Shamans and Shamanisms: Refections on Anthropological Dilemmas of Modernity

Esther Jean Langdon

Resumo


Este trabalho é uma reflexão autobiográfica sobre a adequação dos modelos antropológicos para o estudo de práticas xamânicas no sul da Colômbia durante um período de quarenta anos. O meu paradigma inicial para o estudo de xamanismo partiu da tradição histórico-cultural da antropologia norte-americana de Boas até Geertz, na qual o xamanismo é visto como um sistema cultural que se transforma através da história e do espaço. Dado a ausência de xamãs Siona praticantes durante os anos setenta, parte da minha tese de doutorado tratou da reconstrução do que pode ser considerado como a tradição Siona de xamanismo, como expressado pelas narrativas e mitos contados pelos aprendizes xamânicos. Neste trabalho examino a re-emergência dos xamãs Siona, enfocando a vida e personalidade do mais conhecido xamã contemporâneo, e avalio a multiplicidade de fatores que têm contribuído a este retorno dos xamãs e sua expressão na região tanto quanto na cena global.

Texto completo:

PDF


Vibrant, Brasília, DF, Brasil. ISSN 1809-4341