RELAÇÕES SÓCIO RACIAIS ENTRE CRIANÇAS BRANCAS E NEGRAS: APONTAMENTOS E NOTAS REFLEXIVAS

Pamela Cristina dos Santos

Resumo


Esta produção resulta de reflexões acerca das relações étnico raciais no Brasil contemporâneo. Para tanto discutimos racismo e branquitude, mesclados na sociologia das ausências, cujo objetivo é dialogar com as tensões raciais para compreender a manifestação da branquitude  na escolarização de crianças, em diferentes tempos históricos. Para compor as discussões adicionamos registros gráficos sobre tensionamentos raciais ocorridos dentro de escolas em diferentes tempos históricos. Com auxílio da antropologia visual fizemos uso de desenhos realizados pela pesquisadora, entendendo-os enquanto texto visual e não como ilustrações do texto verbal. Por fim, destacamos a importância dos estudos de Schucman (2012), Santos (2012), Osório (2010) e Nogueira (2010) no fazer teórico e metodológico desta produção.

Esta produção resulta de reflexões acerca das relações étnico raciais no Brasil contemporâneo. Para tanto discutimos racismo e branquitude, mesclados na sociologia das ausências, cujo objetivo é dialogar com as tensões raciais para compreender a manifestação da branquitude  na escolarização de crianças, em diferentes tempos históricos. Para compor as discussões adicionamos registros gráficos sobre tensionamentos raciais ocorridos dentro de escolas em diferentes tempos históricos. Com auxílio da antropologia visual fizemos uso de desenhos realizados pela pesquisadora, entendendo-os enquanto texto visual e não como ilustrações do texto verbal. Por fim, destacamos a importância dos estudos de Schucman (2012), Santos (2012), Osório (2010) e Nogueira (2010) no fazer teórico e metodológico desta produção.


Palavras-chave


Racismo. Branquitude. Relações Étnico-raciais.

Texto completo:

PDF

Referências


AZEVEDO, Aina Guimarães. Um convite à antropologia desenhada. METAgrafias: metalinguagem e outras figuras. Brasília, v. 1, n. 1 (1), p. 194-208, mar. 2016a.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Brasília: INEP/MEC, 2003.

FLEURI, Reinaldo Matias. Educar pra quê? Contra o autoritarismo da relação pedagógica na escola. 9ª Ed. São Paulo. Editora Cortez, 2001.

FLUSSER, Vilém. [1983] 2002. Filosofia da Caixa Preta – Ensaios para uma futura filosofia da fotografia. Rio de Janeiro: Relume Dumará.

IBGE. Censo Demográfico, 2010. Disponível em www.ibge.gov.br. Acesso em 26/12/2017.

INGOLD, Tim. Being Alive: Essays on movement, knowledge and description. London and New York: Routledge. 279 f. 2011a.

KUSCHNIR, Karina. 2014. Ensinando antropólogos a desenhar: uma experiência didática e de pesquisa. Cadernos de Arte e Antropologia, Vol. 3, n° 2/2014, pag. 23-46.

LAGROU, Els. A fluidez da forma: arte, alteridade e agência em uma sociedade amazônica (Kaxinawa, Acre). Rio de Janeiro: Topbooks, 2007.

PASSOS, J. C.. As desigualdades na escolarização da população negra e a educação de jovens e adultos. EJA em debate, v. 1, p. 137-150, 2012.

NOGUEIRA, O. Preconceito racial de marca e preconceito racial de origem: sugestão de um quadro de referência para a interpretação do material sobre relações raciais no Brasil. In: Tanto preto quanto branco. São Paulo: T.A. Queiroz, 1985.

OSORIO. R. G. Desigualdade racial e mobilidade social no Brasil: um balanço das teorias. In: THEODORO, M. (Org.). As políticas públicas e a desigualdade racial no Brasil: 120 anos após a abolição. Brasília; IPEA, 2008. (p. 65-96).

QUIJANO, Aníbal. Colonialidade do Poder e Classificação Social. In: SANTOS, B. de S.; MENESES, M. P. (Orgs). Epistemologias do Sul. São Paulo. Cortez. 2010. (P. 73-118)

SANTOS, Boaventura de Sousa. Para Além do Pensamento Abissal: Das Linhas Globais a uma ecologia dos Saberes. In : SANTOS, Boaventura de Sousa; MENESES, Maria Paula (Ors). Epistemologias do Sul. São Paulo. Cortez. 2010, p. 23-72.

SCHUCMAN, Lia Vainer. Entre o “encardido” o “branco” e o “branquíssimo”: raça, hierarquia e poder na construção da branquitude paulistana. Tese (Doutorado - Programa de Pós Graduação em Psicologia. Área de Construção: Psicologia Social). Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo. São Paulo, 2012.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.