Entre o medo da inefetividade e o da inexistência: perspectivas para o ensino do direito internacional

Camila Bibiana Freitas Baraldi, Lucas da Silva Tasquetto

Resumo


O debate em torno do ensino jurídico é
recorrente. Contudo, no caso do Direito
Internacional, as especificidades em relação ao
Direito interno, de cunho essencialmente estatalista,
representam um fator complicador. Sob essa
perspectiva, o internacionalista procura o seu lugar,
entre o medo da inefetividade e o medo da
inexistência. Nesta busca, é necessário,
primeiramente, trabalhar com uma concepção mais
ampla do próprio Direito, adequada ao fenômeno da
internacionalização e à crescente articulação entre a
esfera interna e a internacional, da qual a justiça
criminal internacional é exemplo. Além disso, devese
estar atento para não ceder às tentações do
positivismo e do realismo na tentativa de justificação
do Direito Internacional, teorias parciais que
deturpam a natureza da disciplina e impactam
diretamente no ensino, ou indiretamente podem gerar
outra abordagem, a que se chama “romântica”,
caracterizada pela superficialidade e ausência de
criatividade.


Palavras-chave


Direito Internacional; ensino; internacionalização do Direito; positivismo; realismo

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Captura Críptica: direito, política, atualidade