A família rural diante da nova reconfiguração político-católica em Santa Catarina após a Segunda Guerra Mundial

Rogério Luiz Souza

Resumo


O objetivo deste artigo é de examinar a performance da Igreja católica na reorganização do sistema econômico capitalista e na reforma dos espaços familiares do meio rural e dos comportamentos sociais após os eventos da Segunda Guerra Mundial a partir de sua interferência no meio familiar rural. Entende-se que a Igreja contribuiu na difusão da lógica racional do trabalho capitalista nas pequenas propriedades agrícolas no Brasil e em Santa Catarina. Sua linha de pensamento e de ação contribuiu para a constituição do welfare state e favoreceu uma política de higiene social, de reformas de comportamentos e de aumento da produção agrícola baseada sobre a profilaxia do corpo familiar rural e sobre a organização do trabalho solidário. Esta ética produtiva tornou-se necessária aos objetivos do excedente produtivo, do abastecimento alimentar das grandes cidades industriais em plena expansão e do desenvolvimento capitalista.

Palavras-chave


Capitalismo; Família; Catolicismo

Texto completo:

PDF


Revista Santa Catarina em História - Florianópolis - UFSC - Brasil ISSN 1984-3968