COBERTURA VERDE: UM USO SUSTENTÁVEL NA CONSTRUÇÃO CIVIL

Débora Pedroso Righi, Lucas Guilherme Kohler, Rogério Antocheves, Almir Barros da S. Santos Neto, Gihad Mohamad

Resumo


O conceito de desenvolvimento sustentável é discutido desde a década de 80, esse conceito tem invadido as mais diversas áreas do conhecimento e setores da economia, principalmente na construção civil. A construção civil é uma das principais fontes de economia mundial, sendo responsável por 63% da formação bruta de capital fixo no Brasil. Apesar da sua indiscutível importância para o desenvolvimento do país, a construção civil é apontada como uma das indústrias que mais impactam o meio ambiente. Para mudar esse aspecto à construção civil vem utilizando novos materiais que produzam o menor impacto possível ao meio ambiente e contribuam para o conforto térmico ou a redução do consumo de energia, inúmeros exemplos de novos materiais e tecnologias vem sendo empregados com essa finalidade.

Um exemplo de como a sustentabilidade pode trazer benefícios ao meio ambiente e a seus habitantes é o uso de coberturas verdes, estas coberturas caracterizam-se pela utilização de vegetação como cobertura de estruturas de qualquer porte. Esse tipo de construção proporciona o combate às ilhas de calor urbano, absorvendo gases do efeito estufa emitidos por veículos e melhorando a qualidade do ar nos centros urbanos. Este trabalho tem como objetivo apresentar a viabilidade da aplicação dos telhados verdes na construção civil. São mostrados também conceitos, propriedades, método de execução, vantagens, desvantagens da utilização do mesmo. Ao final do trabalho são extraídas algumas considerações, conclusões e apresentadas algumas aplicações no Brasil sobre o uso de telhados verdes.


Palavras-chave


Sustentabilidade; Meio Ambiente; Construção Civil; Telhado Verde

Texto completo:

PDF

Referências


AGNOL, L.D., GATTERMANN, L.S., CASA, M.G.S., Sustentabilidade na arquitetura brasileira. Segundo Seminário Nacional de Construções Sustentáveis, Passo Fundo/RS, 2013.

ANTUNES, J., A sustentabilidade na construção civil. Disponível em: . Acesso dezembro de 2009.

BACHA, M.L., SANTOS, J., SCHAUN, A., Considerações teóricas sobre o conceito de sustentabilidade. VII Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia, 2010.

CASTRO, A.,S., Uso de pavimentos permeáveis e coberturas verdes no controle quali-quantitativo do escoamento superficial urbano. Tese de Doutorado, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2011.

ECOTELHADO. Disponível em Acesso em janeiro de 2011.

KREBS, L.F. Coberturas vivas extensivas: análise da utilização em projetos na região metropolitana de Porto Alegre e serra gaúcha. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2005.

OLIVEIRA. E.W.N.de. Telhados verdes para habitações de interesse social: retenção das águas pluviais e conforto térmico. Universidade Estadual do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2009.

PEREIRA, C.D.O., Quando o telhado verde vira lei. Disponível em .Acesso em junho de 2015.

PIERGILI, A.V.P. Por que utilizar telhados verdes? 2007. Disponível em: . Acesso em: maio de 2007.

SOMA, L. G. Estudo do Processo de Impermeabilização de Edifícios Residenciais. Programa de Conclusão de Curso, Universidade Anhembi Morumbi, São Paulo 2009.

SOUSA, C. G., O Processo Construtivo Das Coberturas Verdes E Suas Principais Características. Trabalho de Conclusão de Curso, maio de 2009.




DOI: https://doi.org/10.29183/2447-3073.MIX2016.v2.n2.29-36

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 MIX Sustentável