Teorias de Sistemas Críticos para diagnóstico de grupos sociais no âmbito do Design

Mariana Schmitz Gonçalves, Camilla Dandara Pereira Leite, Bruna Villas Bôas da Silva Pontara, Claudio Pereira de Sampaio, Aguinaldo dos Santos

Resumo


Este artigo tem como premissa principal investigar como designers podem aplicar as abordagens críticas do pensamento de sistemas (systems thinking) para o diagnóstico de grupos sociais. Para isso, faz-se primeiramente uma abordagem teórica sobre assuntos pertinentes como Design, Artesanato e teorias de sistemas interpretativistas e críticos como Total Systems Intervention (TSI) e a Critical Systems Heuristics (CSH). Depois, apresenta-se uma descrição do caso de projeto social investigado neste trabalho, o Rede de Mulheres, oferecido pela secretaria da Mulher e Assuntos da Família de Apucarana, no estado do Paraná. Então, caracteriza-se a coleta de dados no projeto e a relação das informações com as teorias de sistemas críticos. Ao final da aplicação da CSH, foram identificados três pontos para intervenção de design: (I) capacitação das artesãs para repassarem os conhecimentos a fim expandir e perpetuar o grupo; (II) rever os preços dos produtos e a estratégia de divulgação de procedência deles; e (III) intervenção do Design de Serviço no sistema a fim de mitigar desigualdades de poder.

Palavras-chave


Artesanato; Design; diagnóstico de grupos sociais; Heurísticas de Sistemas Críticos

Texto completo:

PDF/A

Referências


BORGES, Adélia. Design + Artesanato: o caminho brasileiro. São Paulo: Editora Terceiro Nome, 2011.

LÖBACH, B. Design industrial: bases para a configuração dos produtos industriais. s. l.: Edgar Blücher, 2001.

KELLER, P. F. O artesão e a economia do artesanato na sociedade contemporânea. Revista De Ciências Sociais - Política & Trabalho, v. 2, n. 41, p. 323–347, 2015.

MAC-CULLOCH et. al. Design para a Sustentabilidade em micro-empreendimentos

sociais de produção artesanal. Anais do 9º Congresso Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento em Design. São Paulo, 2010.

CARDOSO, Rafael. Design para um mundo complexo. São Paulo: Cosac Naify, 2012.

BUCHANAN, R. Wicked Problems in Design Thinking. Design Issues, 8 (2), 5‐21, 1992.

ULRICH, W. A brief introduction to critical systems heuristics (CSH). Website of the ECOSENSUS Project: Open University, Milton Keynes, UK, 14 October 2005. Disponível em: Acesso em: 01/10/2019

FLOOD, Robert L.; JACKSON, Michael C. Total systems intervention: a practical face to critical systems thinking. Systems Practice, v. 4, n. 3, p. 197-213, 1991.

SANTOS, A. S. et al. Seleção do Método de Pesquisa: Guia para pós-graduandos em Design e áreas afins. Curitiba: Insight, 2018.

BRIGHTON, Henry; GIGERENZER, Gerd. Towards competitive instead of biased testing of heuristics: A reply to Hilbig and Richter (2011). Topics in Cognitive Science, v. 3, n. 1, p. 197-205, 2011.

PREFEITURA DE APUCARANA. “Economia Solidária” pode servir de modelo no Paraná. 4 fev. 2019. Disponível em: Acesso em: 29/10/2019.




DOI: https://doi.org/10.29183/2447-3073.MIX2020.v6.n1.123-133

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Mariana Schmitz Gonçalves, Camila Dandara Pereira Leite, Bruna Villas Bôas da Silva Pontara, Claudio Pereira Sampaio, Aguinaldo dos Santos

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.