Disputas políticas e discursos moralizadores em torno da construção do primeiro mercado público de Desterro

Autores

Palavras-chave:

Primeiro Mercado Público, Teorias higienistas, Relações raciais, Grupos políticos.

Resumo

A comercialização de alimentos na atual Praça XV, em Florianópolis foi, antes da metade do século XIX, motivo para discussões, colaborando para a gestação dos partidos Liberal e Conservador em Santa Catarina. As condições de higiene das barraquinhas e a condição social de vendedores e frequentadores justificaram a necessidade da edificação de um mercado público para facilitar a regulação da compra e venda de produtos. Interesses econômicos, junto com argumentos estéticos e higiênicos e questões raciais dividiram opiniões contra ou a favor da construção do edifício do mercado público na praça matriz da capital.

Biografia do Autor

Lívia Galveias, Universidade Federal de Santa Catarina

Graduação em Antropologia (Universidade de Coimbra)Pós-graduação em Antropologia (ISCTE, Lisboa)Mestrado em Sociologia (Universidade de Coimbra)Graduanda de História (UFSC)

Downloads

Publicado

2022-09-19 — Atualizado em 2022-09-21

Versões

Edição

Seção

Artigos