Fenomenologia e naturalismo: da heterofenomenologia à neurofenomenologia

Luciane Luisa Lindenmeyer

Resumo


Este artigo trata da disputa entre os campos filosóficos da fenomenologia e do naturalismo no que se refere ao problema da consciência. Problema que parece ainda longe de encontrar solução definitiva, dada a considerável incipiência das tentativas de aproximação entre esses campos teóricos. Até lá, o embate tem sido bastante significativo, o que tentarei demostrar aqui. Para tanto, considerarei a posição do antinaturalismo fenomenológico tal como constituída por Edmund Husserl em contraste com a noção de heterofenomenologia de Daniel Dennett, elaborada a partir da sua crítica funcionalista à introspecção da fenomenologia pura. Também considerarei a recepção da fenomenologia na teoria corporificada de Francisco Varela e a noção de neurofenomenologia, desenvolvida através da sua crítica à fenomenologia como atividade puramente abstrata e reflexiva. Esses conceitos compõem, em diferentes níveis, o movimento de naturalização da fenomenologia no interior do qual encontramos tentativas de atualização da consciência fenomenológica e da sua pertinência para a elaboração de uma teoria da consciência humana.


Palavras-chave


Fenomenologia, Naturalismo, Heterofenomenologia, Neurofenomenologia, Consciência

Texto completo:

PDF

Referências


CARR, David. Phenomenology and fiction in Dennett. In: International Journal of Philosophical Studies. Vol. 6 (3), 331-344. Routledge, 1998.

CERBONE, David R. Fenomenologia. Trad. Caesar Souza. Edição virtual. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012.

CHURCHLAND, Paul M. Matéria e consciência: uma introdução contemporânea à filosofia da mente. Trad. Maria Clara Cescato. São Paulo: Editora UNESP, 2004.

DENNETT, Daniel C. Consciouness Explained. New York: Back Bay Books, 1991.

_______. Tipos de mente: rumo a uma compreensão da consciência. Trad. Alexandre Tort. Rio de Janeiro: Editora Rocco, 1997.

HUSSERL, Edmund. Ideias para uma fenomenologia pura e para uma filosofia fenomenológica: introdução geral à fenomenologia pura. Trad. Márcio Suzuki. Aparecida, SP: Ideias & Letras, 2006.

_______. Meditações cartesianas e Conferências de Paris: De acordo com a Husserliana I. Editado por Stephan Strasser; Trad. Pedro M. S. Alves. 1ª Ed. Rio de Janeiro: Forense, 2013.

MOURA, Carlos Alberto Ribeiro de. A crítica da razão na fenomenologia. São Paulo: Nova Estella: Editora da Universidade de São Paulo, 1989.

PACHOUD, Bernard. PETIT, Jean. ROY, Jean-Michel. VARELA, Francisco. (Edit.). Naturalizing Phenomenology, Issues in Contemporary Phenomenology and Cognitive Science. Stanford: Stanford University Press, 1999.

RITCHIE, Jack. Naturalismo. Trad. Fábio Creder. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012.

ROSCH, Eleonor. THOMPSON, Evan. VARELA, Francisco. The Embodied Mind, Cognitive Science and Human Experience. Revised Edition. Cambridge: The MIT Press, 2016.

SARTRE, Jean-Paul. A transcendência do ego, esboço de uma descrição fenomenológica. Trad. João Batista Kreuch. 2ª ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2015.

SERRA, Alice Mara. Imagem e suporte: Fenomenologia e desconstrução. Ekstasis: revista de fenomenologia e hermenêutica. V.3, N.1, 2014, p. 25 - 42.

TEIXEIRA, João de Fernandes. A mente segundo Dennett. São Paulo: Perspectiva,


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Luciane Luisa Lindenmeyer

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

PERI - Revista de Filosofia
ISSN 2175-1811, Florianópolis,
Santa Catarina, Brasil
e-mail: revistaperi@contato.ufsc.br