A cultura do trabalho e a problematização da inserção indígena no imaginário social catarinense

Camila Nascimento Azevedo

Resumo


O presente artigo pretende analisar, através das relações estabelecidas com os Xokleng no vale do Itajaí, como a cultura do trabalho difundida em Santa Catarina - aliada à utilização política do imaginário construído - provocou o afastamento da figura indígena na formação da identidade social catarinense. São analisadas algumas situações de confronto entre imigrantes e indígenas, onde a intenção de assimilação da cultura imigrante aparece com clareza num processo que induz a desvalorização da cultura nativa. São consideradas noções de pertencimento, identidade e os diferentes contextos e momentos históricos em que o discurso de positivização do trabalho é utilizado no Brasil. Os discursos e o imaginário são reconhecidos neste trabalho como produtos sociais e históricos e, como instrumentos de poder, que influenciaram a construção da história do estado de Santa Catarina.

Palavras-chave


Cultura do trabalho, europeus, Xokleng, imaginario social

Texto completo:

PDF


Revista Santa Catarina em História - Florianópolis - UFSC - Brasil ISSN 1984-3968