Covid-19 e Realidade Brasileira: um exame crítico

Autores

Resumo

O objetivo deste artigo é apresentar um exame crítico da pandemia de covid-19 conforme sua manifestação na realidade brasileira. Tomamos como referencial metodológico as categorias críticas elaboradas pelo filósofo brasileiro Álvaro Vieira Pinto. Foi feita uma análise da apreensão ingênua e crítica da pandemia na realidade brasileira. A visão romântica da pandemia e o fatalismo divino foram descritos como traço do pensamento ingênuo. Quanto a apreensão crítica da pandemia, enfatiza-se que ela deve ser examinada e enfrentada considerando alguns marcadores manifestados em suas particularidades nacionais e considerando o contexto geopolítico internacional. O caso brasileiro, assim como todo o Sul global, sofre as determinações da luta pela libertação nacional e superação da necropolítica.

Biografia do Autor

Breno Augusto da Costa, Universidade Federal de Uberlândia

Doutorando em Filosofia pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Bolsista da CAPES. Se dedica à reflexão sobre a sociedade brasileira, história da filosofia brasileira e da filosofia latino-americana, notadamente os autores Álvaro Vieira Pinto e Enrique Dussel. Atualmente é um dos coordenadores da Associação de Filosofia e Libertação (AFyL Brasil).brenobac@gmail.com

Referências

ALGUMAS REFERÊNCIAS FORAM OMITIDAS PARA GARANTIR UMA AVALIAÇÃO CEGA

ANTUNES, RICARDO. Os sentidos do trabalho: ensaio sobre a afirmação e a negação do trabalho. São Paulo: Boitempo, 2009.

BALLESTRIN, LUCIANA. “América Latina e o giro decolonial”. Revista Brasileira de Ciência Política 11 (2013): 89-117.

BERNARDINO-COSTA, JOAZE, MALDONADO-TORRES, NELSON & GROSFOGUEL, RAMON. Decolonialidade e pensamento afrodiaspórico. Belo Horizonte: Autêntica, 2018.

CORBISIER, ROLAND. Filosofia política e liberdade. Rio de Janeiro: Paz & Terra, 1978.

CÔRTES, NORMA. Esperança e Democracia: as ideias de Álvaro Vieira Pinto. Belo Horizonte: Editora UFMG; Rio de Janeiro: IUPERJ, 2003.

COSTA, DIOGO. Junho de 2013. Em: GIOVANNI ALVES et al. (Coords.). Enciclopédia do golpe. v. I. Bauru: Canal 6, 2017, pp. 97-105.

CRUZ COSTA, PEDRO. Contribuição à história das ideias no Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1967.

DOMINGUES, IVAN. Filosofia no Brasil: legados e perspectivas- ensaios metafilosóficos. São Paulo: Editora UNESP, 2017.

DUSSEL, ENRIQUE. Filosofía de la liberación. Méximo: FCE, 2011.

______. Ética da libertação: na idade da globalização e da exclusão. Petrópolis: Vozes, 2012.

______. Cuando la naturaleza jaquea la orgullosa modernidad. Em: DUSSEL et al. (Orgs.). Capitalismo y pandemia. Editorial FilosofíaLibre, 2020.

FÁVERO, MARIA. Psicologia do gênero. Curitiba: Editora UFPR, 2010.

FRASER, NANCY & JAEGGI; RAHEL. Capitalismo em debate: uma conversa na teoria crítica. Tradução: Nathalie Bressiani. São Paulo: Boitempo, 2020.

FRENTE PELA VIDA. Plano nacional de enfrentamento à pandemia da covid-19. 2020. Disponível em: https://www.sbmfc.org.br/noticias/plano-nacional-de-enfrentamento-a-pandemia-de-covid-19-e-lancado-com-apoio-da-sbmfc/. Acessado em: 21/08/2020.

GOMES DA SILVA, JONAS. A healthy, innovative, sustainable, transparent, and competitive methodology to identify twenty benchmark countries that saved people lives against Covid-19 during 180 days. International Journal for Innovation Education and Research, 8(10), 541–577, 2020. https://doi.org/10.31686/ijier.vol8.iss10.2710

GROSFOGUEL, RAMON. Geopolítica, capitalismo global e o impacto da pandemia da covid-19 no mundo: Entrevista com Ramon Grosfoguel por Angela Figueiredo. Revista do PPGCS – UFRB – Novos Olhares Sociais | Vol. 3 – n. 1 – 2020.

LIMA, CLAUDIO. Informações sobre o novo coronavírus (COVID-19). Radiol Bras, São Paulo , v. 53, n. 2, p. V-VI, Apr. 2020 . Available from <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-39842020000200001&lng=en&nrm=iso>. access on 03 Aug. 2020. Epub Apr 17, 2020. https://doi.org/10.1590/0100-3984.2020.53.2e1.

LINERA, ALVARO. A potência plebeia. São Paulo: Boitempo, 2010.

MALDONADO-TORRES, NELSON. On the Coloniality of Being. Cultural Studies, 21(2), 2007, pp. 240-270.

______.. Analítica da colonialidade e da decolonialidade: algumas dimensões básicas. Em: BERNARDINO-COSTA, J., MALDONADO-TORRES, N. & GROSFOGUEL, R. (Orgs.). Decolonialidade e Pensamento Afrodiaspórico. Belo Horizonte: Autêntica, 2018. pp. 27-53.

MARTINS, PAULO. Teoria crítica da colonialidade. Rio de Janeiro: Ateliê das Humanidades, 2019.

MASSEMBERG, DÉBORA. A direita que saiu do armário: a cosmovisão dos formadores de opinião dos manifestantes de direita brasileiros. Em: CAMILA ROCHA & ESTHER SOLANO (Orgs.). As direitas nas redes e nas ruas: a crise política no Brasil. São Paulo: Expressão Popular, 2020, pp. 175-213.

MCCLINTOCK, ANNE. Couro imperial: raça gênero e sexualidade no embate colonial. Campinas: Editora da Unicamp, 2010.

MIGNOLO, W. & WALSH, C. On Decoloniality: concepts, analytics and praxis. Durham: Duke University Press, 2018.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Painel de casos de doença pelo coronavírus 2019 (COVID-19) no Brasil pelo Ministério da Saúde. (2020) Retirado de: https://covid.saude.gov.br/. Acesso em 25/07/2020.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Painel de casos de doença pelo coronavírus 2019 (COVID-19) no Brasil pelo Ministério da Saúde. (2022) Retirado de: https://covid.saude.gov.br/. Acesso em 11/04/2022.

MOLINA, LETICIA. Conjeturas acerca de los efectos del COVID-19 em la vida humana. Estudios de Filosofía Práctica e Historia de las Ideas, Vol. 22, 2020.

NATOLI, S. et al. Does SARS‐Cov‐2 invade the brain? Translational lessons from animal models. Eur J Neurol., p.10.1111/ene.14277, 22 de maio de 2020.

OMS- Organização Mundial da Saúde. Rolling updates on coronavirus disease (COVID-19). 2020. Disponível em: https://www.who.int/emergencies/diseases/novel-coronavirus-2019/events-as-theyhappen. Acesso em 07/04/2020.

ONU Mulheres. GÊNERO E COVID-19 NA AMÉRICA LATINA E NO CARIBE: DIMENSÕES DE GÊNERO NA RESPOSTA. 2020, Disponível em: http://www.onumulheres.org.br/wp-content/uploads/2020/03/ONU-MULHERESCOVID19_LAC.pdf. Acesso em: 07/04/2020.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidade do poder, Eurocentrismo e América Latina. Em: EDGARDO LANDER (Org.). A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas latino-americanas. Argentina: CLACSO, 2005 pp. 117-142.

______. Colonialidade do Poder e Classificação Social. Em: B. SANTOS & M. MENESES (Orgs.). Epistemologias do Sul. São Paulo: Cortez, 2010. pp. 84-130.

SANSONE, LIVIO. Making “Africa” in Brazil: Old trends and new opportunities. Em: RAMON GROSFOGUEL & MARGARITA CERVANTES-RODRÍGUEZ (Orgs.). The modern/colonial/capitalist world-system in the twentieth century. Westport: Praeger, 2002, pp. 251-266.

SCAUSO, MARCOS et al. COVID-19, Democracies, and (De)Colonialities. Democratic Theory .Volume 7, Issue 2, Winter 2020: 82–93.

SODRÉ, N. A verdade sobre o ISEB. Rio de Janeiro: Avenir Editora, 1978.

VIEIRA PINTO, ÁLVARO. Ideologia e desenvolvimento nacional. Rio de Janeiro: ISEB, 1956.

______. Consciência e realidade nacional. 2 v. Rio de Janeiro: ISEB, 1960.

______. Ciência e existência: problemas filosóficos da pesquisa científica. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1969.

______. Sete lições sobre educação de adultos. São Paulo: Cortez, 1982.

______. O conceito de tecnologia. 2 v. São Paulo: Contraponto, 2005.

______. A sociologia dos países subdesenvolvidos. Rio de Janeiro: Contraponto, 2008.

WERNER, MARIA. Famílias e situações de ofensa sexual. Em: OSORIO, LUIZ & VALLE, MARIA (orgs.). Manual de terapia familiar. Porto Alegre: Artmed, 2009, pp. 366-375).

Downloads

Publicado

2022-06-02

Edição

Seção

Artigos