SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL NOS SERVIÇOS DE ALIMENTAÇÃO HOSPITALAR

Bárbara Costa Luduvice, Anaxágora Conceição Souza, Layanne Nascimento Fraga, Izabela Maria Montezano de Carvalho

Resumo


No âmbito das Unidades de Alimentação e Nutrição Hospitalares (UANSs) há produção de resíduos que são descartados durante a produção de refeições.  Foi realizado um estudo transversal para levantamento das práticas de sustentabilidade de quatorze UANs hospitalares capital brasileira situa na região Nordeste. Para tanto foi aplicado um questionário digital aos nutricionistas responsáveis pelas UANs, que abordou aspectos sobre gestão, controle no consumo de água, energia, prática de coleta seletiva de resíduos, descarte de óleos e gorduras, oferta de alimentos regionais com aquisição proveniente da agricultara familiar. Foi realizada análise estatística descritiva e calculadas as frequências simples e relativas, com auxílio do software Microsoft Excel, versão 2013.  As unidades adotam algumas práticas sustentáveis, em relação ao planejamento e elaboração do cardápio respeitando a sazonalidade dos alimentos, assim como a utilização de alimentos regionais. Contudo outras questões consideradas relevantes como as constantes capacitações dos funcionários, coleta seletiva, entre outras ainda não são realizadas nestas unidades. Diante da avaliação, observou-se que as unidades apresentam aspectos favoráveis à sustentabilidade ambiental, no entanto também foram identificadas práticas inadequadas à manutenção do ambiente, assim torna-se imprescindível a reformulação das condutas nesses locais visando à minimização dos impactos ambientais.


Palavras-chave


Desenvolvimento sustentável; Alimentação coletiva; Gestão ambiental; Sustentabilidade.

Texto completo:

PDF/A

Referências


ABREU, E.S.; SPINELLI, N.G.N.; PINTO, A.M.P. Gestão de Unidades de Alimentação e Nutrição: um modo de fazer. 2. ed. São Paulo: Metha, 2012.

ALAMAR, M.C. et al. Minimising food waste: a call for multidisciplinar research. Journal Science Food Agriculture, v. 98, n.1, p. 8-11. 2018. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/28963720

ALONSO-ALMEIDA, M.M. et al. Reasos for implementing certified quality systems and impact on performance: na analysis of the hotel indutry. The Service Industries Journal, v.32, p.919–936.2012. https://www.researchgate.net/publication/254266294_Reasons_for_implementing_certified_quality_systems_and_impact_on_performance_An_analysis_of_the_hotel_industry

BARTHICHOTO, M.; MATIAS, A.C.G.; SPINELLI, M.G.N. Responsabilidade ambiental: perfil das práticas de sustentabilidade desenvolvidas em unidades produtoras de refeições do bairro de Higienópolis. Revista eletrônica, v.14, n.1, p.1-12. 2013. http://revista.uepb.edu.br/index.php/qualitas/article/view/1680

BRASIL. Presidência da República. Casa Cívil. Lei nº 12.305, de 2 de agosto de 2010: Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos. Diário Oficial da União .Brasília. 2010.

BRASIL. CFN- Conselho Federal de Nutricionistas (BR). Resolução CFN nº 380/2005. Dispõe sobre a definição das áreas de atuação do nutricionista e suas atribuições, estabelece parâmetros numéricos de referência, por área de atuação, e dá outras providências. 2005.

CASTRO, R.R. et al. Management of heathcare waste in a small hospital. Revista Rene, v. 15, p. 860-868. 2014. https://www.researchgate.net/publication/287705035_Management_of_healthcare_waste_in_a_small_hospital

CASTRO, S.; SILVA, K.G.; SPINELLI, M.G.N.; MATIAS, A.C.G. Sustentabilidade ambiental em unidades produtoras de refeições da região central do município de São Paulo. Revista Simbio-Logias, v.8, p. 1-13. 2015.

DIAS, N.A.; OLIVEIRA, A.L. Sustentabilidade nas unidades de alimentação e nutrição: desafio para o nutricionista do século XXI. Revista de Higiene Alimentar, v.30, p. 254-255. 2016.

FERIGOLLO, D. et al. Products purchased from family farming for school meals in the cities of Rio Grande do Sul. Revista de Saúde Pública, v.51, n.6, p. 1-15. 2017. http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-89102017000100205

FLÔRES, T.M.; KINASZ,T.R. Cartilha para o desenvolvimento de práticas de sustentabilidade em restaurantes comerciais. Brasília. 2015.

FRANKLIN, T. et al. Segurança alimentar, nutricional e sustentabilidade no restaurante universitário. Saúde.Com, v.12, n.1, p. 482-487. 2016. http://periodicos2.uesb.br/index.php/rsc/article/view/396

HARMON, A.H.; GERALD, B.L. Position of the American Dietetic Association: food and nutrition professionals can implement practices to conserve natural resources and support ecological sustainability. Journal of the American Dietetic Association, v.107, p. 1033–1043.2007. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/17571455

MAGRINI , L.N.; BASSO, C. Práticas Sustentáveis em Serviço de Alimentação Hospitalar. Ciências da Saúde , v.17, n.2, p.257-265. 2016. https://periodicos.ufn.edu.br/index.php/disciplinarumS/article/view/2034

MARQUES, E.C.; MARQUES, R.C. Roteiro para sustentabilidade na produção de refeições. Higiene alimentar, v.31, n.266, p.140-144.2017. https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/biblio-833501

MARTINS, A.M. Sustentabilidade ambiental em Unidades de Alimentação e Nutrição coletivas de Santa Catarina. 2017. 161f. (Dissertação de Mestrado em Nutrição). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis.

MOTA, E.B. et al. Metodologia de avaliação de cardápio sustentável para serviços de alimentação. Hollos, v.4, p. 1-14. 2017. http://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/HOLOS/article/view/5428

ONU- Organização das Nações Unidas. Report of the World Commission on Environment and Development: Our Common Future. Development and International Cooperation: Environment. 2017.

NAVES, C.C.D.; RECINE, E. Atuação profissional do nutricionista no contexto da sustentabilidade. Demetra, v.9, n.1. p. 121-136. 2014. https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/demetra/article/view/6246

PORTO, P.F. A sustentabilidade ambiental nos serviços de alimentação: o caso aplicado ao Restaurante da Universidade Federal do Maranhão. 2017. 81 p. Dissertação (Mestrado em Energia e Ambiente) - Universidade Federal do Maranhão, São Luís.

POSPISCHEK, V.S.; SPINELLI, M.G.N.; MATIAS, A.C.G. Avaliação de ações de sustentabilidade ambiental em restaurantes comerciais localizados no município de São Paulo. Demetra, v.9, n.2, p. 595-611. 2014. https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/demetra/article/view/8822

REIS, H.F.; FLÁVIO, E.F.; GUIMARÃES, R.S.P. Avaliação das condições higiênico-sanitárias de uma unidade de alimentação e nutrição hospitalar de Montes Claros, MG. Revista Unimontes Científica, v.17, n.2, p. 1-14. 2015. http://www.ruc.unimontes.br/index.php/unicientifica/article/view/369

RIBEIRO, H.; JAIME, P.C.; VENTURA, D. Alimentação e sustentabilidade. Estudos Avançados, v. 31, n. 89, p.185-198. 2017. scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142017000100185

SABESP. Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo. Programa de Reciclagem de Óleo de Fritura da Sabesp. 2018.

SABINO, J.B.; BRASILEIRO, N.P.M.; SOUZA, L.T. Pesquisa de resto-ingesta em uma unidade de alimentação e nutrição hospitalar de Teófilo Otoni – MG. Higiene Alimentar, v.30, p. 260-261. 2016.

SANT’ANA, H.M.P. Planejamento físico-funcional de unidades de alimentação e nutrição. (1º ed). Editora Rubio. 2012.

SANTOS, A.V.; STRASBURG, V.J. Caracterização e análise dos resíduos de embalagem gerados na produção de refeições de um hospital público de Porto Alegre, RS. Estudo e Debate em Gestão e Planejamento, v. 23, p. 296-310. 2016. http://univates.br/revistas/index.php/estudoedebate/article/view/1154

SEBRAE. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas. Certificação ambiental. 2015.

SILVA, R.C. et al. Coleta e destinação final dos resíduos dos serviços de saúde hospitalar no estado do Paraná. Revista Meio Ambiente e Sustentablidade, v. 7, n.3, p.644-658. 2014. https://www.uninter.com/revistameioambiente/index.php/meioAmbiente/article/view/424

SOARES, S.G.A.et al. Responsabilidade socioambiental no contexto hospitalar: Revisão integrativa. Revista de Enfermagem, 2016; 10(11):4118-4125. 2016. https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/view/11499/13366

SOUZA, L.V.; MARSI , T.C.O. Importance of technical in UANs: production and costs preparations/meals. Health Science Institute, v.33, n. 3, p. 248-53.2016. https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/biblio-2288

STRASBURG, V.J.;, JAHNO, V.D. Paradigmas das práticas de gestão ambiental no segmento de produção de refeições no Brasil. Revista de Engenharia Sanitária e Ambiental, v.22,n.2, p. 3-12. 2017. http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S141341522017000100003&script=sci_abstract&tlng=pt

VEIROS, M.B.; PROENÇA, R.P.C. Princípios de sustentabilidade na produção de refeições. Nutrição e ecologia,p. 2-6. 2010.




DOI: https://doi.org/10.29183/2447-3073.MIX2020.v6.n3.45-54

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Bárbara Costa Luduvice, Anaxágora Conceição Souza, Layanne Nascimento Fraga, Izabela Maria Montezano de Carvalho

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.