No fundo d’O Poço: a empatia como intermédio das relações humanas

Autores

  • Higor Rian de Melo Universidade Federal de Santa Catarina
  • Rafael Gustavo de Lima Universidade Federal de Santa Catarina
  • Roberto Aurélio Merlo Filho Universidade Federal de Santa Catarina
  • Thiago Henrique de Barros Brito Universidade Federal de Santa Catarina

Resumo

Em um contexto marcado pela violência, medo e a fome, o filme “O Poço” coloca a empatia e a cooperação como bases fundamentais para a melhoria e mudança do “status quo” – e, além disso, ressalta a necessidade de crítica ao indivíduo. Frente a isso, o presente trabalho se propõe a analisar, como objetivo geral, como a empatia se apresenta através das cenas do filme "O Poço" e como esse conceito se relaciona com as condições dos personagens  nesse contexto hostil, entre outras condições nem sempre pró-sociais. O método baseou-se na análise de três cenas, que retratam as visões pessimista, otimista e realista daquele contexto, sob a visão de categorias comportamentais de empatia, da cooperação e da violência. Várias relações entre a literatura e o filme puderam ser demonstradas, bem como a relação entre os conceitos e a mudança ou manutenção do contexto que circunda o indivíduo. Por fim, o trabalho conclui que os humanos se encontram fortemente sugestionados a uma competição ou cooperação a partir do contexto no qual estão inseridos e a partir de situações sociais pré-existentes, de forma que as ações pró-sociais devem estar atreladas ao senso crítico e às condições possíveis para que garantam um ambiente mais cooperativo.Palavras chave: O Poço; empatia; cooperação; violência, fome.

Biografia do Autor

Higor Rian de Melo, Universidade Federal de Santa Catarina

Departamento de Psicologia

Rafael Gustavo de Lima, Universidade Federal de Santa Catarina

Departamento de Psicologia

Roberto Aurélio Merlo Filho, Universidade Federal de Santa Catarina

Departamento de Psicologia

Thiago Henrique de Barros Brito, Universidade Federal de Santa Catarina

Departamento de Psicologia

Referências

Alencar, A., & Yamamoto, M. E. (2009). A teoria dos jogos como metodologia de investigação científica para a cooperação na perspectiva da psicologia evolucionista. Psico, 39(4), pp. 522-529.

Alencar, A. I. (2010). Cooperação entre os humanos: quatro razões para sua existência. Carpe Diem: Revista Cultural E Científica Do UNIFACEX, 9(1). Recuperado de https://periodicos.unifacex.com.br/Revista/article/view/99

Azevedo, S. M. L. D., Mota, M. M. P. E. D., & Mettrau, M. B. (2018). Empatia: perfil da produção científica e medidas mais utilizadas em pesquisa. Estudos Interdisciplinares em Psicologia, 9(3), 03-23.

Camargo, L. S. & Becker, M. L. R. (2012). O percurso do conceito de cooperação na epistemologia genética. Educação & Realidade v. 37(2), pp. 527-549.

Case, N. (2017). A evolução da confiança [traduzido por Emerson Rocha]. Disponível em: https://confianca.etica.ai/

de Assis, M. (2019). Quincas Borba. L&PM.

Depow, G. J., Francis, Z., & Inzlicht, M. (2020). The experience of empathy in everyday life. Psychological Science, 0956797621995202.

Drexler, J. (2004). Todo se transforma [Tudo se transforma]. In Eco [CD]. Jorge Drexler.

Ferreira, C. F. & Wendt, V. P. C. (2016). Segregação Humana, Cultura do Medo e Sociedade de Consumo. Revista de Direito, Globalização e Responsabilidade nas Relações de Consumo, 2(1), 1-15. http://dx.doi.org/10.26668/IndexLawJournals/2526-0030/2016.v2i1.673.

Formiga, N. S. (2016). Verificação de um modelo teórico entre a empatia, socialização ética e orientação cultural em jovens brasileiros. Actualidades en Psicología, 30(120), 97-112.

Gaztelu-Urrutia, G. (Diretor). (2019). O Poço [Filme]. Netflix.

Lencastre, M. P. A. (2010). Bondade, Altruísmo e Cooperação. Considerações evolutivas para a educação e a ética ambiental. Revista Lusófona de Educação, 15(15).

López, M. B., Arán Filippetti, V., & Richaud, M. C. (2014). Empatía: desde la percepción automática hasta los procesos controlados.

Minayo, M. C. S. (1994). Violência social sob a perspectiva da saúde pública. Cadernos de Saúde Pública, 10(1) , pp. S7-S18. https://doi.org/10.1590/S0102-311X1994000500002

Ministério da Saúde (2016). Viva: instrutivo notificação de violência interpessoal e autoprovocada (2ed). Ministério da Saúde. https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/viva_instrutivo_violencia_interpessoal_autoprovocada_2ed.pdf

Oliveira Falcone, E. M., Ferreira, M. C., Luz, R. C. M., Fernandes, C. S., Assis Faria, C., D'Augustin, J. F., & Pinho, V. D. (2008). Inventário de Empatia (IE): desenvolvimento e validação de uma medida brasileira. Avaliaçao Psicologica: Interamerican Journal of Psychological Assessment, 7(3), 321-334.

Ortiz-Ospina, E., & Roser, M. (2016) - "Trust". Publicado online em OurWorldInData.org. Obtido em: 'https://ourworldindata.org/trust' [recurso online]

Palmieri, M. W. A., & Branco, A. U. (2004). Cooperação, competição e individualismo em uma perspectiva sócio-cultural construtivista. Psicologia: Reflexão e Crítica, 17(2), pp. 189-198.

Rodrigues, M. C., Peron, N. B., Cornélio, M. M., & de Rezende Franco, G. (2014). Implementação e avaliação de um Programa de Desenvolvimento da Empatia em estudantes de Psicologia. Estudos e Pesquisas em Psicologia, 14(3), 914-932.

Rosaneli, C. F., Ribeiro, A. L. C., Assis, L. de, Silva, T. M. da, & Siqueira, J. E. de. (2015). A fragilidade humana diante da pobreza e da fome. Revista Bioética, 23(1), 89–97. https://doi.org/10.1590/1983-80422015231049

Sampaio, L. R., Camino, C. P. D. S., & Roazzi, A. (2009). Review of the conceptual, theoretical and methodological aspects of empathy. Psicologia: Ciencia e Profissao, 29(2), 212.

Santos, K. L. dos, Panizzon, J., Cenci, M. M., Grabowski, G., & Jahno, V. D. (2020). Perdas e desperdícios de alimentos: reflexões sobre o atual cenário brasileiro. Brazilian Journal of Food Technology, 23. https://doi.org/10.1590/1981-6723.13419

Santos, L. O. (2003). O medo contemporâneo: abordando suas diferentes dimensões. Psicologia: ciência e profissão, 23(2), 48-49. http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-98932003000200008&lng=pt&tlng=pt.

Uchôa, C. (2017). As contradições da sobrevivência humana. Ide, 40(64), 55–66. https://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-31062017000200005&lng=pt&tlng=pt.

UNICEF (2021). Relatório da ONU: ano pandêmico marcado por aumento da fome no mundo. https://www.unicef.org/brazil/comunicados-de-imprensa/relatorio-da-onu-ano-pandemico-marcado-por-aumento-da-fome-no-mundo#:~:text=No%20geral%2C%20mais%20de%202,nos%20cinco%20anos%20anteriores%20combinados

Downloads

Publicado

2021-11-03