VIOLÊNCIA CONTRA AS MULHERES: PENSANDO FORMAS DE COMBATE

Odair Souza

Resumo


O presente artigo relata uma experiência com projetos de trabalho realizado nas turmas 9º ano 1 e 2 da Escola Básica Dr. Ivo Silveira, no bairro Penha, Município de Paulo Lopes. Teve como foco central a vinculação ao projeto norteador anual da escola para o ano de 2019 cujo tema é: Por um mundo com mais amor e sem violências.  Este subprojeto teve como terma as violências contra as mulheres e formas de combate. A metodologia adotada foi em forma de entrevistas com mulheres sendo entrevistadas pelos alunos e alunas e o estudo das narrativas de forma problematizadora e questionadora. Ao final socializaram-se as experiências dos vídeos produzidos no dia 08 de março de 2019 num evento promovido pela escola

Texto completo:

PDF

Referências


BLAY, Eva Alterman. 8 de março: conquistas e controvérsias. Estudos Feministas. Florianópolis. Vol. 2, ano 2001. pp. 601 – 607.

BRASIL, Lei Maria da Penha. Lei nº 11.340, de 07 de agosto de 2006. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2006/Lei/L11340.htm. Acesso em 20/03/2019.

FERREIRA, Jonatas; HAMLIN, Cynthia. Mulheres, negros e outros monstros: um ensaio sobre corpos não civilizados. Estudos feministas. Florianópolis, vol. 18, nº 3, set/dez. 2010, pp. 811 – 836.

GONZÁLES, Ana Isabel Álvarez. As origens e a comemoração do dia Internacional das Mulheres. São Paulo: editora expressão popular, 2010, 208 p.

HERNÁNDEZ, Fernando. Transgressão e mudança na educação: os projetos de trabalho. Porto Alegre: Artmed, 1998, 152 p.

HERNÁNDEZ, Fernando e VENTURA, Montserrat. A organização do currículo por projetos de trabalho: o conhecimento é um caleidoscópio. 5ª ed. Porto Alegre: Artmed, 1998, 200 p.

MOÇO, Anderson. Tudo o que você sempre quis saber sobre projetos. Nova Escola. Abril, 2011, p. 50 – 57.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.