O Censo Agropecuário 2017

Gerson Teixeira

Resumo


De plano, vale destacar que neste documento, conforme esclarecimentos posteriores, adotamos o levantamento sobre a agricultura familiar em 2017 com os critérios conceituais dessa categoria vigente em 2006, conforme originalmente divulgado pelo IBGE (SIDRA). Por suposto, este procedimento metodológico é impositivo para a comparabilidade honesta dos Censos Agropecuários (CAs) de 2006 e 2017. Os resultados do CA de 2017 são especialmente instigantes por revelarem uma aparente contradição com grande significado político. O CA retrata um período quase integralmente sob governos do Partido dos Trabalhadores, no qual, inegavelmente, foram ampliados os recursos, e diversificadas as políticas de apoio à agricultura familiar e camponesa. No entanto, o Censo revela dados que contrastam com os esforços pela valorização da agricultura familiar e com o desempenho esperado desse segmento social. Com efeito, o IBGE mostra (ou mostrou) entre outros fenômenos, tanto a redução no número de estabelecimentos da agricultura familiar, como a queda da sua participação na produção dos principais alimentos que integram a dieta básica dos brasileiros. O que aconteceu de 2006 a 2017? Problema de gestão? Inadequação dos instrumentos adotados? Este ensaio procura resumir as mudanças ocorridas no campo nesses primeiros dez anos do século XXI pesquisados pelo Censo Agropecuário, com o propósito de permitir conclusões mais evidentes sobre os fenômenos processados no período. Para tentar dar respostas à contradição antes observada seria necessária uma incursão mais profunda nos dados do Censo Agropecuário, o que certamente deverá ser feito pelos especialistas com maiores possibilidades de dedicação o tema. De todo o modo, avaliamos a utilidade dos dados e análises apresentadas para a percepção dos fenômenos mais gerais que marcaram a realidade agrária no período de 2006 a 2017

Palavras-chave


Agricultura familiar; produção de alimentos; utilização da terra.

Texto completo:

PDF

Referências


IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo agropecuário. 2019. Disponível em: . Acesso em: 11 nov. 2019.

CEPEA/ESALQ/USP – Centro de Pesquisas Econômicas da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, Universidade de São Paulo. Mercado de Trabalho do Agronegócio. Disponível em: . Acesso em: 23 out. 2019.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Rev. NECAT, ISSN 2317-8523, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.