A DITONGAÇÃO DAS SÍLABAS TÔNICAS FINAIS TRAVADAS NOS FALARES BLUMENAUENSE E PORTO-ALEGRENSE: UMA ANÁLISE PRELIMINAR

Cristiane Gonçalves Uliano, Maria Fernanda Silva de Carvalho, Marina da Costa Degani, Lílian Elisa Minikel Brod

Resumo


Os ditongos são constituídos por uma sequência de dois segmentos vocálicos em uma mesma sílaba. O objetivo deste estudo foi analisar o fenômeno da ditongação no português brasileiro, considerando os falares de Porto Alegre (RS) e Blumenau (SC). Os dados foram coletados em experimentos controlados, realizados com três informantes. Em seguida, foram examinados qualitativa e quantitativamente, com base em análises acústicas relativas aos dois primeiros formantes vocálicos das vogais aqui investigadas ([     ]). Para essas análises, o software Praat (5.3.53) foi utilizado. Os resultados mostraram três tipos de produções: a vogal preservada, a ditongada e uma produção gradiente. Houve predomínio da ditongação em contextos de vogal [a] e [e] para ambos os dialetos. No entanto, as produções com qualidade gradiente ocorreram em contexto de vogal [a] e [e], no falar de Blumenau, e apenas em contexto de vogal [a], no falar de Porto Alegre.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

uox-Rev., © 2013, UFSC, Florianópolis, Brasil, ISSN 2358-1514