A experiência homoafetiva masculina na adolescência a partir da análise da série Sex Education

Brena Hennemann Fritzen, Carine Redivo Bonchristiani, Rafaela Amaral Lange, Sara Ludwig Moraes

Resumo


Este trabalho teve como objetivo investigar a vivência da homoafetividade masculina
durante a adolescência nos contextos de escola e família. Além disso, compreender
os conflitos gerados pela heteronormatividade e homofobia na construção da
identidade homoafetiva na adolescência, analisar a homonegatividade, descrever o
bullying homofóbico no contexto escolar e identificar as possíveis reações familiares
sobre a homoafetividade dos filhos a fim de entender as dificuldades e barreiras
sociais que perpassam os sujeitos na descoberta, construção e revelação da
homoafetividade na adolescência. Para isso, foi realizada uma observação analítica
e crítica da série Sex Education (Netflix), relacionando cenas das duas temporadas
da série e articulando a questão LGBTQIA+ com diversas pesquisas que abordaram
a mesma temática. Concluiu-se, por meio da análise de dois personagens que
apresentam relações homoafetivas na série, Eric e Adam, que a escola e a família
são duas instituições as quais influenciam muito na construção da identidade de
gênero e autoaceitação do sujeito. Além disso, a heteronormatividade presente na
sociedade perpassa diversos âmbitos, como o bullying, as expectativas sociais
relacionadas aos papéis de gênero e as relações de poder.

Texto completo:

PDF

Referências


Amendola, M. F. (2014). História da construção do Código de Ética Profissional do

Psicólogo. Estudos e Pesquisas em Psicologia, 14(2), 660-685.

Campbell, J., Nunn, L., & Taylor, B. (Produtores Executivos). (2019-2021). Sex Education

[série]. Eleven Films; Netflix.

Carvalho, J. B., & Melo, M. C. (2019). A família e os papéis de gênero na adolescência.

Psicologia & Sociedade, 31, e168505.

https://dx.doi.org/10.1590/1807-0310/2019v31168505

Cerveny, M. de O. (2011). Família e… (Cap. 7, pp. 115-147). São Paulo, SP: Casa do

Psicólogo.

Costa, M. C., Lopes, C. P. A., Souza R. P, & Patel B. N. (2001). Sexualidade na

adolescência desenvolvimento, vivência e propostas de intervenção. Jornal de

Pediatria, 77(2), 217-224. Recuperado de

http://www.jped.com.br/conteudo/01-77-s217/port.pdf

Foucault, M. (1999). Vigiar e punir: nascimento da prisão. Petrópolis, Editora Vozes.

Gil, A. C. (2008). Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. Atlas SA.

Marola, C. A. G., Sanches, C. S. M., & Cardoso, L. M. (2011). Formação de conceitos em

sexualidade na adolescência e suas influências. Psicologia da Educação. Programa

de Estudos Pós-Graduados em Educação: Psicologia da Educação. ISSN

-3520, (33).

Netflix Brasil. (2020, 23 janeiro). Pesquisa da Netflix revela o quanto a representatividade

importa para jovens brasileiros [vídeo]. Youtube. Recuperado de

https://www.youtube.com/watch?v=M-EgOwH_Us0

Revista de Pesquisa e Prática em Psicologia (UFSC)

Oliveira, J. M. de (2010). Orientação Sexual e Identidade de Género na psicologia: notas

para uma psicologia lésbica, gay, bissexual, trans e queer. In C. Nogueira & J. M. de

Oliveira (Org.), Estudo sobre a discriminação em função da orientação sexual e da

identidade de género (pp. 19-42). Comissão para a Cidadania e a Igualdade de

Género.

Reis, T. (org). Manual de Comunicação LGBTI+. 2. ed. Curitiba: Aliança Nacional LGBTI /

GayLatino, 2018. ISBN: 978-85-66278-11-8

Rojas, E. B. (2019). Heteronormatividade escolar no México: Reflexões sobre a vigilância e

punição da homossexualidade na escola. Sexualidade, Saúde e Sociedade (Rio de

Janeiro), (33), 180-199. https://doi.org/10.1590/1984-6487.sess.2019.33.10.a

Santos, W. B., & Dinis, N. F. (2018). Violência e risco de suicídio na construção de

masculinidades adolescentes. Cadernos Pagu (52), e185218.

http://dx.doi.org/10.1590/18094449201800520018

Schoen-Ferreira, T. H., Aznar-Farias, M., & Silvares, E. F. D. M. (2010). Adolescência

através dos séculos. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 26(2), 227-234.

https://doi.org/10.1590/S0102-37722010000200004

Teixeira, F. S. Fº., Rondini, C. A., & Bessa, J. C. (2011). Reflexões sobre homofobia e

educação em escolas do interior paulista. Educação e Pesquisa, 37(4), 725-741.

https://doi.org/10.1590/S1517-97022011000400004

Teixeira, F. S. Fº., Marretto, C. A. R., Santos, E. N. dos & Mendes, A. B. (2012). Homofobia

e Sexualidade em Adolescentes: Trajetórias Sexuais, Riscos e Vulnerabilidades.

Psicologia: Ciência e Profissão, 32(1), 16-33.

http://dx.doi.org/10.1590/S1414-98932012000100003

Weeks, J. (2014). The Theorisation of Sex. In J. Weeks, Sex, politics, and society: the

regulation of sexuality since 1800 (3rd ed., pp. 195-199). Routledge.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.