Justiça “kafkiana”: a lei-esquizo vige sem significar

Luciana Araujo de Paula

Resumo


A proposta desse artigo é demonstrara partir da justiça “kafkiana”, a representaçãoteatral tragicômica darelação da vida humanacom a lei no palco da modernidade. Asdiversas parábolas trazidas por Kafka sãoanalisadas como paradigmas da nossasociedade contemporânea e, igualmente, comohipóteses de retorno aos tempos pré-jurídicos.Assim, seus escritos permitem a reflexão deum sistema jurídico cada vez mais desumano,onde as vítimas se tornammeras estatísticas nahistória de violações aos direitos humanos.

Palavras-chave


Justiça “kafkiana”; Direitos humanos; Vítimas

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Captura Críptica: direito, política, atualidade