O TORNAR-SE PROFESSOR NAS SUBJETIVIDADES, NA ARTE E NAS ESCOLHAS DA VIDA COTIDIANA

Autores

Resumo

Este relato propõe pensar e narrar experiências educativas preexistentes em encontro à formação docente, através da intervenção social Pekolah: Uma História Contada em Nós. Esta oficina foi pensada a partir das experiências têxteis - com foco na técnica milenar macramê - que vai na contramão do racismo, reunindo-se à jornada de sustentabilidade ao fazermos o reaproveitamento de materiais e o cuidado prévio em selecionar aqueles que têm a sua composição biodegradável, em resgate e preservação da criança interior. Em razão disso, o objetivo de trazer à tona uma reflexão sobre o exercício de ser professor e professora antes de encaminhar-se à uma carreira docente no campo acadêmico. Além de repensar as pluralidades para contemplar as narrativas negras. Neste sentido, a metodologia tem um teor descritivo, que analisa, avalia e reflete acerca do relato de experiência com característica crítica e hermenêutica. Assim, portanto, metamorfoseou reflexões e posturas indispensáveis para pensar o interesse pela prática docente como ofício. Os resultados dessa oficina indicaram que  se faz necessário continuar, a fim de seguir com a disposição de ir em direção à ultrapassar a crueldade do racismo, de contemplar as pluralidades de cada existência, conhecer e despertar  a criança interior que há em cada um de nós. Mas principalmente refletir sobre como os caminhos da prática docente de maneira experimental afetam e asseguram as nossas escolhas, produzimos o conhecimento de mundo com criticidade, ciência, autenticidade, também com amor, trazendo à tona a promessa de encorajar o interesse de ser professor. 

Downloads

Publicado

2022-07-31

Edição

Seção

ARTIGOS SOBRE EXPERIÊNCIAS DE ESTÁGIO NA EDUCAÇÃO BÁSICA