Liberdade e alienação na intersubjetividade em Sartre

Helen Aline Santos Manhães

Resumo


Este escrito tem por objeto a problematização da questão da intersubjetividade no pensamento de Sartre. Sua concepção de liberdade e conflito pode conduzir, por um lado, ao isolamento egoístico do sujeito, que impediria a formação de coletividades não alienadas, e, por outro lado, pode levar-nos a considerar o sujeito um objeto determinável exteriormente, pela figura do Outro, o que se choca bruscamente com o próprio fundamento da liberdade. Como compatibilizar a liberdade ontológica do sujeito com sua aparente determinação social? Esta questão nos servirá de fio condutor. Para tanto, pretendemos seguir alguns passos: 1. estabelecer as bases ontológicas da experiência do ser-para-outro; 2. analisar a estrutura do Nós enquanto suporte de empreendimentos/ações coletivos; 3. abordar a obra Saint Genet buscando ressaltar, através de uma vida concreta, os dados obtidos da ontologia. A intenção geral é mostrar a prioridade da liberdade sobre a alienação no que tange à relação Eu-Outro, o que confere coerência à obra sartriana quando se trata de garantir, antes de tudo, a liberdade subjetiva como fundamento da existência.


Palavras-chave


Liberdade, Ser-para-Outro, Conflito, Alienação

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, Pedro. Empatia e ser-para-outro – Husserl e Sartre perante o problema da intersubjetividade. In: Estudos e pesquisas em psicologia. UERJ, RJ, 2008, ano 8, N.2, p. 334-357. Disponível em: http://www.revispsi.uerj.br/v8n2/artigos/pdf/v8n2a16.pdf.

_____________. Subjetividade e intersubjetividade – Sartre perante Hegel e Husserl. In: Revista da Abordagem Gestáltica. XIII(1): p. 97-109, jan-jun, 2007. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/rag/v13n1/v13n1a07.pdf.

FAZERES, A. Do individual ao social: percursos da moral em Sartre. In: Phainomenon. 12. Lisboa, p. 55-85, 2005.

HEGEL, G.W.F. Fenomenologia do espírito. Petrópolis: Vozes, 1992.

MANHÃES, H. A. S. A (in)humanidade do mundo: subjetividade e nadificação na onto-fenomenologia de Sartre. Florianópolis: 2016. Dissertação (mestrado) – Universidade Federal de Santa Catarina.

SANTOS, José Manuel. Intersubjectividade e conflito. In: Phainomenon. 12. Lisboa, p. 89-110, 2005.

SARTRE, Jean-Paul. Baudelaire. Paris: Gallimard, 1963.

_____________. Crítica da razão dialética. Precedido por Questões de método. São Paulo: DP&A, 2002.

_____________. O existencialismo é um humanismo. In: Os pensadores. 3a edição. São Paulo: Nova Cultural, 1987.

_____________. O ser e o nada: ensaio de ontologia fenomenológica. Tradução de Paulo Perdigão. Petrópolis: Vozes, 2009.

_____________. Entre quatro paredes. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005.

_____________. Saint Genet – ator e mártir. Tradução de Lucy Magalhães. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002.

_____________. Uma ideia fundamental da fenomenologia de Husserl: a intencionalidade. In: Situações I - crítica literária; tradução de Cristina Prado; prefácio de Bento Prado Jr. São Paulo: Cosac Naify, 2005.

SILVA, Luciano Donizetti da. A filosofia de Sartre entre a liberdade e a história. São Carlos: Claraluz, 2010.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Helen Aline Santos Manhães

URL da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc/3.0/deed.pt

PERI - Revista de Filosofia
ISSN 2175-1811, Florianópolis,
Santa Catarina, Brasil
e-mail: revistaperi@contato.ufsc.br