Tristeza, raiva e o uso desmedido da tecnologia: uma problemática contemporânea no episódio "Quinze milhões de méritos" de Black Mirror

Gabriela Silva de Carvalho, Paola Rosa Barbosa, Micaela Fernandez Leitão

Resumo


Esse artigo busca estudar os efeitos provenientes de um uso desmedido e exacerbado das tecnologias atuais, que é a situação na qual nossa sociedade está atualmente inserida. Para fazê-lo, foi analisado o episódio “15 milhões de méritos” da série Black Mirror, que é uma metáfora da realidade em que as pessoas estão inseridas como indivíduos e comunidade. Assim, estudou-se fatores psicossociais ocasionados por essa imersão constante em um contexto tecnológico, que são a alienação e a solidão, as quais observamos, através da personagem, desencadear emoções no indivíduo que as vivencia. Dessa forma, essas foram exploradas com base nos estudos de Paul Ekman, e observado o quanto afetam os indivíduos e a sociedade em que fazem parte, e de que maneira a tecnologia e suas consequências acarretam tais emoções.



Texto completo:

PDF

Referências


Adibifar, K. (2016). Technology and Alienation in Modern-Day Societies. International Journal of Social Science Studies, 4(9), 61-68. doi:http://dx.doi.org/10.11114/ijsss.v4i9.1797

Arendt, H. (2007). A condição humana. Forense universitária.

Brecha, M. G. D. S., Lopez, N. P., & Postigo, V. M. C. (2012). Voracidade e sofrimento psíquico na adicção: considerações sobre compulsão, hedonismo e imediatismo no contemporâneo. Recuperado em https://silo.tips/download/voracidade-e-sofrimento-psiquico-na-adicao-consideraoes-sobre-compulsao-hedonism

Brooker, C., Reisz, B., & Jones, A.(Produtores executivos). (2011). Black Mirror [TV series]. Netflix.

Chauí, M. (1995) Cultura política e Política cultural. Estudos Avançados, 9 (23), 71-84. https://www.revistas.usp.br/eav/article/view/8848

Duarte, N. (2004). Formação do indivíduo, consciência e alienação: o ser humano na psicologia de AN Leontiev. Cadernos Cedes, 24(62), 44-63.

Ekman, P. (2011). A linguagem das emoções. São Paulo: Lua de Papel.

Gent, E. (2019, março 6). Quem são os hikikomori, os jovens japoneses que vivem sem sair de seus quartos. BBC News Brasil. Recuperado em https://www.bbc.com/portuguese

Gierveld,J.J., Tilburg, T.V., & Dykstra, P. A. (2006). Loneliness and social isolation. In A. L. Vangelisti & D. Perlman (Eds.), The Cambridge Handbook of Personal Relationships (485–500). chapter, Cambridge: Cambridge University Press.

Heller, E. (2013). A psicologia das cores: como as cores afetam a emoção ea razão. Editorial

Gustavo Gili.

IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Trabalho e Rendimento, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio Contínua 2017-2018. (2018). Uso de Internet, televisão e celular no Brasil. [Página da web]. Recuperado em https://educa.ibge.gov.br/criancas/brasil/2697-ie-ibge-educa/jovens/materias-especiais/20787-uso-de-internet-televisao-e-celular-no-brasil.html#:~:text=Entre%20os%20brasileiros%20com%2010,per%C3%ADodo%20de%20refer%C3%AAncia%20da%20pesquisa.

Machado, L.V., Facci, M.G.D., & Barroco, S.M.S. (2011). Teoria das emoções em Vigotski. Psicologia em Estudo, 16(4), 647-657. Doi: https://doi.org/10.1590/S1413-73722011000400015.

Minayo, M. C. D. S., & Sanches, O. (1993). Quantitative and qualitative methods: opposition or complementarity?. Cadernos de saúde pública, 9(3), 237-248.

Pais, J. M. (2013). Nos rastos da solidão: deambulações sociológicas.(Col. Enciclopédia Moderna, n. 10). Cadernos de Pesquisa, 40(139), 322.

Passos, F. A. (2017). Tecnologia e alienação do mundo em Hannah Arendt. Pensando-Revista de Filosofia, 8(15), 31-44.

Pinheiro, E. M., Kakehashi, T. Y., & Angelo, M. (2005). O uso de filmagem em pesquisas qualitativas. Revista Latino-Americana de Enfermagem, 13(5), 717-722. https://dx.doi.org/10.1590/S0104-11692005000500016

Reino Unido nomeia secretária para combater a solidão (2018, janeiro 17). BBC News Brasil. Recuperado em https://www.bbc.com/portuguese

Santos, L. O. (2003). O medo contemporâneo: abordando suas diferentes dimensões. Psicologia: Ciência e Profissão, 23(2), 48-49. https://dx.doi.org/10.1590/S1414-98932003000200008

Sawaia, B. B. (2009). Psicologia e desigualdade social: uma reflexão sobre liberdade e tranformação social. Psicologia & Sociedade, 21(3), 364-372.

Sayuri, J. (2020). Solidão já é tratada como epidemia no mundo e impacta até na política. [Página da web]. https://tab.uol.com.br/noticias/redacao/2020/03/06/qual-o-impacto-politico-da-solidao-que-so-aumenta-pelo-mundo.htm#:~:text=Segundo%20a%20enquete%2C%20que%20contou,como%20perfil%20predominante%20de%20solit%C3%A1rios).

Slade, G. (2012). Big disconnect: The story of technology and loneliness. Prometheus Books.

Wilson, C. (2018). Is it love or loneliness? Exploring the impact of everyday digital technology use on the wellbeing of older adults. Ageing & Society, 38(7), 1307-1331.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.