SE UM VIAJANTE NUMA NOITE DE INVERNO: O LEITOR E A LEITURA A PARTIR DE INTERPRETAÇÃO E SUPERINTERPRETAÇÃO

Wéllia Pimentel Santos

Resumo


O presente artigo se constitui numa leitura do romance. Se um viajante numa noite de inverno, obra publicada originalmente na Itália em 1979, por Ítalo Calvino, à luz do referencial teórico proposto pelo semiólogo Umberto Eco, especialmente a partir de sua obra Interpretação e Superinterpretação (ECO, 2001). Partindo do pressuposto de que a construção narrativa do “hiper-romance” de Calvino, Se um viajante numa noite de inverno (1999), pode ser aproximada à teoria defendida por Eco, o ponto de contato principal entre esses autores aparentemente tão distintos está no fato de que ambos dedicaram-se a pensar, de modo incisivo, a questão da interpretação do texto literário. Assim sendo, o processo inovador da confecção do romance de Calvino foi um atrativo para um estudo mais aprofundado da obra a partir de uma perspectiva crítica de análise e interpretação dos textos destacados.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

uox-Rev., © 2013, UFSC, Florianópolis, Brasil, ISSN 2358-1514