O ATRÁS DO PENSAMENTO NA ESCRITA DE CLARICE LISPECTOR: A AUSÊNCIA EM ÁGUA VIVA

Mariane Garin Belando

Resumo


Sabe-se que a escrita de Clarice Lispector é marcada por sua natureza subjetiva, imprevista, inconfundível em relação à de outros autores. E esta marca é corroborada em seu livro Água Viva, publicado em 1973. Trata-se de uma obra em que a intenção maior é a busca incessante de poder transformar sensações em palavras, tentar exprimir um viver que se transforma a cada instante. Uma linguagem que se liberta de quaisquer convenções, que quer trazer à tona o que é impronunciável. A tentativa de poder sair de si e transmutar-se, ser árvore, bicho, o mundo, ser impessoal. E a intenção do presente trabalho é a de experimentar o que está oculto, o que está atrás do pensamento, do raciocínio de Clarice Lispector em Água Viva. Perceber que é na ausência de significação que o mais profundo de cada ser se manifesta.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

uox-Rev., © 2013, UFSC, Florianópolis, Brasil, ISSN 2358-1514