A dependência estrutural e o regionalismo aberto da América do Sul: os desafios políticos para uma integração do desenvolvimento

Tiago Assis Silva

Resumo


A integração regional é uma via pela qual se possibilita criar as condições de desenvolvimento aos países membros de determinada região. No entanto, a integração pode ser veiculada por um matiz antagônico que permite a abertura da economia doméstica ao capital externo e a submissão exploratória das comunidades e dos povos locais, o que aprofunda as condições do colonialismo. A hipótese é que o colonialismo na América do Sul fora historicamente estruturado que impossibilita a criação de uma via de integração regional voltada ao desenvolvimento. O objetivo deste artigo é pôr em evidência essas condições históricas do colonialismo a partir de uma crítica ao eurocentrismo e ao seu par norte-americano, e, concomitantemente, evidenciar que a América do Sul, por estar sob a vigência de um regionalismo aberto neoliberal, não reúne condições de superar a dependência por via da Iniciativa para a Integração da Infraestrutura Regional Sul-americana – IIRSA. Por meio de uma pesquisa bibliográfica e descritiva, analisa-se as condições estruturais que se solidificaram, historicamente na região sul-americana, e que influencia na forma pela qual a região busca uma integração meramente mercantil sem uma perspectiva alternativa ao desenvolvimento.

Texto completo:

PDF

Referências


ACHARYA, Amitav. Regionalism Beyond EU-Centrism. In: BÖRZEL, Tanja A.; RISSE, Thomas (Orgs.). The Oxford Handbook of Comparative Regionalism. New York: Oxford University Press, 2016. p. 152-178.

ANDERSON, Perry. A política externa norte-americana e seus teóricos. Tradução de Georges Kormikiares. São Paulo: Boitempo, 2015.

BRICEÑO RUIZ, José. Del pan-americanismo al ALCA: la difícil senda de las propuestas de una comunidad de intereses en el continente americano. Mérida-Venezuela: Anuario Latinoamericano Ciencias Políticas y Relaciones Internacionales, 2017. p. 145-167.

BOLÍVAR, Simón. Independência e unidade latino-americana: escritos políticos. Rio de Janeiro: Consequência Editora, 2015.

BRAUDEL, Fernand. Escritos sobre a história. Tradução: J. Guinsburg e Tereza Cristina Silveira da Mota. 3ª ed. São Paulo: Perspectiva, 2014.

DE LA TORRE, Pablo Celi. Reconfiguración de la dependencia latinoamericana: regionalización en crisis y fractura del multilateralismo. In: W. Grabendorff e A. Serbin (editores). Los actores globales y el (re)descubrimiento de América Latina. Barcelona: Icaria, 2020. p. 25-40.

FERRO, Marc. A colonização explicada a todos. Traduzido por Fernando Santos. São Paulo: Editora Unesp, 2017.

GILL, Stephen. A Neo-Gramscian Approach to European Integration. In: CAFRUNY Alan W.; RYNER Magnus (Orgs.). A Ruined Fortress? Neoliberal Hegemony and Transformation in Europe. Oxford: Rowman & Littlefield Publishers, 2003. p. 47-70.

HARNECKER, Marta. Desafios da esquerda latino-americana. 2ª ed. São Paulo: Expressão Popular, 2019.

HARVEY, David. Notas hacia una teoría del DESARROLLO GEOGRÁFICO DESIGUAL. Traducción: Juan Villasante y Lisa Di Cione. Buenos Aires: UBA-FFyL, 2007.

HETTNE, Björn. Beyond the ‘new’ regionalism. New Political Economy. Vol. 10, No. 4, December 2005. p. 543-571.

IIRSA, A infraestrutura da devastação. Publicado pelo canal

Lamerica Latina, 2020. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=c8IFN9dwfrY. Acesso em: 26 de maio de 2021.

Integração da América do Sul. Publicado pelo canal

tvbrasil. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=ph7CD-QuqDE. Acesso em: 26 de maio de 2021.

LOTH, Luara Wandelli. O encontro paradigmático entre psicanálise e materialismo histórico na proposta de cura pela via revolucionária em Frantz Fanon. REBELA, v.11, n.1. jan./abr. 2021. p. 1-31.

PORTO-GONÇALVES, Carlos Walter. Ou inventamos ou erramos – encruzilhadas da integração regional sul-americana. In: VIANA, André Rego; BARROS, Pedro Silva; CALIXTRE, André Bojikian (Organizadores). Governança global e integração da América do Sul. Brasília: IPEA, 2011. p. 133-176.

QUIJANO, Anibal. Colonialidade do poder, Eurocentrismo e América Latina. In: CLACSO, Consejo Latinoamericano de Ciencias Sociales. A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas latino-americanas. Buenos Aires: CLACSO, 2005. p. 117-142.

QUIJANO, Anibal; WALLERSTEIN, Immanuel. La americanidad como concepto, o América en el moderno sistema mundial. Revista Internacional de Ciencias Sociales, n. 134, 1992. pp. 583-591.

SOLANAS, Fernando. La hora de los Hornos. Publicado pelo canal

HALC XXi, 2012. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=X_--jUxpjrQ. Acesso em: 16 Abr 2021.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


REBELA - Revista Brasileira de Estudos Latino-Americanos
ISSN 2237-339X
Instituto de Estudos Latino-Americanos - IELA
Universidade Federal de Santa Catarina
Centro Socioeconômico - Primeiro andar - Bloco D 
Florianópolis SC
Telefone: + 55 48 37216483

e-mail:iela@contato.ufsc.br