Experiência estética e formação em Hegel e Goethe

Artur Bispo Santos Neto

Resumo


O presente texto tem como ponto de partida a afirmação da relevância da consciência de si no processo de elucidação da natureza do fenômeno estético. Nesse aspecto, maximizamos a experiência estética como a experiência nodal no contexto abrangente das diferentes experiências apresentadas e desenvolvidas na Fenomenologia do espírito de Hegel. Para perfazer esse itinerário recorremos aos empréstimos da reflexão desenvolvida na grande Estética de G. Lukács, que destaca a primazia da autoconsciência na formulação de uma estética objetiva. O desvelar da estrutura do movimento duplicado da consciência de si serve como ponto de inflexão para a compreensão do desenvolvimento pedagógico representado nas personagens constituintes do romance de formação (Bildungsroman) de Goethe, Os anos de aprendizagem de Wilhelm Meister.


Palavras-chave


Estética, exteriorização, rememoração, autoconsciência, romance.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 Artur Bispo Santos Neto

URL da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc/3.0/deed.pt

PERI - Revista de Filosofia
ISSN 2175-1811, Florianópolis,
Santa Catarina, Brasil
e-mail: revistaperi@contato.ufsc.br