PRIMEIROS PASSOS DA EDUCAÇÃO ESPECIAL NO DESENVOLVIMENTO DA INICIAÇÃO CIENTÍFICA NA EDUCAÇÃO BÁSICA

Renata Gomes Camargo

Resumo


A Educação Especial é uma modalidade educacional transversal, logo perpassa todos os níveis de ensino, a atuação dessa modalidade implica colaborativo dos docentes da educação especial e das demais disciplinas. Neste sentido, o objetivo deste relato de docência é apresentar e compreender a experiência da orientação no projeto de pesquisa e de extensão Pés na Estrada do Conhecimento – Iniciação Científica na Escola com foco na inclusão educacional. A metodologia seguiu a abordagem qualitativa, caracterizada pela riqueza de descrições originárias dos dados recolhidos no trabalho de campo (BOGDAN, BIKLEN, 1994). Em 2019, uma professora de Educação Especial atuou como orientadora de um grupo de estudantes do projeto, nas aulas de Iniciação Científica. Um dos resultados principais é que ao se buscar alternativas para constituição da acessibilidade e inclusão educacional do estudante com Transtorno do Espectro Autista presente no grupo, os demais estudantes se beneficiaram, o que evidencia que os princípios educacionais dessas podem gerar qualidade de ensino para todos. Isso foi possível, dentre outros, pela possibilidade de estudantes e professores se verem como pesquisadores, mudando a lógica das relações escolares, o que é propiciado por este projeto.

Palavras-chave


Educação Especial. Iniciação Cientifica. Transtorno do Espectro Autista.

Texto completo:

PDF

Referências


ACIEM, MT; SALA, E. Educação Inclusiva: aspectos político-sociais e práticos. 1 ed. São Paulo: Paco Editorial,2014.

BEYER, H. O. Inclusão e Avaliação na Escola de alunos com necessidades educacionais especiais. 2. ed. Porto Alegre: Mediação, 2006.

BOSA, C. A. Autismo: intervenções psicoeducacionais. Rev. Bras. Psiquiatr. vol.28 supl.1 São Paulo Maio 2006.

BLANCO, R. A atenção à diversidade na sala de aula e as adaptações do currículo. In: COLL, C.; MARCHESI, Á.; PALACIOS, J. Desenvolvimento psicológico e educação: Transtornos de desenvolvimento e necessidades educativas especiais. Porto Alegre: Artmed, 2004.

BOGDAN, R.; BIKLEN, S. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Portugal: Porto, 1994.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Imprensa Oficial, 1988.

______. Decreto Nº 7.611, de 17 de novembro de 2011. Dispõe sobre a educação especial, o atendimento educacional especializado e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 17 nov. 2011. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2011/Decreto/D7611.htm. Acesso em: 13 fev. 2012.

_______. Estatuto da criança e do adolescente. São Paulo: Cortez, 1990.

_______. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Nº 9394/96 de 20 de dezembro de 1996.

_______. Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência. Brasilía, 2015. Acesso em: 01 de Abr. 2019. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/CCIVIL_03/_Ato2015-2018/2015/Lei/L13146.htm

______. Ministério da Educação. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Especial, 2008.

CARNEVALE, L. B.; BERBERIAN, A. P.; MORAES, P. D.; KRUGER, S. Comunicação Alternativa no Contexto Educacional: Conhecimento de Professores. Rev. Bras. Ed. Esp., Marília, v. 19, n.2, p. 243-256, Abr.-Jun., 2013. Marília – SP, 2013.

GARCIA, R. M. C. Reflexões teórico-metodológicas acerca das políticas para a Educação Especial no contexto educacional brasileiro. Revista da FAEEBA – Educação e Contemporaneidade, Salvador, v. 16, n. 27, p. 1-258, jan./jun., 2007

GARDNER, H. Estruturas da Mente: A Teoria das Inteligências Múltiplas. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 1994.

____________. Inteligencias múltiples: la teoria em la práctica. Tradução por María Teresa Melero Nogués. 1ª ed. 4ª reim. Buenos Aires: Paidós, 2011.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas S.A., 2006.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.