A literatura de romance catarinense sob um olhar de ditadura e repressão: Salim Miguel e “A Voz Submersa”

Bárbara Pilz

Resumo


O romance “A Voz Submersa” foi escrito por Salim Miguel em 1983. Retrata a sociedade brasileira no período da ditadura militar a partir da personificação da nação na figura de uma mulher, Dulce, caracterizada por pensamentos alucinatórios que alternam entre o limiar do real e do fantasioso. A obra se utiliza de recursos como a memória, o discurso, a anacronia e a identificação de gênero para trazer à tona as principais angústias e sentimentos sociais vividos pelos brasileiros, a partir dos anos 1968. Retrata, portanto, a conjuntura político-social do momento vivido de forma extremamente implícita entre os meandros de uma narrativa densa. Este artigo analisa como a literatura catarinense, por meio da obra em questão foi capaz de utilizar recursos diferentes da análise histórica factual para transmitir críticas e tratar das relações de gênero de maneira consistente, subliminar e esclarecedora.

Palavras-chave


ditadura, repressão, literatura, romance.

Texto completo:

PDF


Revista Santa Catarina em História - Florianópolis - UFSC - Brasil ISSN 1984-3968