lisboa, Lisboa, 2010.

TCPO. Tabela de Composições e Preços para Orçamentos. Tabela de composição de preços para orçamento. São Paulo, PINI, 2020.

VISEDO, G.; PECCHIO, M. ROADMAP tecnológico do cimento: Potencial de redução das emissões de carbono da indústria do cimento brasileira até 2050. Rio de Janeiro: SNIC, 2019.

YOUSUF, S.; SANCHEZ, L. F. M.; SHAMMEH, S. A. The use of particle packingmodels (PPMs) to design structural low cement concrete as an alternative for construction industry. Journal of Building Engineering, v. 25, pp.100-114, Out. 2019.

Downloads

Publicado

2022-05-31

Como Citar

Isaia, G. de A., & Silva, S. S. (2022). ACV E CCV EM CONCRETOS COM ELEVADOS TEORES DE FILER CALCÁRIO. IX Sustentável, 8(3), 130–141. https://doi.org/10.29183/2447-3073.MIX2022.v8.n3.130 - 141

Edição

Seção

Científica

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)