O fluxo de comércio entre Santa Catarina e os países membros do mercosul: uma análise para o período de 1996 a 2009

Daiane Soffiatti Panigalli, Darlan Christiano Kroth

Resumo


Este artigo tem como objetivo analisar o fluxo de comércio entre o Estado de Santa Catarina e os países membros do Mercosul para o período de 1996 a 2009. A análise é feita sob dois enfoques, sendo o primeiro uma avaliação dos dados estatísticos de exportação e importação do sistema Aliceweb do Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior (MDIC), através dos capítulos do Sistema de Designação e de Codificação de Mercadorias (Sistema Harmonizado) da Nomenclatura Comum do Sul (NCM), considerando os capítulos que responderam por uma participação média anual superior ou igual a 10%. O segundo enfoque da análise, partindo da mesma fonte de dados, efetuou o cálculo do Índice de Comércio Intra-Indústria (ICII), que mede a incidência de comércio intra-indústria a partir dos valores de importações e exportações de um setor específico de uma localidade para outra. Como resultados, observou-se em termos de fluxo de comércio que, os produtos pertencentes ao Capítulo 84 (reatores nucleares, caldeiras, máquinas) se destacaram pelo lado das exportações e os produtos ligados a agroindústria (cereais e carnes) lideraram as importações. No que tange o grau de comércio intra-indústria de Santa Catarina com o Mercosul, observa-se baixo nível de integração para as indústrias do setor de plástico e borracha (Capítulos 39 a 40); produtos do reino vegetal (Capítulos 6 a 14), papel (Capítulos 47 a 49), cerâmicas (Capítulos 68 a 70) e máquinas e equipamentos (Capítulos 84 a 89). Por outro lado, as indústrias dos produtos do reino animal (Capítulos 1 a 5) e metais e suas obras (Capítulos 72 a 83) apresentaram elevado grau de integração.

Palavras-chave


Comércio exterior; Mercosul; Comércio intra-indústria

Texto completo:

PDF

Referências


BALASSA, B. Teoria da integração económica. Lisboa: Clássica, 1961. 452 p.

CARBAUGH, R. J. Economia internacional. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2004. 587 p.

CARMINATTI, C.; FACHINELLO, A.L. A abertura comercial na década de noventa e seus reflexos sobre o setor exportador do oeste de Santa Catarina.Trabalho Acadêmico (Pesquisa de Iniciação Científica PIBIC/FAPE)-Curso de Ciências Econômicas, Universidade Comunitária de Chapecó, Chapecó, 2002.

CARIO, S. A. F. et al. (Orgs.). Economia de Santa Catarina: inserção industrial e dinâmica competitiva. Blumenau, Nova Letra, 2008.

CORMELATTO, M. Processos locais e dinâmicos mundiais: estudo sobre a indústria de móveis de São Bento do Sul (SC) na perspectiva das cadeias mercantis globais. Dissertação de Mestrado em Economia. Programa de Pós-Graduação em Economia, UFSC, 2007.

DORIA, V. BRAGA, P.; MALTA, C. Desmentindo governo, Argentina e Rússia mantêm embargo a carnes. Valor On Line, 25 de jun. 2004.

GRUBEL, H. G.; LLOYD, P. J. The empirical measurement of intra-industry trade. Economic Record, n. 47, v. 4, pp. 494–517, 1971

INDÚSTRIA de SC sob as garras do dragão. Diário Catarinense, Florianópolis, 22 jun. 2008. Nº 8108

KROTH, D. C.; GEMELLI, E.; FACHINELO, A. L. A importância da taxa de câmbio sobre as exportações catarinenses no período de 2001 a 2006 In: IV Encontro de Economia Catarinense. Cricíuma, 2010.

KRUGMAN, P. R.; OBSTFELD, M. Economia internacional: teoria e política. 4. ed. São Paulo: Makron Books do Brasil, 1999. 807. Cap. 9 economia política da política comercial

KRUTZMANN, V.; AZEVEDO, A.F.Z . Abertura comercial brasileira: mensuração do

efeito do comércio sobre o crescimento econômico. Unisinos, 2010.

MERCOSUL. Disponível em: . Acesso em: 10 de dezembro de 2010

MINISTÉRIO do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Disponível em: . Acesso em: 06 de dezembro de 2010.

MINISTÉRIO do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Base de dados sistema Alice Web. Disponível em: < http://aliceweb.desenvolvimento.gov.br/>. Acesso em: 06 de dezembro de 2010.

MINISTÉRIO do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Base de dados sistema Radar Comercial: < http: //www.radarcomercial.mdic.gov.br>. Acesso em: 20 de dezembro de 2010.

MIRANDOLA, M. A. Os impactos da abertura comercial brasileira sobre o desenvolvimento do estado de santa Catarina. São Paulo, 2003. Dissertação- Escola de Administração de Empresas de São Paulo FGV.

MONTORO, F. et al. Uma investigação da evolução do comércio intra-indústria na relação Brasil-Mercosul no período 1996-2005: O que revelam os dados? Seminário NESPI, São Paulo, 2007.

MOREIRA, S. V.; MILHOMEM, E. E. L. Evolução recente do comércio Exterior brasileiro com os países do Mercosul. IPEA, texto para discussão 1466. Rio de janeiro, 2010.

SEABRA, F; MOHAMED, A. Inserção internacional de uma economia regionalizada: avanços e limitações para o caso catarinense. In: MATTEI, L.; LINS, H. N (Orgs.) A socioeconomia catarinense. Chapecó: Argos, 2010. 247 p.

SOUZA, A. M. D. Criação e desvio de comércio no Mercosul - período de 1991 a 2000. Florianópolis, 2003. Dissertação-Economia e Finanças – UFSC.

VASCONCELOS, C.R.F. O comércio Brasil-Mercosul na década de 90: uma análise pela ótica do comércio intra-indústria. Rio de Janeiro, 2003.

VINER, J. The Customs Union Issue. New York: Carnegie Endowment for International Peace. 1950.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Rev. NECAT, ISSN 2317-8523, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.