A versão coerencial da noção de verdade

Celso R. Braida

Resumo


  Nesse artigo são analisadas as propostas de Dauer (1974) e Puntel (1990) de justificação da concepção coerencial da verdade. O cerne das duas propostas é a passagem da coerência de um conjunto de proposições para a verdade dessas proposições. O objetivo desse trabalho é recusar essa explicação. Para isso, eu explicito os pressupostos semânticos das duas propostas para mostrar que ambas fazem colapsar a noção de realidade na de linguagem; por fim, eu argumento que a razão formal da inadequação está na incapacidade das teorias coerenciais de distinguir os aspectos inferenciais e referenciais da noção de proposição verdadeira.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 Celso R. Braida

URL da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc/3.0/deed.pt

PERI - Revista de Filosofia
ISSN 2175-1811, Florianópolis,
Santa Catarina, Brasil
e-mail: revistaperi@contato.ufsc.br