Posto Indígena Dr. Selistre de Campos: A ação dos Chefes de Posto nas décadas de 1950 e 1960

Mauricio Pietrobelli da Silveira

Resumo


Quando pensamos nos órgãos indigenistas podemos não compreender a real atuação destas instituições. Pensando no SPI, muitas vezes foi omisso e muitas vezes promoveu a entrada de empresas particulares e terceiros nas áreas indígenas para promover a extração de todo o tipo de matéria-prima possível. Na Terra Indígena Xapecó não foi diferente, durante as décadas de 1950 e 1960 houve uma ascensão na extração de madeira e herbais e o arrendamento das terras para cultivo e pecuária. Neste artigo pretendo demonstrar quais foram as principais políticas promovidas pelos encarregados de Posto que ajudaram no extermínio da área de ocupação Kaingang. Utilizando do Relatório Figueiredo e de bibliografia atual e próximas a época pretendo mostrar quais são os acontecimentos que propiciam esse roubo do patrimônio indígena.

Palavras-chave


Kaingang; SPI; PI Dr. Selistre de Campos; TI Xapecó

Texto completo:

PDF


Revista Santa Catarina em História - Florianópolis - UFSC - Brasil ISSN 1984-3968