Governamentabilidade e paradigma imunitário: reflexões e aproximações entre Michel Foucault e Roberto Esposito

Deise Gabriela Bays

Resumo


Roberto Esposito, italiano de Nápoles e o francês Michel Foucault realizaram ambos uma importante leitura do contexto político contemporâneo, cujo entendimento pode ser enriquecido se as analisarmos comparativamente em relação a alguns aspectos. Os dois autores pensam o modelo político atual nos termos de uma biopolítica; enquanto poder direcionado à vida dos indivíduos, à vida humana como tal, e mostram como aspectos relacionados à saúde e à medicina foram incorporados às medidas políticas. A tese biopolítica de Foucault está calcada sobre a noção de governamentabilidade, isto é sobre um conjunto de técnicas de governo que se desenvolveram para fins de controle e manipulação da população em favor dos interesses do Estado. Seguindo uma linha um pouco diferente, Esposito irá caracterizar o momento biopolítico dentro do que chamou de “paradigma imunitário”. Para o italiano a política na forma do direito tem se utilizado da técnica da imunização para salvaguardar a sociedade.



Palavras-chave


Foucault, Esposito, biopolítica, governamentabilidade, paradigma imunitário.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 Deise Gabriela Bays

URL da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc/3.0/deed.pt

PERI - Revista de Filosofia
ISSN 2175-1811, Florianópolis,
Santa Catarina, Brasil
e-mail: revistaperi@contato.ufsc.br