MUTIRÃO NO PROCESSO CONSTRUTIVO DE CASAS DE BARRO: VANTAGENS E LIMITAÇÕES

Autores

  • Juliano Moreira Coimbra UFPel - UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

DOI:

https://doi.org/10.29183/2447-3073.MIX2017.v3.n4.47-61

Palavras-chave:

Architecture, natural building, social sustainability, mutirão, self-building

Resumo

A terra ainda é um dos materiais construtivos mais utilizados mundialmente. Por sua baixa complexidade tecnológica,ela costuma estar relacionada a práticas de autoconstrução e mutirão (mobilização coletiva sem fins lucrativos). Aborda-seo problema da viabilidade do mutirão e seus ganhos sociais em construções naturais que tenham o barro como principalmaterial. Estuda-se como caso a casa de barro que o autor projetou e autoconstruiu na área rural de Pelotas, extremo sul doBrasil, na qual mais de 80 voluntários ajudaram na construção. O objetivo geral é estudar os possíveis ganhos advindos daprática do mutirão. Como objetivos específicos, definiu-se: a) conceituar construção natural e explicar a técnica construtivaempregada na obra estudada (cob); b) verificar a relação entre mutirão e complexidade da técnica construtiva; e c) avaliar osganhos de sustentabilidade social observados. Como resultados, percebeu-se que os mutirões atraíram muitos colaboradores,especialmente por se tratar de uma técnica construtiva não convencional. Também eles contribuíram para um ambientede trabalho mais lúdico, apesar do desgaste físico. além do considerável volume de trabalho produzido, levando em consideraçãoa inexperiência dos voluntários. Conclui-se que a construção natural e mutirão são complementares e colaboram paraganhos práticos de sustentabilidade social.

Referências

ALEXANDER, C.; ISHIKAWA, S.; SILVERSTEIN, M. A pattern language. New York, Oxford University Press, 1977.

BONDUKI, N. Origens da habitação social no Brasil. 6. ed. São Paulo, Estação Liberdade, 2011.

EVANS, I. Philosophy, background and design. In: EVANS, I.; SMILEY, L.; SMITH, M. G. The hand-sculpted house. White River Junction, Chelsea Green Publishing, pp. 1-112, 2002.

VAN LENGEN, J. Manual do arquiteto descalço. Jandira, Empório do Livro, 2008.

MINKE, G. Manual de construcción em tierra. Montevideo, Editora Fin de Siglo, 2008.

WEISMANN, A.; BRYCE, K. Building with cob. Devon, Green Books, 2006.

Publicado

2017-12-18

Como Citar

Coimbra, J. M. (2017). MUTIRÃO NO PROCESSO CONSTRUTIVO DE CASAS DE BARRO: VANTAGENS E LIMITAÇÕES. IX Sustentável, 3(4), 47–61. https://doi.org/10.29183/2447-3073.MIX2017.v3.n4.47-61