NARRATIVAS DO FIM DO MUNDO: MELANCHOLIA, DE LARS VON TRIER

George Luiz França, Eduardo de Oliveira da Costa

Resumo


As artes, e entre elas o cinema, já tematizaram muitas vezes a ideia de fim do mundo, seja tentando visualizar como seria o fim da hegemonia da raça humana sobre a Terra, seja visualizando o fim da ordem mundial como a conhecemos e o colapso de nosso ideal de civilização, seja através de catástrofes naturais que dizimam toda a vida na Terra. Este trabalho pretende analisar a abordagem desse tema no longa-metragem Melancholia (2011), dirigido por Lars Von Trier, no qual a aproximação do planeta homônimo da Terra mostra sua influência sobre a vida das irmãs Claire e Justine. No mundo fechado em si mesmo em que o filme se processa, é como se o filme desastre encenasse não apenas o fim do mundo como fim do fim, mas também o fim do filme como o próprio fim do cinema.


Palavras-chave


Fim do mundo; Representação; Cinema; Lars von Trier; Melancholia

Texto completo:

PDF

Referências


ADORNO, Theodor; HORKHEIMER, Max. Dialética do esclarecimento. Trad. Guido de Almeida. Rio de Janeiro: Zahar, 1985.

AGAMBEN, Giorgio.Homo sacer: o poder soberano e a vida nua. Trad. Henrique Búrigo. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2002.

______. Estado de exceção. Trad. Iraci Poleti. São Paulo: Boitempo, 2004.

______. Infância e história: destruição da experiência e origem da história. Trad. Henrique Búrigo. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2005.

______. Profanações. Trad. Selvino Assmann. São Paulo: Boitempo, 2007.

______. O que é o contemporâneo e outros ensaios. Trad. Vinicius Nicastro Honesko. Chapecó: Argos, 2009.

BENJAMIN, Walter. Obras escolhidas I: Magia e técnica, arte e política. Trad. Sérgio Paulo Rouanet. 7. ed. São Paulo: Brasiliense, 1994.

BLANCHOT, Maurice. O livro por vir. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

BOOKER, M. Keith. The dystopian impulse in modern literature: fiction as social criticism. Westport: Greenwood,1994.

COLLINS, Suzanne. Jogos vorazes. Trad. Alexandre D’Elia. Rio de Janeiro: Rocco, 2011.

______. Em chamas. Trad. Alexandre D’Elia. Rio de Janeiro: Rocco, 2011.

______. A esperança. Trad. Alexandre D’Elia. Rio de Janeiro: Rocco, 2011.

CURWOOD, Jen Scott. The Hunger Games: Literature, Literacy and Online Affinity Spaces. Disponível em: . Acesso em 11 maio 2015.

DANOWSKY, Deborah; VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo. Há mundo por vir? Ensaio sobre os medos e os fins. Florianópolis: Cultura e Barbárie, 2014.

DEBORD, Guy. A sociedade do espetáculo. Trad. Estela dos Santos Abreu. Rio de Janeiro: Contraponto, 1997.

FOUCAULT, Michel. Ditos e escritos II. Arqueologia das ciências e história dos sistemas de pensamento. MOTTA, Manoel Barros da (Org.). Tradução de Elisa Monteiro. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2000. v. 2.

______. Ditos e escritos III: Estética: Literatura e pintura, música e cinema. Org. Manoel Barros da Motta; trad. Inês Autran Dourado Barbosa. 2. Ed. Rio de Janeiro: ForenseUniversitária, 2006.

LÖWY, Michael. Walter Benjamin: aviso de incêndio. Trad. Vanda Brandt. São Paulo: Boitempo, 2005.

______; SAYRE, Robert. Revolta e melancolia: o Romantismo na contracorrente da modernidade. São Paulo: Boitempo, 2015.

NIETZSCHE, Friedrich. O nascimento da tragédia. Trad. Jacó Guinsburg. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

SADE, Marquês de. Justine, ou as desgraças da virtude. Trad. Edmond Jorge. Disponível em: . Acesso em 20 maio 2018.

SZENDY, Peter. Apocalypse-cinema: 2012 and other ends of the world. New York: Fordham University Press. 2015.

SHAVIRO, Steven. Melancholia, or, the romantic anti-sublime. Disponível em:

Filmografia

Melancholia, Alemanha/Dinamarca/França/Suécia, 2011. Diretor: Lars von Trier. Roteiro: Lars von Trier. Fotografia: Manuel Alberto Claro. Elenco: Kirsten Dunst, Charlotte Gainsbourg, Kiefer Sutherland, Charlotte Rampling, John Hurt, Alexander Skarsgård, Brady Corbet, Stellan Skarsgård.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.