Impactos da Covid-19 sobre o setor de comércio no Brasil e em Santa Catarina

Lilian de Pellegrini Elias

Resumo


A pandemia provocada pela Covid-19 impactou profundamente a economia mundial, brasileira e de seus estados, no entanto, os setores das economias foram impactados de maneira distinta. Neste sentido, destaca-se o setor de comércio que apresentou resultado positivo em 2020 no Brasil, mesmo que moderado, e em Santa Catarina, de forma mais intensa. Neste artigo buscamos investigar brevemente o comportamento do setor de comércio no Brasil e em Santa Catarina, com o enfoque no ano de 2020 em função dos impactos provocados pela pandemia. Ao detalharmos o comportamento do setor foi possível verificar o destaque da atividade “Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo” no comportamento do setor em 2020. Uma das razões centrais foram os efeitos da pandemia no que se refere ao isolamento social que provocaram uma menor movimentação no comércio físico não-essencial e uma mudança no comportamento do consumidor. Houve, por um lado, um redirecionamento de parte da demanda de outros setores, como serviços, para atividades de varejo em função dos supermercados e hipermercados substituírem o consumo de alimentação e bebidas fora de casa.

Texto completo:

PDF/A

Referências


ABRAS – Associação Brasileira de Supermercados. O Ano que o consumo se reinventou. In: Revista SuperHiper, São Paulo: ABRAS, dez/2020.

AGÊNCIA IBGE. Em maio, vendas no varejo avançam 13,9%. 2020a. Disponível em: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-sala-de-imprensa/2013-agencia-de-noticias/releases/28225-em-maio-vendas-no-varejo-avancam-13-9. Acesso em: 16 jan. 2021.

AGÊNCIA IBGE. Alta nas vendas em supermercados limita perdas do varejo a 2,5% em março. 2020b. Disponível em: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-noticias/2012-agencia-de-noticias/noticias/27666-alta-nas-vendas-em-supermercados-limita-perdas-do-varejo-a-2-5-em-marco. Acesso em: 16 dez. 2020.

ALVARENGA, D.; SILVEIRA, D. Vendas do comércio desabam 16,8% em abril, pior resultado da série histórica do IBGE. G1, São Paulo, 16 jun. 2020. Disponível em: g1.globo.com/. Acesso em: 11 jan. 2021.

AQUINO, E. M.; SILVEIRA, I. H.; PESCARINI, J. M., AQUINO, R.; SOUZA-FILHO, J. A. D. Medidas de distanciamento social no controle da pandemia de COVID-19: potenciais impactos e desafios no Brasil. In: Ciência & Saúde Coletiva, v. 25, p. 2423-2446. 2020.

ARAÚJO, Patrício Carneiro. De gourmet a caçador: alimentação e medo na pandemia. In: The Journal of the Food and Culture of the Americas, v. 2, n. 2, p. 117-134, 2020.

BRASIL, Cristina Indio do. Serviços avançam e comércio recua na participação do PIB desde 1947. 2020. Disponível em: https://bit.ly/3sIa1DG. Acesso em: 10 fev. 2021.

BRASIL, Cristina Indio do. Vendas do comércio varejista caem 0,1% em novembro. 2021. Disponível em: agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2021-01/vendas-do-comercio-varejista-caem-01-em-novembro. Acesso em: 18 jan. 2021.

CARNEIRO; Lucienne. Vendas no varejo decepcionam e despencam 6,1% em dezembro; mercado estimava queda de 0,6%. Valor Econômico, Rio de Janeiro, 10 fev. 2021. Disponível em: https://valor.globo.com. Acesso em: 6 jan. 2021.

CNC – Confederação Nacional do Comércio. CNC 75 Anos. Rio de Janeiro, RJ: CNC. 2020.

FECOMÉRCIO/SC – Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina. Índices. 2021. Disponível em: www.fecomercio-sc.com.br/indices/. Acesso em: 10 fev. 2021.

FECOMÉRCIO/SC – Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina. Comércio encerra 2020 com crescimento de 6% no volume de vendas em SC. 2021b. Disponível em: https://www.fecomercio-sc.com.br/noticias/comercio-encerra-2020-com-crescimento-de-6-no-volume-de-vendas-em-sc/. Acesso em: 16 fev. 2021.

GOULARTI, Alcides. Padrões de crescimento e diferenciação econômica em Santa Catarina. 2001. Tese (Doutorado em Economia), Instituto de Economia, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2001.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Sistema de Contas Nacionais. Rio de Janeiro: IBGE. Disponível em: www.ibge.gov.br. Acesso em: 23 dez. 2020.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa Anual de Comércio – PAC. Rio de Janeiro: IBGE. Disponível em: www.ibge.gov.br. Acesso em: 15 fev. 2021a.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa Mensal de Comércio – PAC. Rio de Janeiro: IBGE. Disponível em: www.ibge.gov.br. Acesso em: 17 fev. 2021b.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Sistema de Contas Regionais - SCR. Rio de Janeiro: IBGE. Disponível em: www.ibge.gov.br. Acesso em: 21 fev. 2021c.

MIOTO, Beatriz Tamaso. Integração econômica e rede urbana em Santa Catarina: transformações no período da desconcentração produtiva regional (1970-2005). Dissertação de Mestrado (Mestrado em Desenvolvimento Econômico) – Instituto de Economia, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2011.

RAIS – Relação Anual de Informações Sociais. Programa de disseminação das estatísticas do trabalho, 2021. Disponível em: bi.mte.gov.br/bgcaged/caged_rais_vinculo_id/login.php. Acesso em: 20 fev. 2021.

SPAUTZ, Dagmara. Cientistas: Relaxar isolamento em SC não tem respaldo científico e vai facilitar disseminação do coronavírus. NSC, Florianópolis, 27 mar. 2020. Disponível em www.nsctotal.com.br/colunistas/dagmara-spautz/cientistas-relaxar-isolamento-em-sc-nao-tem-respaldo-cientifico-e-vai. Acesso em: 18 jan. 2021.

OECD – Organisation for Economic Co-operation and Development. OECD Economic Survey of Brazil. France: OECD, 2020.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Rev. NECAT, ISSN 2317-8523, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.