A ATUAÇÃO COLABORATIVA DO INTÉRPRETE EDUCACIONAL EM ESCOLAS REGULARES

Rogers Rocha, Diego Machado da Silva, Lourival José Martins Filho

Resumo


Resumo: O presente artigo procurou relacionar a atuação do tradutor e intérprete educacional de Libras/Português de forma colaborativa (MENDES e LUNARDI, 2019) com os professores envolvidos da educação de surdos em escolas inclusivas.  Procurou-se definir o surdo como um sujeito social e cultural (SKLIAR, 1997) numa perspectiva bilíngue pertencente tanto em escolas bilíngues quanto em escolas inclusivas em que a sociedade civil é interventora da sociedade política nas decisões das políticas educacionais bilíngues. Conclui-se que a atuação do tradutor e intérprete educacional de Libras/Português deve-se desenvolver de forma colaborativa com professores regentes e professores da educação especial no sentido de compartilhar informações sobre a educação de surdo e aspectos linguísticos da Libras.


Palavras-chave


tradutor e intérprete, Libras/Português, professor, ensino colaborativo

Texto completo:

PDF

Referências


ALBRES, N. A. Intérprete Educacional: Políticas e Práticas de Aula Inclusiva. Editora Harmonia, São Paulo, 2015.

ALBRES, Neiva de Aquino; OLIVEIRA, Sonia Regina Nascimento de. Libras em estudo: política linguística. Concepções de lingua(gem) e seus Efeitos nas Conquistas Políticas e Educacionais das Comunidades Surdas no Brasil. Feneis, São Paulo, 2013.

BARROS, E.M. O Mundo do Silêncio – Uma Breve Contextualização da Trajetória do Indivíduo Surdo na Humanidade. Rio de Janeiro. Arara Azul, Edicao 07 – 1, 2010.

BRASIL. Decreto nº 5.626, de 22 de dezembro de 2005. Regulamenta A Lei no 10.436, de 24 de Abril de 2002, Que Dispõe Sobre A Língua Brasileira de Sinais - Libras, e O Art. 18 da Lei no 10.098, de 19 de Dezembro de 2000. Brasília, Disponível em: . http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2005/decreto/d5626.htm. Acesso: 07 de jun de 2020.

______. Lei nº 13.146, de 06 de julho de 2015. Institui A Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa Com Deficiência: (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Brasília, Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/Lei/L13146.htm. Acesso: 07 de jun de 2020.

______.Lei Federal N 10.436 de 224 de abril de 2002. Reconhecimento da Língua Brasileira de Sinais e da outras providências, Brasília, 2002a.

______.Lei N 9.9394 de 20 de Dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, 1996b.

______.Lei N 12.319, de 1 de setembro de 2010. Regulamenta a profissão de Tradutor e Intérprete da Língua Brasileira de Sinais-LIBRAS.2010ª.

BRITO, L. F. Os Direitos Lingüísticos dos Surdos. Revista de Cultura Vozes, Petrópolis, Vozes, n. 5, p. 388-391, 1985.

GESSER, A. Metodologia de Ensino de Libras como L2. Universidade Federal de Santa Catarina. Licenciatura e Bacharelado em Letras-Libras na Modalidade a Distância. Florianópolis, 2010. Disponível em :

MOURA, Rosana Silva de; HARDT, Lúcia Schneider. Filosofia da Educação - Entre Devires, Interrupções e Aberturas - Outro Mundo Contemplado: A Educação,suas Tarefas e seus Paradoxos segundo Kant, Blumenau- Edifurb, 2016.

ROCHA, R.; MARTINS FILHO, L. J. Fenômenos Linguísticos e Fatos de Linguagem. Concepção de Lingua (gem) no Decorrer Histórico e Seus Efeitos na Educação de Surdos no Brasil. Ponta Grossa: Editora Atena, 2019.

RODRIGUES, C. H.; SILVÉRIO, C. C. P. Pensando a Educação Bilíngue de/ com/para Surdos. In: RODRIGUES, C. H.; GONÇALVES, R. M. (org.). Educação e Diversidade: Questões e diálogos. Juiz de Fora: Editora UFJF, 2013.

SÁ, N. R. L. Cultura, Poder e Educação de Surdos. Manaus: Editora da Universidade Federal do Amazonas, 2002. 388p.

SKLIAR, Carlos. A Educação para os Surdos entre a Pedagogia Especial e as Políticas para as Diferenças. In: SEMINÁRIO NACIONAL DO INES - DESAFIOS E POSSIBILIDADES NA EDUCAÇÃO BILÍNGÜE PARA SURDOS, 2, 1997, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: INES, 1997. p. 32-47.

SKLIAR, C. (Org). A surdez: um olhar sobre as diferenças. Porto Alegre: Editora Mediação, 1998.

SKLIAR, C. (Org). Atualidade da educação bilíngue para surdos. Porto Alegre: Editora Mediação,1999.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.