Fenomenologia e educação: uma crítica à redução da pedagogia à metodologia

Lucas Costa Roxo

Resumo


A separação entre consciência e realidade ocorrida a partir de Descarte com o racionalismo e suas conseqüências, atinge todas as ciências. A realidade passa a ser representação. O mundo se torna virtualidade. A educação sofre influência do objetivismo e, a pedagogia, como ciência da educação, é reduzida à metodologia. A pedagogia, em certo sentido, fragmentou-se. Sua preocupação não mais se volta para o ideal do dever-ser que é colocado pela educação, mas passa a se preocupar com formas, técnicas e metodologias. A preocupação da pedagogia com o conhecimento passa a não ser mais de meio, mas de finalidade. A fenomenologia surge também com a preocupação de superar a antinomia entre sujeito e objeto decorrente do idealismo e do racionalismo. O objetivo desse texto é mostrar a partir do texto de Edmund Husserl, a Crise da Humanidade Européia, que o objetivismo incrustado nas ciências humanas atingiu a educação e, conseqüentemente, a pedagogia como ciência desta reduzindo a pedagogia à metodologia, bem como à biopsicopedagogização da mesma. Usa-se a metodologia expositiva, baseada em pesquisa bibliográfica e sistematização da prática.

Palavras-chave


Palavras chaves: fenomenologia, objetivismo, educação, pedagogia, metodologia.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 Lucas Costa Roxo

URL da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc/3.0/deed.pt

PERI - Revista de Filosofia
ISSN 2175-1811, Florianópolis,
Santa Catarina, Brasil
e-mail: revistaperi@contato.ufsc.br