ESTUDO DE CASOS: OS RÓTICOS EM MARINGÁ (PR) E FLORIANÓPOLIS (SC)

Eliane Cristina Scandiuzzi Scramim Lourencetti de Campos, Lilian Minikel Brod, Izabel Christine Seara

Resumo


Este estudo tem como objetivo examinar a produção de róticos (sons de “r”) em posição inicial (onset) e final (coda) de sílaba nos falares de Maringá e Florianópolis, verificando a ocorrência de variantes dialetais distintas para esses falares e para essas diferentes posições silábicas. Os dados foram coletados em experimentos de fala controlada realizados com três informantes do sexo feminino e analisados acusticamente. A análise dos dados mostrou a predominância do segmento fricativo velar ou glotal, tanto em coda quanto em onset silábico, para o dialeto florianopolitano. Para o dialeto maringaense, houve predominância do segmento fricativo velar em onset silábico e do segmento retroflexo em coda silábica. Esses resultados revelaram um comportamento distinto para os dois dialetos, principalmente em relação à posição de coda silábica.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

uox-Rev., © 2013, UFSC, Florianópolis, Brasil, ISSN 2358-1514