RESÍDUO TÊXTIL: MATÉRIA-PRIMA PARA PRODUTOS DE ECONOMIA SOLIDÁRIA

Neide Schulte, Vitória Voltolini de Almeida, Beatriz Liston Salinas

Resumo


Esse trabalho apresenta alguns impactos da indústria da moda, mais especificamente o problema do volume de resíduos têxteis gerado na confecção de roupas. Esses resíduos, se coletados adequadamente, podem ser utilizados como matéria-prima em empreendimentos de Economia Solidária. Além de contribuir na redução dos impactos da indústria da moda, o reuso desses resíduos também é uma solução para a minimização do desemprego e a reinserção social de reeducandas de presídios.


Palavras-chave


resíduos têxteis, economia solidária, ecomoda

Texto completo:

PDF

Referências


Abit. Perfil do setor: dados gerais do setor atualizados em 2016, referentes ao ano de 2015. Disponível em:. Acesso em ago. de 2016.

AMARAL, M.C.; FERREIRA, A. C.; BARUQUE-RAMOS, J.. A política nacional de resíduos sólidos e a logística reversa no setor têxtil e de confecção nacional. In: 2o CONTEXMOD - Congresso Científico Têxtil e de Moda, 2014, São Paulo - SP. Anais do 2o CONTEXMOD. São Paulo SP, 2014.

BARBOSA, R. N. de C. A economia solidária como política pública: uma tendência de geração de renda e ressignificação do trabalho no Brasil. São Paulo: Cortez, 2007.

CASTRO, B. G. A economia solidaria de Paul Singer: a construção de um projeto político. Dissertação. Universidade Estadual de Campinas – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas. Campinas, SP. 2009.

FARIA, José Henrique de. As organizações coletivistas de produção associada e a autogestão social. Disponível em Acesso em set. de 2016.

FREIRE, Estevão; LOPES, Guilherme Bretz. Implicações da Política Nacional de Resíduos Sólidos para as práticas de gestão de resíduos no setor de confecções. Redige: revista de design, inovação e gestão estratégica, v.4, n.01, abr. 2013.

IEMI. Relatório Setorial da Indústria Têxtil Brasileira. São Paulo: Instituto de Estudos e Marketing Industrial, Brasil Têxtil, 2001.

MARTINS; S. B.; PEREZ; I. U. Estratégias para a redução de resíduos no setor de confecção de produtos de moda. In: VIII COLÓQUIO DE MODA, Rio de Janeiro, 2012.

MENEGUCCI. Franciele, et al. Resíduos Têxteis: Análise sobre descarte e reaproveitamento nas indústrias de confecção. In: Congresso Nacional de Excelência em Gestão, 2015.

MTE – Ministério do Trabalho e Emprego/ SENAES – Secretaria Nacional de Economia Solidária. O que é Economia Solidária? Acesso em set. de 2016.

PEREIRA, José Almir Rodrigues. Geração de resíduos industriais e controle ambiental. Usp, 2014 < Disponível em http://bit.ly/2cxQzm5 > Acesso em set. de 2016.

PEZZOLO, Dinah Bueno. Tecidos: Histórias, Tramas, Tipos e Usos. São Paulo: Editora Senac, São Paulo, 2007.

PINHEIRO, Eliane; FRANCISCO, Antônio Carlos de. O desempenho ambiental e os descartes de resíduos têxteis nas indústrias de confecções - uma abordagem teórica. ABEPRO, 2013.

SCHULTE, Neide Köhler. Reflexões sobre moda ética: contribuições do biocentrismo e do veganismo. Florianópolis: Editora UDESC, 2015.

UNISOL Brasil. Central de Cooperativas e Empreendimentos Solidários. Disponível em < http://www.unisolbrasil.org.br/>. Acesso em jul. de 2016.




DOI: https://doi.org/10.29183/2447-3073.MIX2017.v3.n1.64-72

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 MIX Sustentável



 

Advanced Sciences

 
www.journal-index.org