Potência e estética de si: a vida como obra de arte e a ética do eterno retorno em Nietzsche

Murilo Duarte Costa Corrêa

Resumo


O presente ensaio tem por campoproblemático a inserção do conceito de estéticada existência em correlação com umsiimpessoal no contexto da obra de Nietzsche.Discutem-se os limiares de indeterminaçãoentre a obra e a vida, reconhecendo-se umponto de conversão emque ambas teriam setornado, na bibliografia de Nietzsche,indistinguíveis. Demonstra-se de que modoesses limiares de indeterminação, indiciários davontade de potência como uma força plástica,entram em correlação com o dionisíaco e como sentido ético do eterno retorno.

Palavras-chave


Estética da existência; Ética; Si; Potência; Eterno retorno.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Captura Críptica: direito, política, atualidade