CONTEÚDOS DE QUÍMICA NOS PROGRAMAS DE ENSINO DO COLÉGIO DE PEDRO II (1850 – 1890)

Renato da Silva Custódio

Resumo


Objetiva listar e analisar os conteúdos de Química inseridos nos Programas de Ensino do Colégio de Pedro II, compilados por Vechia e Lorenz (1998). O procedimento analítico foi realizado por meio de análise de conteúdo de sete Programas de Ensino (1850, 1856, 1858, 1862, 1877, 1878 e 1882), período marcado por Reformas Educacionais que alteraram conteúdos e reorganizaram o arranjo das disciplinas escolares. Para cada programa os conteúdos de Química eram ensinados em um nível/ano diferente com um número de itens de conteúdo que variava. Os conteúdos eram atualizados e direcionados ao ensino basilar e introdutório da Química, com destaque para os conteúdos da Química Inorgânica (sais, ácidos e metais). Os livros, quando utilizados, eram de origem europeia, condição que se modifica apenas em 1882. Os resultados apontam que a disciplina de Química no Colégio de Pedro II sofreu importantes modificações que contribuíram para sua institucionalização no ensino secundário brasileiro.


Palavras-chave


programas de ensino; história da disciplina de Química; conteúdo de Química;

Texto completo:

PDF

Referências


ATKINS, P.; JONES, L.; LAVERMAN, L. Princípios de química: questionando a vida moderna e o meio ambiente. 7. ed. Porto Alegre: Bookman, 2018. 830 p.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2004.

BELTRAN, M. H. R. História da Química e Ensino: estabelecendo interfaces entre campos interdisciplinares. Abakós, Belo Horizonte, v. 1, n. 2, p. 67-77, 2013.

BRASIL. Decreto nº 7.247, de 19 de Abril de 1879. Reforma o ensino primário e

secundário no município da Corte e o superior em todo o Império. Disponível em: . Acesso em: 20 mai. 2020.

CHASSOT, A. Uma história da educação química brasileira: sobre seu início discutível apenas a partir dos conquistadores. Epísteme, v. 1, n. 2, p. 129-146, 1996.

CHASSOT, A. Alfabetização científica: uma possibilidade para a inclusão social. Revista Brasileira de Educação, n. 22, p. 89-100, 2003.

CHERVEL, A. História das disciplinas escolares: reflexões sobre um campo de pesquisa. Teoria & Educação, n. 2, p. 177-229, 1990.

CHOPPIN, A. O historiador e o livro escolar – Tradução Maria Helena Camara Bastos. Revista História da Educação, v. 6, n 11, 2002.

CUSTÓDIO, R. S. Da Chimica europeia à Química no Brasil: caminhar histórico de uma disciplina (1750-1890). 2017. 210f. Dissertação de Mestrado em Educação – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2017.

DAVINI, M. C. Conflitos teóricos na evolução da didática. Cadernos de Pesquisa, n. 98, p. 24-36, 1996.

FONSECA, M. R. M. Química. São Paulo: Ática, 2013.

GOODSON, I. Tornando-se uma matéria acadêmica: padrões de explicação e evolução. Teoria & Educação, Porto Alegre: Pannonica, v. 1, n. 2, p. 230-254, 1990. Disponível em: . Acesso em: 23 mar. 2021.

GOODSON, Ivor. Currículo, narrativa e o futuro social. Revista Brasileira de Educação, v. 12, n. 35, p. 241-252, 2007. Disponível em: . Acesso em: 20 mar. 2021.

HOLANDA, S. B. O Brasil Monárquico – o progresso de emancipação. In: História geral da civilização brasileira. São Paulo: Editora USP, T. 2, v. 1, 1993.

JORNADA, J. I. P. – Uma Perspectiva Histórica Do Ensino De Química No Colégio Pedro II (1837 – 1889). Rio de Janeiro, 2013, 97f. Dissertação de Mestrado em Educação Científica e Tecnológica – CEFET Rio de Janeiro, 2013.

LIBÂNEO, J. C. Didática. São Paulo: Cortez, 1994.

LIMA, J. O. G. Um olhar sobre a história do ensino de Química no Brasil. In: ROMERO, M. A. V.; MAIA, S. R. R. O ensino e a formação do professor de Química em questão. Teresina: EDUFPI, 2013, 124 p, p. 12-28.

LOPES, A. C. Discursos curriculares na disciplina escolar Química. Ciência & Educação, Bauru, v. 11, n.2, p. 263-278, 2005.

LOPES, A. C.; MACEDO, E. Teorias do Currículo. São Paulo: Cortez, 2011.

LORENZ, K. M. Os Livros Didáticos e o Ensino de Ciências na Escola Secundária Brasileira do Século XIX. Ciência e Cultura, 38, nº 3, 426-435, 1986.

LORENZ, K. M. Ciência, Educação e Livros Didáticos do Século XIX. Os compêndios das Ciências Naturais do Colégio de Pedro II. Uberlândia: EDUFU, 2010.

MELONI, R. A.; VIANA, H. E. B. O ensino de Química no Brasil e os debates sobre o atomismo: um estudo dos programas da educação secundária (1850-1931). Química Nova na Escola, v. 39, p. 46-51, 2017.

MOACYR, P. A instrução e o Império (Subsídios para a história da educação no Brasil) 1823-1853. 1º vol. São Paulo: Cia. Editora Nacional, 1936.

MORI, R. C.; CURVELO, A. A. S. O que sabemos sobre os primeiros livros didáticos brasileiros para o ensino de Química. Química Nova, v. 37, nº 5, p. 919-926, 2014.

RHEINBOLDT, H. A Química no Brasil. In: Azevedo, F. (Orgs.) As ciências no Brasil. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, p. 9-108, 1994.

ROSA, M. I. P.; TOSTA, A. H. O lugar da Química na escola: movimentos constitutivos da disciplina no cotidiano escolar. Revista Ciência e Educação, v. 11, n. 2, p. 253-262, Bauru, 2005.

SAMPAIO G. M. E; SANTOS N. P. Os Livros Didáticos de Física e Química nos Primeiros Dezoito Anos do Colégio de Pedro II (1838-1856) In: Anais VI ENPEC - Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências – 2007 - UFSC, Florianópolis.

SCHEFFER, E. W. O. Química: Ciência e Disciplina Curricular, Uma Abordagem Histórica. 1997, 218f. Dissertação de Mestrado em Educação - Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 1997.

SCHNETZLER, R. Apontamentos Sobre a História do Ensino de Química no Brasil. In: SANTOS, W. L. P. MALDANER, O. A. MACHADO, P. F. (Orgs.) Ensino de Química em foco. 2ª ed. – Ijuí - RS: Ed. Unijuí, p. 53-68, 2019.

TAMBARA, E. Educação e Positivismo no Brasil. In: STEPHANOU, M; CÂMARA BASTOS, M.H. (Orgs.) Histórias e Memórias da Educação no Brasil. Petrópolis: Vozes, v. II, p.166-177, 2014.

VECHIA, A; O Ensino Secundário no Século XIX: instruindo as elites. In: STEPHANOU, M; CÂMARA BASTOS, M. H. (Orgs.) Histórias e Memórias da Educação no Brasil. Petrópolis: Vozes, v. II, p.78-90, 2014.

VECHIA, A; LORENZ, K. M. Programa de ensino da escola secundária brasileira: 1850-1951. Curitiba, Brasil: Autores, 1998.

VECHIA, A; LORENZ, K. M. O currículo de Couto Ferraz de 1855: compatibilizando o ensino propedêutico com o profissionalizante. In: Anais IV Seminário de Pesquisa da Região Sul - Anped Sul, Florianópolis, 2002.

VECHIA, A; LORENZ, K. M. O Colégio Pedro II: Centro de Referência das idéias educacionais transnacionais para o Ensino Secundário Brasileiro no Período Imperial. In: Anais do VI Congresso Luso-Brasileiro de História da Educação. Uberlândia, 2006.

VECHIA, A; LORENZ, K. M. O Collegio De Pedro II e a formação da mocidade Brasileira (1838-1889). Cadernos de História da Educação, Uberlândia v. 14, n. 1, jan./abr. 2015.

WURTZ, C. A. Leçons élémentaires de Chimie moderne. Paris, France. Typographie Lahure, 1867. Disponível em: . Acesso em 20 set. 2020.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.