CONCORDÂNCIA VERBAL COM O PRONOME DE SEGUNDA PESSOA DO SINGULAR NA FALA DE MORADORES DE FLORIANÓPOLIS

Juliana Flores, Letícia Cortellete

Resumo


Este artigo faz uma análise do fenômeno da concordância verbal de segunda pessoa do singular entre habitantes de Florianópolis dentro dos moldes da Teoria Variacionista e com base na metodologia de pesquisa empírica laboviana. Foram utilizadas amostras de fala e de escrita provenientes do banco VARSUL e testes de percepção aplicados a moradores com Ensino Fundamental e Superior. Consideraram-se como variantes desse fenômeno a marcação e a não marcação da concordância verbal com o pronome tu. Para a análise dos resultados, levamos em conta os seguintes condicionadores linguísticos e extralinguísticos: Preenchimento do Sujeito, Saliência Fônica, Grau de Escolarização e Sexo. Nossos resultados indicaram: (i) a baixa utilização do pronome tu na oralidade e na escrita entre moradores de Florianópolis; (ii) o predomínio da não marcação de concordância verbal de segunda pessoa do singular em Florianópolis.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

uox-Rev., © 2013, UFSC, Florianópolis, Brasil, ISSN 2358-1514