Dúvidas on-line: interação em ambientes informatizados na Educação Básica

Roberta Nara Sodré de Souza, Márcia Maria Bernal

Resumo


O artigo tem a intenção de discutir o perfil de acesso dos alunos do ensino fundamental, séries finais, a um ambiente informatizado que de forma on-line e sincrônica abordou dúvidas sobre conteúdos da disciplina de matemática. O projeto inicialmente teve a abrangência de duzentos estudantes e depois foi ampliado para trezentos estudantes que eram convidados a participar do projeto de pesquisa. Após a entrega da autorização dos pais, fizemos as inserções no ambiente Messenger. Três professores com horários pré-determinados fizeram os atendimentos. Os diálogos ocorreram via chat no contraturno escolar. A análise de dados se deu sobre as observações, conversas on-line registradas e percepções dos estudantes e professores envolvidos. A interação no espaço on-line apresentou-se de forma diferenciada nas turmas, as conversas se centraram sobre o questionamento do estudante. A utilização simbólica da matemática, no chat, apresentou momentos de dificuldade, surgindo a necessidade de diálogo coletivo em alguns momentos e a utilização de outras mídias. O número de acessos foi modesto, porém entendemos que a participação dos estudantes contribuiu para ajudá-los no esclarecimento de dúvidas em relação ao conhecimento matemático, e desenvolveu habilidades de participação e construção de questionamentos em ambientes informatizados. 

Texto completo:

PDF

Referências


ANTUNES, C. Novas Maneiras de Ensinar, Novas Formas de Aprender. 2007. Disponível em: . Acesso em: 16/09/2012.

ARAÚJO, Claudia Helena dos Santos. A escola em tempos da virtualidade real do Orkut e MSN. Revista Educação e Mudança. nº 16 e 17. Disponível em: . Acesso em: 08/10/2011.

BAIRRAL, Marcelo Almeida. Discurso, interação e aprendizagem matemática em ambientes virtuais a distância. Rio de Janeiro: Editora Universidade Rural, 2007.

BEHAR, P.A. Modelos pedagógicos em educação a distância. Disponível em: . Acesso em: 22/02/2012.

BETTIO, R. W. de & MARTINS, A. Objetos de aprendizado: um novo modelo direcionado ao ensino a distância. Universia Brasil, 17 dezembro 2004. Disponível em: . Acesso em: 24/06/2013.

BORBA, Marcelo de Carvalho. Malheiros, Paula dos Santos. ZULATTO, Rubia Barcelos Amaral. Educação a distância on line. Belo Horizonte: Autêntica, 2007.

D’AMBROSIO, Ubiratan. Pesquisa Qualitativa em Educação Matemática. Belo Horizonte: Autêntica, 2004.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 2011.

KENSKI, Vani Moreira. Tecnologias e ensino Presencial e a distância. Campinas, SP: Papirus, 2003.

GOMES, L. A. Enciclopédias contemporâneas: o inclassificável nas obras de Jorge Luis Borges e Peter Greenaway. 2011. 124 f. Dissertação (Mestrado em Estudos Literários) - Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2011. Disponível em: . Acesso em: 29/08/2012.

NUNES, Terezinha; BRYANT, Peter; COSTA, Sandra. Crianças fazendo matemática. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.

PONTE, João Pedro da; BROCARDO, Joana; OLIVEIRA, Hélia. Investigações matemáticas em sala de aula. Belo Horizonte: Autêntica, 2005.

SÁ FILHO, C. S. & MACHADO, E. de C. O computador como agente transformador da educação e o papel do Objeto de Aprendizagem. Universia Brasil, 17 dezembro 2004. Disponível em: . Acesso em: 15/08/201.

SILVA, V. T.; BASSO, M. V. de A. Comunicação Digital para Matemática. Renote, Porto Alegre, v. 3, n. 2, 2005. Disponível em: . Acesso em: 30/06/2012.

STAREPRAVO, A. R. Jogando com a matemática: números e operações. Curitiba: Aymará, 2009.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.