SUSTENTABILIDADE E TERRITÓRIO: DESIGN ITALIANO APLICADO NA TUNÍSIA

Ronaldo Glufke, Giuseppe Lotti

Resumo


O artigo aborda o tema do design aplicado aos territórios, pela perspectiva da sustentabilidade, apresentando bases teóricas para a ação do designer em experiências participativas, relacionando conceitos sociais e culturais, do design e dos territórios, sob a ótica italiana. O texto apresenta como exemplo o resumo de projetos realizados por alunos e artesãos, em uma narrativa que reforça estas relações na experiência do desenvolvimento co-projetivo de produtos no território de Sousse na Tunísia, através da cooperação entre alunos de Design da Universidade de Estudos de Florença, de escolas da Tunísia e artesãos locais. Resultando em produtos fundamentados pela aplicação do design como solução para a viabilização de modelos produtivos que respeitam a colaboram com a expressão simbólica de traços culturais e funcionais deste território, visando a melhoria das condições socioculturais locais, fortalecendo os conceitos de sustentabilidade para territórios, mesmo diante de uma demanda globalizada.


Palavras-chave


Design; Sustentabilidade; Território; Co-projetação; Contaminação

Texto completo:

PDF/A

Referências


BONOMI, Aldo. Coscienza di classe, coscienza di luogo. In: SOFRI, Adriano et al. Sinistra senza sinistra: idee plurali per uscire dall'angolo. Milão: Feltrinelli, 2008.

BONSIEPE Gui. Teoria e pratica del disegno industriale: elementi per una manualistica critica. Milão: Feltrinelli, 1993.

BRANZI, Andrea. La casa calda: esperienze del nuovo design italiano. Milão: Idea Books, 1999.

BURKHARDT, Francois. La difficoltà di risolvere un rapporto sfalsato: a proposito dell'artigianato e del design. In: LA PIETRA, Ugo (Org.). Fatto ad arte: arti decorative e artigianato. Milão: Triennale di Milano, 1998.

CIANEIULLO, Antonio; REALACCI, Ermete. Soft economy. Milão: Bur, 2005.

DE GIORGI, Claudia; GERMAK, Claudio (Ed.). Manufatto: Artigianato, Comunità, Design. Milão: Silvana Editoriale, 2008.

FURLANIS Giuseppe; LOTTI, Giuseppe; MECCA, Saverio (Ed.). Abitare Mediterraneo: contributi per una definizione. Bagno a Ripoli: Grafiche Martinelli, 2004.

GAMBARO, Paola; SPADOLINI, Maria Benedetta. D.Cult. Il design per la valorizzazione dei beni culturali: strategie, strumenti e metodologie di progetto. In: CRISTALLO, Vincenzo et al. Design, territorio e patrimonio culturale. Nápoles: Clean, 2006.

GIACCARÌA, Paolo. Artigianato e identità: il dilemma della cultura materiale. In: DE GIORGI, Claudia; GERMAK, Claudio (Ed.). Manufatto: Artigianato, Comunità, Design. Milão: Silvana Editoriale, 2008.

JELLOUN, Tahar Ben. Non capisco il mondo arabo: dialogo tra due adolescenti. Milão: Bompiani, 2006.

LATOUCHE, Serge. Mondializzazione e decrescita: l’autre Afrique. Tradução para o italiano de Vito Carassi. Bari: Dedalo, 2009.

LOTTI, Giuseppe. Territori & conessioni: design come attore della dialettica tra locale e globale. Pisa: Edizione ETS, 2010.

LUPO, Eleonora. Il design per i beni culturali: pratiche e processi innovativi di valorizzazione. Milão: Franco Angeli, 2009.

MANZINI Ezio. Un localismo cosmopolita: prospettive per uno sviluppo locale sostenibile ed ipotesi sul ruolo del design. SDI DESIGN REVIEW – Sistema Design Italia Magazine. n. 2. Milão, 2005.

MARI, Enzo. Dov'è l'artigiano. Florença: Electa, 1981.

RIFKIN, Jeremy. Il sogno europeo. Tradução para o italiano de Paolo Canton. Milão: Mondadori, 2004.

TETI, Vito. Geografie ed etnografie dell'interno. In: PETROSEWICZ Marta; SCHNEIDER Jane; SCHNEIDER Peter (Ed.). I Sud: conoscere, capire, cambiare. Bolonha: Il Mulino, 2009.




DOI: https://doi.org/10.29183/2447-3073.MIX2017.v3.n2.125-133

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 MIX Sustentável