ESCOLA: PROMOVENDO APRENDIZAGEM COOPERATIVA ATRAVÉS DOS JOGOS COOPERATIVOS

Marcos Teodorico Pinheiro de Almeida, Luana Caetano de Medeiros Lima

Resumo


O artigo tem como objetivo compartilhar experiências lúdicas educativas com jogos cooperativos no âmbito de uma escola pública no Estado do Ceará. O estudo foi desenvolvido em 2019 em parceria com Centro de Estudo Sobre Ludicidade e Lazer, do Instituto de Educação Física e Esportes da Universidade Federal do Ceará e a escola pública EEMTI Adahil Barreto Cavalcante localizada no município de Maracanaú. A experiência aqui apresentada foi desenvolvida nas aulas de educação física do primeiro ano do ensino médio com a participação de uma professora e duas alunas que recriaram e desenvolveram o playtest do jogo cooperativo El Frutal, da Haba, denominado de Nexialuno na perspectiva de disseminar entre os 103 discentes, da primeira série do ensino médio. A experiência educativa baseou-se na Game-Based Learning, tida como um tipo de metodologia ativa, pensada, em suas primeiras aplicações, para ensinar jovens. As vivências pedagógicas simuladas através de jogos são interessantes por promover a interação entre pessoas e proporcionar experiências em um ambiente capaz de ser seguro e democratizado. Para este estudo utilizamos as seguintes técnicas investigativas: observação participante e aplicabilidade de um questionário. Assim, realizamos três momentos de nossas ações: no primeiro momento o docente e os discentes envolvidos no processo, recriaram o jogo cooperativo com a temática centrada nas competências essenciais aos alunos que ingressam no ensino médio. No segundo momento, focamos na vivência e reflexão do jogo cooperativo. O terceiro e último momento verificarmos a opinião dos envolvidos no processo, sobre como se sentiram ao vivenciarem o jogo. Algumas conclusões parciais: i) com relação aos jogos cooperativos maioria dos discentes sabe o que significa e desejam que seja um conteúdo presente nas aulas de educação física. ii) Já com relação ao jogo cooperativo Nexialuno, criado pelos discentes juntamente com a professora de educação física, os alunos gostaram de vivenciar e afirmaram que o mesmo possibilitou a aquisição de novos conhecimentos com relação às competências necessárias para o processo de ensino e aprendizagem. Para nós os jogos estão ligados a cultura e se tornam referências conhecidas por estudantes em que podem relacionar os jogos a suas histórias de vida.


Palavras-chave


Escola; Educação física; Jogo cooperativo; Aprendizagem cooperativa.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, M.T.P.; CORREA, P. M. A. A.; RODRIGUES, L. K. O.; ALMEIDA NETO, F. H. O brincar, o lazer e a gamificacão: Pokémon Go e a sua influência na apropriação dos espaços públicos. In: X Seminário Ócio e Contemporaneidade, 2016, Fortaleza. Anais do Seminário Ócio e Contemporaneidade 2016. Fortaleza, CE: OTIUM, 2016. v. VII. p. 1-18.

ALMEIDA, M.T.P. Brincar Cooperativo: Vivências lúdicas de jogos não competitivos. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2010.

ALMEIDA, M.T.P. Jogos Cooperativos: Aprendizagens, métodos e práticas. Várzea Paulista, São Paulo: Fontoura, 2011a.

ALMEIDA, M.T.P. (Org.). Jogos cooperativos nos diferentes contextos. 1ª Ed. Jundiaí-SP: Fontoura, 2011b.

BARKLEY, Elizabeth; MAJOR, C. Howell; CROSS, K. Técnicas de aprendizaje colaborativo: Manual para el profesorado universitario. Madrid: Ediciones Morata, 2007.

BANTULÁ, J. Juegos motrices cooperativos. Barcelona: Paidotribo, 2001.

BOAVENTURA, de Sousa Santos. Um discurso sobre as ciências. São Paulo: Editora Cortez, 4ª Edição, 2006.

BORDENAVE, Juan E. Diaz. O que é participação? São Paulo, SP: Editora Brasiliense, 1983.

BROTTO, Fábio Otuzi. Jogos Cooperativos: O jogo e o esporte como um exercício de convivência. 4ª Edição. São Paulo, SP: Palas Athenas, 2013.

BROWN, G. Jogos Cooperativos: teoria e prática. 3. Ed. São Leopoldo: Sinodal, 1994.

CAILOIS, Roger. Os jogos e os homens. Lisboa – Portugal: Editora Cotovia, 1990.

CAPRA, F. As conexões ocultas: ciência para uma vida sustentável. São Paulo: Cultrix, 2002.

CORTELLA, M.S. Educação, escola e docência: novos tempos, novas atitudes. São Paulo: Cortez, 2014.

DEUTSCH, M.A. Theory of Co-operation and competition. Human relations, 2, 129-152. 1949.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: Saberes necessários à prática educativa. 24ª Edição, São Paulo: Editora Paz e Terra, 1996.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 11ª Edição, São Paulo: Editora Paz e Terra, 1987.

GIL, Antonio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5ª Edição, São Paulo - SP: Atlas, 1999.

GOLDSTEIN, Jeffrey; BUCKINGHAM, David & BROUGÈRE, Gilles. Toys Games and Media. New Jersey, London: Lawrence Erlbaum Associates, Publishers, 2014.

HUIZINGA, Johan. Homo Ludens. (2000). São Paulo - SP: Editora Perspectiva S. A.

JARES, X.R. El placer de jugar juntos. Nuevas técnicas y juegos cooperativos. Madrid: CCS, 1992.

LEFEVRE, Ana Maria; LEFEVRE, Fernando. (2012). Pesquisa de representação social: Um enfoque qualiquantitativo. Brasilia – DF: Liber Livro, 2ed.

MANN, Barry D.; EIDELSONB, Benjamin M.; FUKUCHI, Steven G.; NISSMAN, Steven A.; ROBERTSON, Scott; JARDINES, Lori. The development of an interactive game-based tool for learning surgical management algorithms via computer. The American Journal of Surgery, v. 183, n. 3, out., 2002.

MATURANA, Humberto. Emoções e linguagem na educação e na política. Belo Horizonte: UFMG, 2002.

MCGONIAL, Jane. A realidade em jogo: Por que os games nos tornam melhores e como eles podem mudar o mundo. Rio de Janeiro, RJ: Editora Bestseller, 2012.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. (2013). Pesquisa Social: Teoria, método e criatividade. Petrópolis – RJ: Editora Vozes, 33ed.

NEGRI, P.S. Intencionalidade Pedagógica – SlideShare. Disponível em: http://pt.slideshare.net/labteduel/intencionalidade-pedagogica - 22 de jul de 2010. Acesso em: 10/04/2016.

NEGRI, P.S. A Intencionalidade Pedagógica como Estratégia de Ensino. Publicado em 14 de março de 2013 por lilianamaro. Disponível em: https://lilianamaro.wordpress.com/2013/03/14/a-intencionalidade-pedagogica-como-estrategia-de-ensino-paulo-sergio-negri/.

ORLICK, T. Libres para cooperar, libres para crear. Barcelona: Paidotribo, 1995.

PRENSKY, Marc. Aprendizagem baseada em jogos digitais. Traduzido de Digital Game –Based Learning. São Paulo: Editora SENAC, 2012.

PUJOLÀS, P. Atención a la diversidad y aprendizaje cooperativo en la educación obligatoria. Málaga-ES: Ediciones ALJIBE, 2001.

RODRÍGUEZ GIMENO, J. M. y PUENTE FRA, E. El aprendizaje cooperativo en educación física. Actas del I congreso estatal de actividades físicas cooperativas. Valladolid: La peonza publicaciones, 2001.

RODRÍGUEZ GIMENO, J. M. (2003). Errores, miedos y problemas en la puesta en práctica de las actividades físicas cooperativas. Actas del III congreso estatal y I iberoamericano de actividades físicas cooperativas. Valladolid: La peonza publicaciones.

RUIZ OMEÑACA, R. y RUIZ OMEÑACA, J.V. Juegos cooperativos y Educación Física. Barcelona: Paidotribo, 1999.

RUIZ OMEÑACA, R., PUYUELO, E. y RUIZ OMEÑACA, J.V. Explorar, jugar, cooperar. Barcelona: Paidotribo, 2001.

RUIZ OMEÑACA, J. V. Actividades físicas cooperativas y educación en valores. Actas del II congreso estatal de actividades físicas cooperativas. Valladolid: La peonza publicaciones, 2002.

SALEN, Katie; ZIMMERMAN, Eric. (2012a). Regras do jogo: Fundamentos do design de jogos. São Paulo – SP: Blucher. Volume 1.

SCHELL, Jesse. (2011). A arte de game design: O livro original. Rio de Janeiro – RJ: Elsevier.

SCHUYTEMA, Paul. (2011). Design de Games: Uma abordagem prática. São Paulo – SP: Cengage Learning.

SEVERINO, Joaquim. (2007). Metodologia do Trabalho Cientifico. São Paulo – SP: Editora Cortez, 23ed.

SMITH, Karl A. Cooperative learning: Making “groupwork” work. in: Sutherland, Tracey; Bonwell,? Charles C. New directions for teaching and learning. 1ed. Estados Unidos: Jossey-Bass, 1996.

VELÁZQUEZ, C. O jogo cooperativo como recurso didático na educação física. ALMEIDA, M.T.P. (Org.). O jogo e o lúdico: sua aplicação em diferentes contextos. 1ª Ed. Fortaleza-CE: Prontograf Editora, 2013.

VELÁZQUEZ, C. Educação para a paz. Promovendo valores humanos na escola através da Educação Física e dos jogos cooperativos. Santos, SP: Projeto Cooperação, 2004.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.