A vivência da pessoa com deficiência visual durante a adolescência: Uma análise a partir do filme Hoje Eu Quero Voltar Sozinho

Bárbara Souto, Isadora Luiza Bergamo Ortolan, Mariana Andrade Soares, Sarah Brito Saminez

Resumo


O movimento político das pessoas com deficiência constituiu um marco importante na luta do reclame de seus direitos, de modo que os colocou à frente dessa transformação como também revelou a estrutura social capacitista que exclui qualquer forma de vida que destoa do padrão de normalidade. Desse modo, esta pesquisa visa identificar os processos de exclusão das pessoas com deficiência, assim como as barreiras atitudinais que impedem a participação social em igualdade de condições. Assim, o artigo visa analisar a passagem pela adolescência de uma pessoa com deficiência a partir do protagonismo de Léo no filme “Hoje eu Quero Voltar Sozinho”. A partir disso, foram feitas reflexões acerca da hierarquização dos corpos e a necessidade da desconstrução de narrativas corponormativas, de modo que seja possível a superação das barreiras atitudinais e estruturais fundantes na relação entre sociedade e as pessoas com deficiência. 



Texto completo:

PDF

Referências


Alves, C. A. (2014). As condições crônicas de saúde na infância e adolescência e as

tessituras do cuidado (Doctoral dissertation).

Amaral, L. Conhecendo a deficiência. SP: Robe, 1995.

Barbieri, M. C., Broekman, G. V. D. Z., Souza, R. O. D. D., Lima, R. A. G. D., Wernet, M., & Dupas, G. (2016). Rede de suporte da família da criança e adolescente com deficiência visual: potencialidades e fragilidades. Ciência & Saúde Coletiva, 21, 3213-3223.

Bezerra, C. P.; Pagliuca, & L. M. F. (2010). A vivência da sexualidade por adolescentes portadoras de deficiência visual. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 44(3), pp.578-583. Disponível em https://www.scielo.br/pdf/reeusp/v44n3/05.pdf

Brasil. Lei 13.146, de 6 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão das Pessoas com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Diário Oficial da União 2015; 7 jul.

Daniel Ribeiro (Diretor). (2014). Hoje Eu Quero Voltar Sozinho [Filme]. Lacuna Filmes.

de Lima, F. J., & dos Santos Silva, F. T. (2008). Barreiras atitudinais: obstáculos à pessoa com deficiência na escola. Itinerários da inclusão escolar: múltiplos olhares, saberes e práticas, 6-9.

Dias, F. B. G., & Pingoello, I. (2016). Bullying na educação inclusiva. Revista de Educação do Vale do Arinos-RELVA, 3(1). Disponível em https://periodicos.unemat.br/index.php/relva/article/view/1458

Diniz, D. (2007). O que é deficiência?. São Paulo: Brasiliense.

Erikson, E. (1976). Identidade: juventude e crise. Rio de Janeiro: Zahar

Freitas, M., Santos, A. J., Ribeiro, O., Pimenta, M., & Rubin, K. H. (2018). Qualidade da amizade na adolescência e ajustamento social no grupo de pares. Análise Psicológica, 36(2), 219-234. doi 10.14417/ap.1551

Freud, S. (1915). Os instintos e suas vicissitudes. Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud, 14, 123-144.

Gesser, M. (2019). Psicologia e Deficiência: desafios à atuação profissional no campo das políticas públicas. In Gesser, M., Lopes, P. H., Raupp, F. A., Luz, J. O., & Luiz, K. G. (Orgs). Psicologia e Pessoas com Deficiência (caderno temático do CRP, pp. 43-56). Florianópolis, SC: Tribo da Ilha.

Júnior, M. C. M. L. (Ed.). (2010). História do movimento político das pessoas com deficiência no Brasil. Presidência da República, Secretaria de Direitos Humanos, Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência.

Maia, A. (2012). Educação sexual e sexualidade no discurso de uma pessoa com deficiência visual. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, 6(3), 90-101. doi 10.21723/riaee.v6i3.5004

Maia, A. C. B. (2011). Educação sexual e sexualidade no discurso de uma pessoa com deficiência visual. Revista Ibero-americana de Estudos em Educação, 6(3), 90-101.

Maia, A. C. ., & Ribeiro, P. R. M. (2010). Desfazendo mitos para minimizar o preconceito sobre a sexualidade de pessoas com deficiências. Revista Brasileira de Educação Especial. Associação Brasileira de Pesquisadores em Educação Especial - ABPEE, 16(2), pp. 159-176. Disponível em http://hdl.handle.net/11449/30124

Martins, B. S. (2009). O “corpo-sujeito” nas representações culturais da cegueira. Fractal: Revista de Psicologia, 21(1), pp. 5-22, Jan./Abr. Disponível em https://periodicos.uff.br/fractal/article/view/4724

Mello, A. G. de & Nuernberg, A. H. (2012). Gênero e deficiência: interseções e perspectivas. Rev. Estud. Fem., 20(3), p.635-655. doi: 10.1590/S0104-026X2012000300003

Mendes, M. J. G., Schroeder, T. M. R., & Denari, F. E. (2020). Violência contra pessoas com deficiência: um estudo de caso (Violence against people with disabilities: a case report). Revista Eletrônica de Educação, 14, 3308080.

Nascimento, G. C. C. do, Burnagui, J. G., & Rosa, M. P. da. (2016). Autonomia e independência: percepção de adolescentes com deficiência visual e de seus cuidadores. Revista De Terapia Ocupacional Da Universidade De São Paulo, 27(1), 21-28. https://doi.org/10.11606/issn.2238-6149.v27i1p21-28

Rocha, T. L. (2020). Combate ao bullying na escola contra pessoas com deficiência. Cadernos da FUCAMP, 19(38).

Rodrigues, S. E., Fernandes, E., Mourão, J., Almeida, L., Soares, A. P., & Veloso, A. (2007). Estudantes com Deficiência no Ensino Superior: Percepção dos factores facilitadores e inibidores da integração e do sucesso acadêmico. In Barca, A., Peralbo, M., Porto, A., Duarte da Silva, B., & Almeida, L. (Eds.). Libro de Actas do Congreso Internacional Galego-Portugués de Psicopedagoxía. A.Coruña/Universidade da Coruña. Revista Galego-Portuguesa de Psicoloxía e Educación. ISSN: 1138-1663. Disponível em https://repositorium.sdum.uminho.pt/bitstream/1822/8667/1/Artigo%20%20Actas%20Congreso%20psicopedagoxia%20-%20S.pdf

Silva, A. B. B. (2009). Bullying: mentes perigosas nas escolas. Globo Livros.

Souza, O. S. H. (2008). Itinerários da inclusão escolar: múltiplos olhares, saberes e práticas. Editora ULBRA: Porto Alegre, AGE Ltda.

Sousa, M. J. A., & Moleiro, C. M. M. (2015). Homens gays com deficiência

congénita e/ou adquirida, física e/ou sensorial: duplo-fardo social. Sexualidad., Salud

y Sociedad., 20, 72-90. Disponível em:

https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=2933/293340671005

Taylor, S. (2017). Beasts of burden: Animal and disability liberation. The New Press. Tradução: Marcia Moraes.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.